Jesus caminha conosco

07:30

No Evangelho encontramos dois discípulos desanimados e tristes com a morte de Jesus, caminhando no trecho de Jerusalém a Emaús, comentando um com o outro tudo o que acontecera na semana anterior. Não compreendiam sua morte, mas não podiam negar seus milagres. E enquanto conversavam Jesus Ressuscitado aproximou-se e juntou-se a eles na caminhada, mas eles não o reconheceram. Jesus havia prometido: - Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu Nome, Eu estarei no meio deles (Mat.18, 20).

Como a distância entre Jerusalém e Emaús era cerca de 11 km concluímos que a conversa foi bem longa, até chegarem a uma hospedaria onde pretendiam passar a noite. Jesus deu a impressão de que ia seguir mais adiante, mas eles forçaram-no a parar e convidaram-no a cear com eles. E Ele entrou e ceou com eles. Quando Jesus benzeu o pão e deu a eles, foi que O reconheceram, mas Ele desaparecera.

Esta belíssima passagem do Evangelho nos leva a meditar que, também hoje, profecias se cumprem e que não devemos demorar em crer em tudo o que os profetas disseram. .A maioria dos homens se inquieta pelas coisas exteriores, sem perceber que Jesus segue ao nosso lado, conduzindo nosso planeta e as nossas almas frágeis a Emaús de nosso destino, de nossa libertação espiritual.

Também nós nos portamos assustados, inseguros, como se desconhecêssemos as Escrituras e suas previsões para o presente e os tempos futuros. A íntegra do capítulo 24 do Evangelho de Mateus fala com clareza das profecias relativas aos dias hoje vividos e das coisas que vem ocorrendo no mundo, como os terremotos e tsunamis no Japão e nas regiões leste e sul do nosso país.

O episódio dos discípulos a caminho de Emaús dá-nos a confiança de que o Bom Pastor, segura e suavemente, conduz o indócil rebanho e haverá de levá-lo ao divino redil, que é, em verdade, o Reino de Deus, a que se refere, sem que uma só ovelha se perca.

O Evangelho deste 3º Domingo da Páscoa poderá ser bem vivido entre jovens que partilham coisas comuns, preparando o caminho, assessorando outros jovens que necessitem de ajuda para superarem angústias ou vícios, ensinando-os que o melhor modo de reconhecer Jesus é ouvir e praticar sua Palavra e assistir o "partir do pão", isto é, a Missa. A sagrada Missa de sempre, fazendo com que, enraizados em Cristo, eles sejam gratos para com aquele que lhes inflamara o coração.

Ao longo dos domingos, somos convidados a seguir no caminho de Emaús, a entrar na Casa da Palavra e a montar a tenda que nos abre à intimidade com Deus. Não tenhamos receio de entrar e erguer uma tenda, uma pausa breve que nos esclareça acerca do segredo e da glória de Deus. Queremos despertá-los para a experiência de um chamado e só desperta para o chamado quem ouve atentamente esse chamado.

Os jovens representam enorme potencial para o presente e o futuro da Igreja e de nossos povos, como discípulos missionários de Jesus. É o desafio a percorrer a via de Emaús segundo os mesmos sentimentos de Jesus Cristo (Fl 2,5).

Com criatividade pastoral somos chamados a apresentar e testemunhar Jesus Cristo como resposta às angústias e aspirações mais profundas das pessoas. Trata-se de anunciar e testemunhar o mesmo Jesus de Nazaré que caminhava com seus discípulos escutando, dialogando e orientando, no caminho de Emaús. Há esperança no caminho! Ardia nosso coração quando Ele nos falava pelo caminho (Lc 24,32). 

Raul Monteiro

fonte: Jornal Voz de Nazaré

Compartilhe

Fundada no ano de 1758 no Distrito de Benfica, Município de Benevides, Estado do Pará. Administração: Pe. Saul Muniz, mps

Posts Relacionados

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »