Imagem de Nossa Senhora sobe ao Glória

Imagem de Nossa Senhora sobe ao Glória

23:22 Add Comment

 Foto: @CirioOficialFiéis lotaram a Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, na noite deste domingo (29), para assistir a coroação de Maria, que desceu do Glória na última quinta-feira (26).

A descida da imagem faz parte do Tríduo, que acontece como parte das comemorações do quinto aniversário de elevação da Basílica à Santuário Mariano da Arquidiocese de Belém. Nesse período, os fiéis podem ficar mais perto da imagem original de Nossa Senhora.

Após missa realizada e a coroação, a imagem subiu ao Glória.

A imagem de Nossa Senhora, só desce do Glória em dois momentos: no aniversário da elevação da Basílica à condição de Santuário e durante o Círio de Nazaré.

Fonte: DOL

Escala da Guarda - Junho de 2011

12:00 Add Comment

Arquidiocese de Belém
Paróquia Nossa Senhora da Conceição
Escala do Grupo da Guarda – Junho de 2011

05 de Junho de 2011

Joaquim – AB

Rosana – FL

Paulinha – FC

Taylana – FL

12 de Junho de 2011

Gilson – AB

Paula – FL

Natanny – FL

Rayssa – FC







19 de Junho de 2011

Monique – FC

Lene – FL

Gleiciane – FL

Renan – AB







26 de Junho de 2011

Osvaldo - AB

Géssica – FL

Amanda – FL

Aline

Luiz – FC

AB – ABRIR
FL – FOLHETO
FC – FECHAR

Paróquia é retratada através de desenho por alunos da UNAMA

10:43 Add Comment
A Universidade da Amazônia (UNAMA), em parceria com o Governo Municipal, vem desenvolvendo aqui, o projeto “Munícipio sustentável, Benevides em Foco”, uma iniciativa da universidade que escolheu um município em expansão para provocar o desenvolvimento sustentável -no caso, Benevides.
No mês passado, os alunos de Arquitetura da UNAMA, estiveram na praça matriz de Benfica, que neste dia se transformou em sala de aula, para retratar através de seus traços, em desenhos de observação, tendo como conteúdo, o patrimônio histórico do distrito.
Nesse contexto todo, o prédio que abriga nossa Paróquia, feito pelas mãos dos índios escravizados, há 250 anos atrás, serviu de fonte de inspiração para os alunos que a retrataram nossa paróquia no Papel, e nas fotografias.
Todo o material feito pelos alunos, será exposto no CIC – Centro Integrado de Conhecimento em Benevides, e serão doados para o acervo histórico do município.


Cartaz do Círio de Nazaré 2011

09:38 Add Comment

A Diretoria da Festa de Nossa Senhora de Nazaré lançou, ontem à noite, o cartaz do Círio 2011, que tem como novidade este ano um mosaico de fotos de devotos como pano de fundo para a imagem da Virgem Peregrina em primeiro plano. A cerimônia de lançamento foi realizada logo depois de uma missa celebrada pelo arcebispo metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, no altar da Praça Santuário de Nazaré, às 19h30.

Dom Taveira, que sugeriu a ideia de um cartaz mostrando as fotos dos fiéis, disse que o objetivo é “valorizar o nosso povo”. Ele afirmou que o Cartaz do Círio há muito superou o objetivo inicial de apenas divulgar o evento. “O cartaz do Círio é hoje um poderoso instrumento de evangelização que se espalha por todos os lugares de Belém, pelo Brasil e pelo mundo”, afirmou o arcebispo.

A chuva ainda deu um susto durante o sermão de Dom Taveira, mas logo se foi sem tirar o brilho do lançamento do cartaz. Nos últimos anos, o evento ganhou ares de espetáculo com apresentação do cartaz em quatro backlights gigantescos medindo 5 por 7 metros, fixados em cima do altar central da praça. Houve também uma queima de fogos de artifício que encantou os devotos e assustou os periquitos das samaumeiras da praça.

Pela quinta vez o cartaz está sendo lançado, ainda no primeiro semestre, aberto a todos os fiéis, com o objetivo de despertar na população que o Círio deve ser vivido o ano todo. Produzido pela Mendes Comunicação, o cartaz terá uma tiragem recorde este ano de 880 mil cópias. O primeiro cartaz do Círio foi feito em 1882. Quem quiser ter sua foto no cartaz do Círio ainda pode enviar suas fotos para o site www.ciriodenazare.com.br/cartaz2011. Várias edições serão feitas até o Círio 2011.

No próximo domingo, a programação do mês mariano será encerrada com a coroação da imagem original da Virgem de Nazaré, às 20h, e depois o retorno para o Glória, de onde foi retirada na última quinta-feira. O próximo evento oficial do Círio de Nazaré será o lançamento do Livro das Peregrinações, no dia 15 de agosto, no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. No final de julho, ainda sem data estabelecida, será lançada uma campanha de conscientização contra o corte da corda durante o Círio deste ano.

fonte: Diário do Pará

Descida do Glória emociona milhares de fiéis

Descida do Glória emociona milhares de fiéis

10:11 Add Comment

Descida do Glória emociona milhares de fiéis (Foto: Mauro Angelo)Um dos momentos mais raros do calendário da Igreja Católica do Pará, a descida do Glória da imagem original de Nossa Senhora de Nazaré reuniu milhares de fiéis na Basílica Santuário de Nazaré, ontem à noite, durante uma missa celebrada pelo arcebispo metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira.

A imagem encontrada pelo caboclo Plácido, às margens do igarapé Murucutu, em 1700, e que originou a história da fé dos paraenses pela sua padroeira, só é retirada do Glória duas vezes por ano: no dia do Círio e no dia 26 de maio, data de elevação da Basílica a Santuário de Nazaré, há cinco anos, e pelas celebrações do final do mês dedicado a Maria.

Sob aplausos dos fiéis e ao som dos hinos da Ave Maria e do Lírio Mimoso, a imagem foi retirada do Glória por volta das 19h e depois foi entregue a Dom Alberto Taveira, que a levantou com as duas mãos e abençoou os fiéis.

A imagem vai permanecer no altar da Basílica até domingo, quando será realizada a cerimônia de coroação.
Hoje à noite será apresentado o cartaz do Círio de Nazaré 2011. Este ano serão impressos 880 mil exemplares do cartaz composto com fotos enviadas por devotos.

“É uma homenagem que estamos fazendo a todas as pessoas que fazem do Círio a maior procissão católica do mundo. Esse ano queremos simbolizar a fé do povo paraense”, disse o diretor da Festa, César Neves. (Diário do Pará, com informações de Patrícia Baía)

Jornal Voz de Nazaré – edição de 27/05 a 02/06/2011

Jornal Voz de Nazaré – edição de 27/05 a 02/06/2011

06:30 Add Comment

Destaques desta semana do Jornal Voz de Nazaré, edição de 27 de maio a 02 de junho de 2011, ANO XCVII N° 460.

Belém tem nova paróquia

O projeto do Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, de tornar a Igreja cada vez mais presente nas comunidades se concretiza pouco a pouco. Mais uma paróquia, desta vez no bairro Anita Gerosa, em Ananindeua, foi instalada para melhor servir o povo de Deus. Nossa Senhora Auxiliadora foi desmembrada da paróquia de Nossa Senhora das Graças, e será composta de um território pastoral de cinco comunidades.

 

Cartaz do Círio já está nas ruas

Símbolo de devoção e fé a Nossa Senhora de Nazaré, o cartaz é um item indispensável nas casas dos católicos paraenses. A cada ano um novo modelo. Porém, sob um mesmo sentido, refletindo-se no recomeço de uma caminhada rumo ao Círio. Nesta sexta-feira...

Rádio Nazaré terá baile de 15 anos

O vestido está quase pronto, faltam apenas alguns detalhes. Evelyn Ribeiro não consegue esconder a ansiedade com a chegada da grande data: 10 de junho. Ela faz parte do grupo de 19 jovens que irão comemorar os 15 anos junto com a Rádio Nazaré FM. O...

Casais dão início às famílias

"Família, pessoa e sociedade". Este é o tema do 3º Encontro Nacional das Famílias que acontecerá neste final de semana, nos dias 28 e 29, em Aparecida do Norte, em São Paulo. Em Belém membros da Pastoral Familiar de cada paróquia devem fazer celebração...

 

Estas e outras notícias você acompanha no Jornal Voz de Nazaré Clique Aqui para ler a edição Completa.

5º Aniversário da Basílica-Santuário de Nazaré

15:44 Add Comment

Desde 1700, Nazaré de Belém do Pará se transformara em Santuário mariano natural, oficializado por Dom Orani João Tempesta, em 31 de maio de 2006.

A virgem Maria é o primeiro “Santuário vivo do verbo de Deus, a Arca da Aliança nova eterna”, pois ela nos trouxe o Deus feito homem.

 

Programação Especial

Quinta-feira 26/05, às 18:00h Missa/Descida da Imagem e encerramento da Novena Mariana.

Sexta-feira 27/05, às 19:30h Missa/Apresentação do Cartaz 2011 – Praça Santuário.

Sábado 28/05, às 12:00h Missa/60º aniversário de sacerdócio de Padre Luciano, e às 19:00h missa do 30º aniversário do Caminho Neocatecumenal em Belém.

Domingo 29/05, às 20:00h missa e coroação e subida da Imagem

Cartaz do Círio de Nazaré será divulgado sexta-feira

Cartaz do Círio de Nazaré será divulgado sexta-feira

20:58 Add Comment

Cartaz do Círio será divulgado sexta-feira (Foto: Ney Marcondes/ Arquivo)Na próxima sexta-feira, os devotos de Nossa Senhora de Nazaré conhecerão a versão 2011 de um dos ícones do Círio de Nazaré: o cartaz com a fotografia da mãe de Jesus, que tradicionalmente é fixado pelos fiéis na porta de suas casas, fachadas de prédios e instituições públicas e privadas.

A novidade deste ano é a participação dos fiéis no cartaz. Atrás da fotografia da imagem de Nossa Senhora tem um mosaico formado por fotos de vários momentos do Círio do ano passado, que foram tiradas pelos devotos e enviadas ao site da Basílica Santuário Nossa Senhora de Nazaré, como explica o diretor da Festa, César Neves. “É uma homenagem que estamos fazendo a todas as pessoas que fazem do Círio a maior procissão católica do mundo. Esse ano queremos simbolizar a fé do povo paraense”.

A foto principal foi feita pela fotógrafa Luciana Nahum. O cartaz será apresentado durante missa solene na Praça Santuário às 19h30, presidida pelo arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira.

“Em caso de chuva, a celebração será dentro da Basílica. A festa vai ser muito bonita e nada vai atrapalhar”, disse Neves. Após o lançamento oficial, cada pessoa poderá levar um exemplar do cartaz para casa. Foram confeccionados 800 mil exemplares. “O cartaz também faz parte da divulgação do Círio de Nazaré em outros Estados e até fora do país”.

O primeiro cartaz do Círio foi produzido em 1882, e até hoje essa tradição permanece. “Todo ano gosto de ter o cartaz na minha casa. É como se fosse uma bênção de Nossa Senhora na minha casa e também uma tradição de família que começou na casa da minha avó. Eu lembro de cartazes bem antigos”, lembrou a devota Mara Gonçalves.

A data da divulgação do cartaz do Círio 2011 coincide também com um dos momentos mais importantes para os devotos de Nossa Senhora, que é a descida da imagem original de Nossa Senhora de Nazaré do Glória. A solenidade acontece na quinta-feira, às 19h, durante a missa. Essa será a primeira descida do ano que ocorrerá em homenagem ao quinto aniversário de elevação da Basílica a Santuário Mariano da Arquidiocese de Belém.

Depois disso, somente na semana do Círio. “Por isso foi também um belo momento para apresentação do cartaz, quando a frequência de visitação chega a cinco mil pessoas”, informou o padre Silvio Jaques, pároco da Basílica. A imagem original da Nossa Senhora volta para o Glória no domingo durante a missa das 20h.

CARTAZES ANTIGOS

Os cartazes antigos podem ser conferidos no site oficial do Círio: www.basilicasantuarionazare.com.br.

Fonte: (Diário do Pará)

Papa pede à Maria que interceda pela unidade da Igreja na China

Papa pede à Maria que interceda pela unidade da Igreja na China

10:44 Add Comment

O dia de Virgem de Sheshan é celebrado anualmente no dia 24 de maio“Nossa Senhora de Sheshan, sustente o empenho de todos na China, entre os cansaços cotidianos, que eles continuem a crer, a esperar, a amar, a fim que jamais temam em falar de Jesus no mundo e do mundo a Jesus”. Essa é uma passagem da intensa oração escrita pelo Papa Bento XVI para este dia de oração pela China celebrado nesta terça-feira, 24.

Depois da Catequese da quarta-feira, 18, o Papa pediu que todos os cristãos do mundo se dedicassem a orar pela Igreja na China no dia dedicado à memória litúrgica de Nossa Senhora Auxiliadora, venerada com grande devoção no Santuário de Sheshan em Shanghai.
O Santo Padre destacou que a Igreja na China, sobretudo neste momento, necessita da oração de toda a Igreja no mundo para reconstruir sua unidade. “Convido, em primeiro lugar, todos os católicos chineses a continuar e a intensificar a própria oração, sobretudo a Maria, Virgem forte. Mas também para todos os católicos do mundo, rezar pela Igreja que está na China deve ser um compromisso: esses fiéis têm direito à nossa oração, têm necessidade da nossa oração”, salientou.
A devoção à Virgem de Sheshan, conhecida como "Auxiliadora dos Cristãos", difundiu-se por toda região de Sheshan em 1864, quando um religioso chinês construiu sobre a colina um quiosque hexagonal, no qual depositou uma imagem da Virgem Maria pintada por ele.

Leia a oração escrita pelo Papa para este dia de oração pela China
Virgem Santíssima, Mãe do Verbo encarnado e nossa Mãe,
venerada com o título de Auxiliadora dos cristãos no Santuário de Sheshan,
olha para ti com devoto afeto toda a Igreja na China,
estamos hoje diante de ti para implorar a sua proteção.
Volta o seu olhar para o povo de Deus e guia-o com cuidados maternos sob a estrada da verdade e
do amor, a fim que seja em cada circunstância fermento de harmoniosa convivência entre todos os cidadãos.
Com o doce “sim” pronunciado em Nazaré, tu consentiu
ao eterno Filho de Deus se tornar carne no seu ventre virginal
e começar, assim, a história da obra da Redenção,
ao qual colaborou com boa vontade e dedicação,
aceitando que a espada da dor perfurasse a sua alma,
até o momento supremo da Cruz, quando sob o Calvário permaneceste
firme ao lado do seu Filho que moria para que o homem vivesse.
Naquele momento tu se tornou, de uma maneira nova, Mãe
de todos aqueles que acolhem na fé o teu Filho Jesus
e aceiram segui-lo carregando sua Cruz nas costas.
Mãe da esperança, na escuridão do Sábado Santo caminhastes
com inabalável confiança, ao encontro da manhã de Páscoa,
doa a teus filhos a capacidade de discernir em cada situação,
mesmo nas mais escuras, os sinais da presença amorosa de Deus.
Nossa Senhora de Sheshan,  sustente o empenho de todos na China
entre os cansaços cotidianos, que eles continuem a crer, a esperar, a amar,
a fim que jamais temam em falar de Jesus no mundo e do mundo a Jesus
Na imagem que encima o Santuário, tu eleva o seu Filho,
apresentando-o ao mundo com os braças abertos num gesto de amor.
Auxilia os católicos chineses a ser sempre testemunhas confiáveis deste amor,
mantendo unida a rocha de Pedro sob a qual é construída a Igreja.
Mãe da China e da Ásia, ora por nós agora e sempre. Amém!

fonte: Canção Nova

Aviso a toda a Comunidade Paroquial

10:52 Add Comment

A Paróquia Nossa Senhora da Conceição, vem informar através dessa nota, a todos os paroquianos, que enquanto esperamos a vinda de nosso novo pároco, a Secretaria Paroquial, estará funcionando na comunidade São Francisco de Assis, Murinim, das 15h30 às 19h30, de segunda a sábado.

Festividade da Comunidade Santa Maria 2011

10:41 Add Comment

Neste domingo (12), foi realizada mais uma procissão em honra a Santa Maria.

As comemorações em homenagem a Mãe de Deus, tiveram início, ainda na sexta – feira (20), com uma procissão, que saiu da capela de Santa Maria, em direção a Capela de Santa Luzia.

No sábado (21), a imagem saiu em traslado da Capela de Santa Luzia, em direção a Comunidade de São Camilo, onde foi recebida, assim como todos os anos, pelos membros da comunidade.

E neste domingo (22), já nas primeiras horas da manhã, o povo de Deus já se dirigia, para a capela de São Camilo, onde foi realizada a celebração eucarística, que teve como celebrante, o Irmão Beneditino da santa Cruz, que reside na Comunidade de São Francisco no Murinim, Irmão Francisco. Logo após, a imagem foi conduzida até a berlinda, dando início por volta das 8h, a 15ª procissão da Comunidade de Santa Maria, em homenagem a Santa.

A procissão, levou os devotos de Maria, pelas principais ruas da localidade de Santa Maria, sendo a Santa Bastante homenageada, durante todo o trajeto, várias famílias enfeitaram a frente de suas casas, para homenagear Nossa Senhora, além de muita queima de fogos. Na chegada a sua capela, a imagem foi conduzida até o altar, onde logo após foi realizada a Santa Missa, ficando a igreja pequena para tantos devotos.

A festividade da Comunidade de Santa Maria, se estenderá durante o restante do mês de maio, até o dia 31.

Veja alguns momentos da procissão:

Para ver mais fotos Clique Aqui!

Santa Rita de Cássia

Santa Rita de Cássia

14:03 Add Comment

Santa Rita de CássiaNasceu na Itália, em Cássia, no ano de 1380. Seu grande desejo era consagrar-se numa vida religiosa. Mas, segundo os costumes de seu tempo, ela foi entregue em matrimônio para Paulo Ferdinando.
Tiveram dois filhos, e ela como mãe buscou educá-los na fé e no amor. Porém, eles foram influenciados pelo pai, que antes de se casar se apresentava com uma boa índole, mas depois se mostrou fanfarrão, traidor, entregue aos vícios. E seus filhos o acompanharam.
Rita então, chorava, orava, intercedia e sempre dava bom exemplo.
Seu esposo acabou sendo assassinado. Não demorou muito, seus filhos também morreram.
Seu refúgio era Jesus Cristo. A santa de hoje viveu os impossíveis de sua vida se refugiando no Senhor.
Rita quis ser religiosa. Já era uma esposa santa, tornou-se uma viúva santa e depois uma religiosa.
Ela recebeu um estigma na testa, que a fez sofrer muito, devido a humilhação que sentia, pois cheirava mal e incomodava aos outros. E teve que viver resguardada.
Morreu com 76 anos, após uma dura enfermidade que a fez sofrer por 4 anos.
Hoje ela intercede pelos impossíveis de nossa vida.
Santa Rita de Cássia, rogai por nós!

fonte: Canção Nova

Beata Irmã Dulce

20:14 Add Comment

No próximo domingo, 5º da Páscoa, a Igreja no Brasil terá a grande alegria de ver subir às honras dos altares, como Beata ou Bem-Aventurada, aquela que já em vida foi cognominada o “anjo bom da Bahia” – a Irmã Dulce –, amiga e companheira dos pobres e desvalidos. Seu itinerário de santidade, no qual a Igreja reconhece as suas virtudes heróicas, é um caminho marcado humana e naturalmente por incompreensões de tantos, mas que, sobrenaturalmente, foi capaz de tocar os corações endurecidos, para que na meiguice de quem pedia não se deixasse faltar o essencial aos mais pobres, ensinando a todos a partilhar, mesmo o pouco que tinham.

A data coincide com a Memória de Santa Rita que, como cai no domingo, neste ano não é celebrada, mas nos mostra também outra mulher forte que em outra época e situação viveu a fé e é sinal até hoje da providência de Deus em sua vida.

Em nossa mudança cultural, a mídia utilizou o termo “beata” de uma maneira imprópria e, em nosso linguajar comum, acabamos acolhendo esse tipo de interpretação que, inclusive, está em nossos dicionários. Cabe a nós restaurarmos o verdadeiro uso da palavra e valorizá-la. Muitos vocábulos importantes já foram deturpados em nossa língua. Que a Beata Irmã Dulce interceda por nós para que consigamos anunciar o Evangelho e levar as pessoas a fazer da nossa cultura uma cultura de valores humanos e cristãos que ajudem a transformar esta situação de violência, corrupção, medo, destruição e divisão que ora ocorre.

A constituição pastoral Lumen gentium do Concílio Ecumênico Vaticano II recorda, em seu quinto capítulo, a vocação universal à santidade, ou seja, ser santo é o caminho que todo aquele que renasce pela água do batismo deve percorrer. O Beato João Paulo II, quando em sua visita ao Brasil, disse que o Brasil precisava de Santos. Eles existem, não é a Igreja que os “fabrica”, mas apenas constata com um processo minucioso a vida e as virtudes daqueles e daquelas que o povo já tem em conta de “santos”. E vai muito mais além, para a beatificação e canonização supõe também um milagre por intercessão e da invocação do nome de quem pedimos a Deus. Milagre esse comprovado por médicos e cientistas, demonstrando que não tem outra explicação que não seja uma intervenção especial.  Quando professamos a nossa fé, pronunciamos que acreditamos na Igreja Santa, ou seja, a santidade é uma nota teológica na Igreja, mesmo sabendo que, embora santa, ela possui em seu seio membros pecadores que são continuamente chamados à conversão.

Temos uma beata muito perto de nós, uma brasileira como nós, que escolhendo radicalmente a Cristo, percebeu, no quotidiano de sua missão, a singular presença que Ele manifestava naqueles que não tinham nome, nem muitas vezes propriamente um rosto para a sociedade. Acredito que em nossas comunidades existam muitas outras pessoas, homens e mulheres, jovens e adultos, crianças e idosos, leigos e consagrados, que viveram uma vida heróica e poderiam ser colocados como exemplos de vida para todos nós.

O Beato João Paulo II nos recordou que “santo é aquele que faz de modo extraordinário, as coisas ordinárias”; nesse contexto, sem dúvida, pode ser inserida a vida daquela que dentro em breve, por sua santidade, não será simplesmente o anjo bom da Bahia, mas o anjo bom do Brasil.

Ir. Dulce fez, de modo extraordinário, aquilo que cada cristão deve fazer ordinariamente, ou seja, no cotidiano, no dia a dia: exercer a caridade, fazer-se oferta pelo outro, ver no outro a presença do Cristo Ressuscitado, sobretudo daqueles que mais sofrem e que estão à margem, dando-lhes a certeza de que possuem sua dignidade e que Deus lhes manifestará com predileção o seu amor, pois vem em socorro dos que são pobres e oprimidos.

Tirar o pobre da sua mais profunda miséria dos bens materiais, daquele mais básico, da fome, foi aquilo que fez o “anjo bom do Brasil”, sem que tivesse, entretanto, bens matérias, nunca deixou de acreditar na Providência Divina, que jamais lhe faltou, pois nela confiava, e quando a ela rogava tudo lhe chegava, mesmo o pouco, pois mesmo isso, diante de Deus é muito, nunca acumulando, mas partilhando e fazendo multiplicar para salvar a fome de tantos.

A razão principal de sua ação foi justamente o seu encontro com Jesus, o Cristo Senhor Ressuscitado, que deu sentido a toda a sua vida e trabalho. O segredo de uma vida doada aos irmãos tem sempre como centro o Cristo. Aberta à ação do Espírito Santo, a nossa querida Ir. Dulce deixou-se conduzir pelos caminhos da fraternidade e, mesmo em dificuldades econômicas extremas, demonstrou a providência de Deus atuando e agindo. Neste tempo de tantos questionamentos sobre os valores cristãos, a sua vida é uma demonstração daquilo que um cristão, com a graça de Deus, consegue amenizar da pobreza e da dor humana. A Igreja, através de seus santos e santos, dá uma resposta ao mundo de como a vida de santidade e a busca de Deus, seguindo a Cristo e vivendo a Sua Palavra, não só transforma os corações, mas faz da pessoa um sinal de paz e de vida para os seus irmãos e irmãs. E tudo isso é dom, é graça do Senhor.

Preocupar-se com os que estão à margem e comprometer-se com a necessidade de mudança, em um país como o nosso, com tantas dádivas de Deus, não poderíamos ter pessoas que passam fome se houvesse uma justiça mais distributiva, que nasce da capacidade de por em comum os bens que a todos pertencem. Se uma pobre como a Irmã Dulce pôde fazer tantas coisas para tantos, como não poderia ser diferente o nosso país se todos tivessem a mesma disponibilidade de pensar no seu irmão com responsabilidade, e assim multiplicar os dons que Deus nos concede.

Cuidar do pobre e do faminto, como fazia a Irmã Dulce, não é um convivente para que nesse estado de miséria esses se mantenham, é conduzi-los à sua dignidade de Filhos de Deus, dando-lhes a certeza de que os bens desse mundo são transitórios, efêmeros, e que não é da vontade Dele que homens e mulheres morram de fome, não tenham onde morar.

Sabemos que a ação social para as pessoas necessitadas precisa resolver com urgência a fome, e por isso parece como se fosse apenas assistencialista, mas sabemos que esse primeiro passo leva à formação e questiona a transformação social, econômica e política. A consciência dos cristãos leva-os a se comprometerem com o “mundo novo”, onde reine a presença de Deus que conduz à paz e à vida em plenitude. Os que questionam a assistência aos pobres também não aceitam quando reclamamos das injustiças e da necessária mudança social. Os Santos e Santas fazem tudo isso com uma vida de simplicidade e virtudes, sendo sinal de contradição para o seu tempo.

A Igreja do Rio de Janeiro se une à Igreja Mãe de São Salvador da Bahia na ação de graças pela beatificação da mulher que cuidou dos mais pobres. Cumprimento Excelentíssimo Senhor Arcebispo, Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, SCJ, e o Legado Pontifício, Sua Eminência Geraldo Majela, Cardeal da Santa Igreja Romana, Agnelo, pela alegria eclesial que proporcionam ao povo da Bahia e do Brasil pela santidade da fidelidade e do serviço da religiosa elevada às glórias dos altares.

Que interceda por nós o “anjo bom do Brasil”, a bem-aventurada Irmã Dulce, para que todos, desde os mais simples até os mais importantes, que em verdade deveriam estar à testa para servir, sejam capazes de aprender a partilhar, a fazer de modo extraordinário, o ordinário de repartir o pão com os necessitados.

Beata Irmã Dulce, interceda por nós!

Dom Orani João Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro - RJ
Jornal Voz de Nazaré – edição de 20 a 26/05/2011

Jornal Voz de Nazaré – edição de 20 a 26/05/2011

21:13 Add Comment
Destaques desta semana do Jornal Voz de Nazaré, edição de 20 a 26 de maio de 2011, ANO XCVII N° XVIII.
Beata e anjo do Brasil
Pioneira. Corajosa. Brasileira. Irmã Dulce será mais do que a quinta brasileira a ter sua vida de santidade reconhecida e tornar-se beata, ela será lembrada pela história por seu amor e incansável dedicação aos pobres. Prova disso são os 70 mil fiéis e admiradores da religiosa de todas as partes do Brasil que devem comparecer à cerimônia de beatificação, realizada neste domingo, dia 22, no Parque de Exposições em Salvador, às 17h. A TV Nazaré transmitirá a celebração ao vivo...
Louvor a Santa Rita
No dia 22 de maio é comemorado em todo mundo o dia de Santa Rita de Cássia. Na Arquidiocese de Belém, as paróquias de Santa Rita de Cássia, no conjunto Cidade Nova 5, e São José de Queluz, em Canudos, promovem festividades em sua homenagem.
"Rita, a rosa da nova criação" é o tema da festividade em Canudos, que faz referência à Campanha da Fraternidade 2011, e reflete sobre a bênção de Deus na simbologia das rosas de Santa Rita. A festividade encerra-se no domingo, 22, com a Procissão das Rosas, às 8h, percorrendo as ruas do bairro…
Padre João Paulo Celestino tomou posse de paróquia no Satélite
Não demorou muito, após despedir-se há poucos dias de seu antigo pároco, para a paróquia de Nossa Senhora do Bom Remédio, localizada no conjunto Satélite, receber com festa seu novo pastor: o padre João Paulo Celestino. A celebração eucarística da posse oficial do novo pároco aconteceu na manhã de domingo, dia 15.
Esta é a primeira paróquia que o padre João Paulo assume como pároco. Há quase um ano como presbítero, ele está entre o grupo de jovens sacerdotes ordenados pelo Arcebispo de Belém…
Pastoral da Pessoa Idosa tem vários desafios
Após cinco anos de trabalho em prol da dignidade e valorização integral dos idosos, as irmãs Maria do Carmo Dantas e Marluce Pereira preparam-se para deixar a coordenação da Pastoral da Pessoa Idosa. Pioneiras com esse tipo de trabalho no Pará elas mostram-se satisfeitas com o que já foi conquistado, mas advertem que os desafios ainda persistem…

Estas e outras notícias você acompanha no Jornal Voz de Nazaré Clique Aqui para ler a edição Completa.

Festividade de Santa Maria 2011

11:32 Add Comment
festividade-de-santa-maria-2011 Será realizado de 20 a 31 de maio, a Festividade da Comunidade de Santa Maria. Na sexta – feira (20), a imagem de Santa Maria, será conduzida em procissão até a capela de Santa Luzia, já no sábado (21) o traslado da imagem, sairá da Capela de Santa Luzia, em direção a Capela de São Camilo.
E no domingo, a procissão em homenagem a Santa Maria, saíra da Capela de São Camilo, por volta das 08h00, passando pelas ruas da localidade, em direção a sua capela, que fica próxima a Escola Luiza Delgado.
Mensagem do papa Bento XVI para o 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações

Mensagem do papa Bento XVI para o 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações

12:53 Add Comment

papa2Queridos irmãos e irmãs!

O 48.º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, que será celebrado no dia 15 de Maio de 2011, IV Domingo de Páscoa, convida-nos a refletir sobre o tema: «Propor as vocações na Igreja local». Há sessenta anos, o Venerável Papa Pio XII instituiu a Pontifícia Obra para as Vocações Sacerdotais. Depois, em muitas dioceses, foram fundadas pelos Bispos obras semelhantes, animadas por sacerdotes e leigos, correspondendo ao convite do Bom Pastor, quando, «ao ver as multidões, encheu-Se de compaixão por elas, por andarem fatigadas e abatidas como ovelhas sem pastor» e disse: «A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao dono da messe que mande trabalhadores para a sua messe» (Mt 9, 36-38).

A arte de promover e cuidar das vocações encontra um luminoso ponto de referência nas páginas do Evangelho, onde Jesus chama os seus discípulos para O seguir e educa-os com amor e solicitude. Objeto particular da nossa atenção é o modo como Jesus chamou os seus mais íntimos colaboradores a anunciar o Reino de Deus (cf. Lc 10, 9). Para começar, vê-se claramente que o primeiro ato foi a oração por eles: antes de os chamar, Jesus passou a noite sozinho, em oração, à escuta da vontade do Pai (cf. Lc 6, 12), numa elevação interior acima das coisas de todos os dias. A vocação dos discípulos nasce, precisamente, no diálogo íntimo de Jesus com o Pai. As vocações ao ministério sacerdotal e à vida consagrada são fruto, primariamente, de um contacto constante com o Deus vivo e de uma oração insistente que se eleva ao «Dono da messe» quer nas comunidades paroquiais, quer nas famílias cristãs, quer nos cenáculos vocacionais.

O Senhor, no início da sua vida pública, chamou alguns pescadores, que estavam a trabalhar nas margens do lago da Galileia: «Vinde e segui-Me, e farei de vós pescadores de homens» (Mt 4, 19). Mostrou-lhes a sua missão messiânica com numerosos «sinais», que indicavam o seu amor pelos homens e o dom da misericórdia do Pai; educou-os com a palavra e com a vida, de modo a estarem prontos para ser os continuadores da sua obra de salvação; por fim, «sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo para o Pai» (Jo 13, 1), confiou-lhes o memorial da sua morte e ressurreição e, antes de subir ao Céu, enviou-os por todo o mundo com este mandato: «Ide, pois, fazer discípulos de todas as nações» (Mt 28, 19).

A proposta, que Jesus faz às pessoas ao dizer-lhes «Segue-Me!», é exigente e exaltante: convida-as a entrar na sua amizade, a escutar de perto a sua Palavra e a viver com Ele; ensina-lhes a dedicação total a Deus e à propagação do seu Reino, segundo a lei do Evangelho: «Se o grão de trigo cair na terra e não morrer, fica só ele; mas, se morrer, dá muito fruto» (Jo 12, 24); convida-as a sair da sua vontade fechada, da sua ideia de auto-realização, para embrenhar-se noutra vontade, a de Deus, deixando-se guiar por ela; faz-lhes viver em fraternidade, que nasce desta disponibilidade total a Deus (cf. Mt 12, 49-50) e se torna o sinal distintivo da comunidade de Jesus: «O sinal por que todos vos hão-de reconhecer como meus discípulos é terdes amor uns aos outros» (Jo 13, 35).

Também hoje, o seguimento de Cristo é exigente; significa aprender a ter o olhar fixo em Jesus, a conhecê-Lo intimamente, a escutá-Lo na Palavra e a encontrá-Lo nos Sacramentos; significa aprender a conformar a própria vontade à d’Ele. Trata-se de uma verdadeira e própria escola de formação para quantos se preparam para o ministério sacerdotal e a vida consagrada, sob a orientação das autoridades eclesiásticas competentes. O Senhor não deixa de chamar, em todas as estações da vida, para partilhar a sua missão e servir a Igreja no ministério ordenado e na vida consagrada; e a Igreja «é chamada a proteger este dom, a estimá-lo e amá-lo: ela é responsável pelo nascimento e pela maturação das vocações sacerdotais» (JOÃO PAULO II, Exort. ap. pós-sinodal Pastores dabo vobis, 41). Especialmente neste tempo, em que a voz do Senhor parece sufocada por «outras vozes» e a proposta de O seguir oferecendo a própria vida pode parecer demasiado difícil, cada comunidade cristã, cada fiel, deveria assumir, conscientemente, o compromisso de promover as vocações. É importante encorajar e apoiar aqueles que mostram claros sinais de vocação à vida sacerdotal e à consagração religiosa, de modo que sintam o entusiasmo da comunidade inteira quando dizem o seu «sim» a Deus e à Igreja. Da minha parte, sempre os encorajo como fiz quando escrevi aos que se decidiram entrar no Seminário: «Fizestes bem [em tomar essa decisão], porque os homens sempre terão necessidade de Deus – mesmo na época do predomínio da técnica no mundo e da globalização –, do Deus que Se mostrou a nós em Jesus Cristo e nos reúne na Igreja universal, para aprender, com Ele e por meio d’Ele, a verdadeira vida e manter presentes e tornar eficazes os critérios da verdadeira humanidade» (Carta aos Seminaristas, 18 de Outubro de 2010).

É preciso que cada Igreja local se torne cada vez mais sensível e atenta à pastoral vocacional, educando a nível familiar, paroquial e associativo, sobretudo os adolescentes e os jovens – como Jesus fez com os discípulos – para maturarem uma amizade genuína e afetuosa com o Senhor, cultivada na oração pessoal e litúrgica; para aprenderem a escuta atenta e frutuosa da Palavra de Deus, através de uma familiaridade crescente com as Sagradas Escrituras; para compreenderem que entrar na vontade de Deus não aniquila nem destrói a pessoa, mas permite descobrir e seguir a verdade mais profunda de si mesmos; para viverem a gratuidade e a fraternidade nas relações com os outros, porque só abrindo-se ao amor de Deus é que se encontra a verdadeira alegria e a plena realização das próprias aspirações. «Propor as vocações na Igreja local» significa ter a coragem de indicar, através de uma pastoral vocacional atenta e adequada, este caminho exigente do seguimento de Cristo, que, rico de sentido, é capaz de envolver toda a vida.

Dirijo-me particularmente a vós, queridos Irmãos no Episcopado. Para dar continuidade e difusão à vossa missão de salvação em Cristo, «promovam o mais possível as vocações sacerdotais e religiosas, e de modo particular as missionárias» (Decr. Christus Dominus, 15). O Senhor precisa da vossa colaboração, para que o seu chamamento possa chegar aos corações de quem Ele escolheu. Cuidadosamente escolhei os dinamizadores do Centro Diocesano de Vocações, instrumento precioso de promoção e organização da pastoral vocacional e da oração que a sustenta e garante a sua eficácia. Quero também recordar-vos, amados Irmãos Bispos, a solicitude da Igreja universal por uma distribuição equitativa dos sacerdotes no mundo. A vossa disponibilidade face a dioceses com escassez de vocações torna-se uma bênção de Deus para as vossas comunidades e constitui, para os fiéis, o testemunho de um serviço sacerdotal que se abre generosamente às necessidades da Igreja inteira.

O Concílio Vaticano II recordou, explicitamente, que o «dever de fomentar as vocações pertence a toda a comunidade cristã, que as deve promover, sobretudo mediante uma vida plenamente cristã» (Decr. Optatam totius, 2). Por isso, desejo dirigir uma fraterna saudação de especial encorajamento a quantos colaboram de vários modos nas paróquias com os sacerdotes. Em particular, dirijo-me àqueles que podem oferecer a própria contribuição para a pastoral das vocações: os sacerdotes, as famílias, os catequistas, os animadores. Aos sacerdotes recomendo que sejam capazes de dar um testemunho de comunhão com o Bispo e com os outros irmãos no sacerdócio, para garantirem o húmus vital aos novos rebentos de vocações sacerdotais. Que as famílias sejam «animadas pelo espírito de fé, de caridade e piedade» (Ibid., 2), capazes de ajudar os filhos e as filhas a acolherem, com generosidade, o chamamento ao sacerdócio e à vida consagrada. Convictos da sua missão educativa, os catequistas e os animadores das associações católicas e dos movimentos eclesiais «de tal forma procurem cultivar o espírito dos adolescentes a si confiados, que eles possam sentir e seguir de bom grado a vocação divina» (Ibid., 2).

Queridos irmãos e irmãs, o vosso empenho na promoção e cuidado das vocações adquire plenitude de sentido e de eficácia pastoral, quando se realiza na unidade da Igreja e visa servir a comunhão. É por isso que todos os momentos da vida da comunidade eclesial – a catequese, os encontros de formação, a oração litúrgica, as peregrinações aos santuários – são uma ocasião preciosa para suscitar no Povo de Deus, em particular nos menores e nos jovens, o sentido de pertença à Igreja e a responsabilidade em responder, com uma opção livre e consciente, ao chamamento para o sacerdócio e a vida consagrada.

A capacidade de cultivar as vocações é sinal característico da vitalidade de uma Igreja local. Invoquemos, com confiança e insistência, a ajuda da Virgem Maria, para que, seguindo o seu exemplo de acolhimento do plano divino da salvação e com a sua eficaz intercessão, se possa difundir no âmbito de cada comunidade a disponibilidade para dizer «sim» ao Senhor, que não cessa de chamar novos trabalhadores para a sua messe. Com estes votos, de coração concedo a todos a minha Bênção Apostólica.


Vaticano, 15 de Novembro de 2010.

BENEDICTUS PP. XVI

Você tem uma lugar no coração da Igreja

Você tem uma lugar no coração da Igreja

09:16 Add Comment

Que sentimento você trás em seu coração?
Hoje quando eu estava preparando esta homilia lembrei-me de um sentimento que certamente possa estar passando em seu coração. Muita gente vendo este imenso Centro de Evangelização pode se sentir tão pequeno. Alguém estando em um território Eucarístico como é a Canção Nova, pode refletir sobre os seus próprios limites e quantas pessoas foram buscar a confissão estando aqui, para depositar os seus pecados limites e fraquezas no coração misericordioso de Deus. Quantas pessoas vieram aqui para buscar o seu lugar na Igreja.
Quantos trazem consigo interrogações. Hoje na Celebração de São Matias, como vocês podem ver é uma festa de escolha, uma festa de vocação.
Assim com São Matias não foi escolhido como testemunha ocular de tudo inclusive da ressurreição, Matias podeira ter pensado: “Eu já era seguidor de Jesus e eles não me chamaram, e só agora após a traição e morte de Judas, que eles me chamam, estão me chamando para tapar buraco?” Pois bem a dignidade de Matias foi ter sido escolhido gratuitamente por Deus, através do ministério dos Apóstolos para ficar no lugar de Judas, mesmo que tenha sido para tapar o buraco, e assim ele o fez, e hoje ele é santo e mártire.
Qual é o seu lugar? Pode ser que as pessoas querem lugares muito importantes, lugares de fama poder e reconhecimento. Será que você esta disposto a ocupar o ultimo lugar, assumir as funções que signifiquem mais serviço e disponibilidade?
Quem é mais importante? Quem está aqui presidindo a Santa Missa ou aquela pessoa que trabalhou na limpeza deste Centro de Evangelização?
Mais importante de todos é o Senhor, quem nos escolheu, mais importante de todas é aquele que olha para nossa pequenez e nos chama. Aliás foi assim que aconteceu com Nossa Senhora de Nazaré, que no magnificat proclamou que Ele olhou para a pequenez de sua servidora e tanto olhou que, todas as gerações ainda hoje a proclamam bem-aventura, feliz e bendita.

E a nossa geração, hoje, neste Congresso Mariano está dizendo Bem-aventurada, Feliz aquela jovenzinha pequena simples e eu fico pensando que o sinal que Deus escolheu a imagenzinha de Nossa Senhora de Nazaré encontrada a beira de um Igarapé la no Belém do Pará e neste último ano no Círio de Nazaré reuniu cerca de dois milhões e duzentas pessoas, lota a nossa cidade.
O lugar de Nossa Senhora dentro da Igreja nos mostra que todos sem exceção tem o seu espaço e se esta verdade poder entrar no em seu coração e no coração de todos que nos acompanha, já teríamos colhido o grande ensinamento desta missa.
É necessário reconhecer o amor que vem de Deus, porque é Ele quem nos escolheu, é Ele quem nos chama, mas Ele também nos pede que a seu exemplo, nos amemos uns aos outros, assim como Ele nos amou, sendo assim, seremos instrumentos de Deus nos dias de hoje.
Da nossa parte, se dermos uns aos outros este amor, seremos esses instrumento de Deus para que as pessoas possam experimentar o amor de Deus neste mundo.
Não sei o seu nome, mas chame-se agora Matias, para assumir o seu papel dentro da Igreja.

Transcrição e Adaptação: Mariana Lazarin Gabriel

 

 

fonte: Canção Nova

Jornal Voz de Nazaré – edição de 13 a 19/05/2011

Jornal Voz de Nazaré – edição de 13 a 19/05/2011

17:09 Add Comment

Destaques desta semana do Jornal Voz de Nazaré, edição de 13 a 19 de maio de 2011, ANO XCVII N° 458.

Bispo chegará em junho

Cabo Verde antecipou a festa para a Arquidiocese de Belém. Cerca de 15 mil pessoas testemunharam a cerimônia de sagração episcopal do primeiro sacerdote africano a ser nomeado bispo para as Américas. Dom Teodoro Mendes Tavares, novo bispo auxiliar de...

 

Festa de paróquia cria a comunhão
Em meio à Festividade de Nossa Senhora de Fátima, que reúne na Procissão das Velas, dia 12 de maio, cerca de 200 mil pessoas, monsenhor Raimundo Possidônio mostra como está vivendo este momento no serviço de pároco do Santuário de Fátima. Em sua...

Cardeal preside bispos no país
Cento e noventa e seis votos elegeram o cardeal Raymundo Damasceno Assis, Arcebispo de Aparecida (SP), como novo presidente da CNBB de 2011 a 2015. A nova presidência da CNBB será composta também por Dom José Belisário da Silva, Arcebispo de São Luís...

Jovens buscam vocações
O primeiro Encontro Vocacional para Jovens deste ano acontecerá nos dias 13, 14 e 15 deste mês, no seminário Mãe da Divina Providência, na BR-316, km 26, em Benevides. Ao longo do ano são quatro encontros, para ajudar jovens a discernir as vocações...

TV completa 9 anos
A TV Nazaré, canal 30, completou 9 anos de fundação no dia 11. Com 79 retransmissoras que levam a educação, cultura e o Evangelho para toda a Amazônia Legal, a emissora tem muito para comemorar. E alcançar. É o que explica o coordenador da TV Nazaré...

Estas e outras notícias você acompanha no Jornal Voz de Nazaré Clique Aqui para ler a edição Completa.

Ordenação de Dom Teodoro Mendes Tavares

11:18 Add Comment
Foi ordenado ontem (08) bispo, o Monsenhor Teodoro Mendes Tavares na localiade de Quebra Cabela/Cruz do Papa, Praia, Ilha de Santiago, Cabo Verde. O sagrante principal Dom Alberto Taveira Correia, arcebispo de Belém do Pará e os co-sagrantes foram Dom Paulino Évora, primeiro Bispo cabo-verdiano (ordenado em 1975), e Dom Arlindo Furtado, bispo de Santiago, o segundo bispo cabo-verdiano, e o primeiro a ser ordenado em Cabo Verde, no mesmo lugar onde o Papa Joao Paulo II celebrou a Missa em Cabo Verde.
Outdoor anunciando a ordenação do monsenhor Teodoro, e Padres Arquidiocese de Belém
Concelebraram 6 bispos, cerca de 40 padres e 2 diáconos (um brasileiro e um caboverdiano). A celebração durou cerca de 4 horas, e foi transmitida pela Radio e Televisao de Cabo Verde, e ainda via internet pelo site www.tcv.cv . Foi notório o envolvimento de centenas de pessoas e dezenas de entidades que se dispuseram a colaborar com a diocese e os espiritanos para que tudo corresse bem antes , durante e depois do evento. Um especial reconhecimento foi feito à paróquia de Nossa senhora de Nossa Senhora do Socorro, ilha de Santiago, em cujo ambiente decorreu a celebraçao
Quando em Fevereiro chegou o anúncio da grande notícia que o Papa Bento XVI havia escolhido o Pe Teodoro para ser Bispo auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará (Brasil), começou uma movimentação no sentido de fazer da ordenação episcopal um momento de participação, solidariedade e comunhão eclesial. E foi o que aconteceu.

Segundo Dom Alberto, desde a primeira hora ele se alegrou com a decisão do Pe.Teodoro vir ser ordenado na sua terra natal e providências foram tomadas para que padres e leigos viessem participaçao no acto da ordenação. Para os dois países o que para Cabo Verde e Belém tem uma dimensao histórica: pela primeira vez um sacerdote africano é nomeado bispo no Brasil.
Uma comitiva de 22 pessoas – padres, bispos e fiéis-leigos, vieram tomar parte neste evento marcante para a sociedade e para a Igreja de Cabo Verde. Apesar de um sol muito forte, cerca de 9 mil pessoas estiveram presentes, das paroquias das cidades e das zonas ruraise, das ilhas e da diáspora, motivados por um acto raro no nosso país,.
No fim da Missa, Dom Teodoro, numa mensagem de quase 30 minutos falou da sua vocação, da missão e dos desafios da Igreja, mencionou a missão evangelizadorsa dos espiritanos em Cabo Verde ’muitas vezes em condiçoes precárias”. Referiu o trabalho a nível da Educação e da saúde na dignificaçao da pessoa humana. Citou o exemplo do padre Crettraz que o baptizou em S. Miguel Arcanjo. Falou da missao que o levou apo Brasil. Agradeceu ao Dom Alberto pelo acolhimento, ao Dom Paulino “por grandes coisas que fez por ele”, aos foramadores e colegas, às pessoas, Entidades e organizações foram agradecidas por terem colocado juntos os esforços que resultaram numa celebração muito edificante. Agradeceu os membros do Governo e autoridades políticas e da sociedade civil presentes e no fim pediu a bençao para Cabo Verde e para o Brasil. Vou partir e levo vocês no coraçao, com saudades, disse o mais novo bispo caboverdiano que está disposto a ‘ ir cumprir o mandato missionário de ir levar a Boa notícia”.
Sacerdote espiritano, há 17 anos missionário no Amazónia, Brasil, Dom Teodoro foi bem acolhido peloclero da diocese e pelo Arcebispo Alberto Correia que o veio ordenar, acompanhado do Bispo emérito de Belém do Pará, Dom Vicente Zico.
Dom Teodoro é o quarto bispo cabo-verdiano, e o segundo da congregação do Espírito Santo.


fonte: Site da Diocese de Santiago – Cabo Verde

Jesus caminha conosco

07:30 Add Comment

No Evangelho encontramos dois discípulos desanimados e tristes com a morte de Jesus, caminhando no trecho de Jerusalém a Emaús, comentando um com o outro tudo o que acontecera na semana anterior. Não compreendiam sua morte, mas não podiam negar seus milagres. E enquanto conversavam Jesus Ressuscitado aproximou-se e juntou-se a eles na caminhada, mas eles não o reconheceram. Jesus havia prometido: - Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu Nome, Eu estarei no meio deles (Mat.18, 20).

Como a distância entre Jerusalém e Emaús era cerca de 11 km concluímos que a conversa foi bem longa, até chegarem a uma hospedaria onde pretendiam passar a noite. Jesus deu a impressão de que ia seguir mais adiante, mas eles forçaram-no a parar e convidaram-no a cear com eles. E Ele entrou e ceou com eles. Quando Jesus benzeu o pão e deu a eles, foi que O reconheceram, mas Ele desaparecera.

Esta belíssima passagem do Evangelho nos leva a meditar que, também hoje, profecias se cumprem e que não devemos demorar em crer em tudo o que os profetas disseram. .A maioria dos homens se inquieta pelas coisas exteriores, sem perceber que Jesus segue ao nosso lado, conduzindo nosso planeta e as nossas almas frágeis a Emaús de nosso destino, de nossa libertação espiritual.

Também nós nos portamos assustados, inseguros, como se desconhecêssemos as Escrituras e suas previsões para o presente e os tempos futuros. A íntegra do capítulo 24 do Evangelho de Mateus fala com clareza das profecias relativas aos dias hoje vividos e das coisas que vem ocorrendo no mundo, como os terremotos e tsunamis no Japão e nas regiões leste e sul do nosso país.

O episódio dos discípulos a caminho de Emaús dá-nos a confiança de que o Bom Pastor, segura e suavemente, conduz o indócil rebanho e haverá de levá-lo ao divino redil, que é, em verdade, o Reino de Deus, a que se refere, sem que uma só ovelha se perca.

O Evangelho deste 3º Domingo da Páscoa poderá ser bem vivido entre jovens que partilham coisas comuns, preparando o caminho, assessorando outros jovens que necessitem de ajuda para superarem angústias ou vícios, ensinando-os que o melhor modo de reconhecer Jesus é ouvir e praticar sua Palavra e assistir o "partir do pão", isto é, a Missa. A sagrada Missa de sempre, fazendo com que, enraizados em Cristo, eles sejam gratos para com aquele que lhes inflamara o coração.

Ao longo dos domingos, somos convidados a seguir no caminho de Emaús, a entrar na Casa da Palavra e a montar a tenda que nos abre à intimidade com Deus. Não tenhamos receio de entrar e erguer uma tenda, uma pausa breve que nos esclareça acerca do segredo e da glória de Deus. Queremos despertá-los para a experiência de um chamado e só desperta para o chamado quem ouve atentamente esse chamado.

Os jovens representam enorme potencial para o presente e o futuro da Igreja e de nossos povos, como discípulos missionários de Jesus. É o desafio a percorrer a via de Emaús segundo os mesmos sentimentos de Jesus Cristo (Fl 2,5).

Com criatividade pastoral somos chamados a apresentar e testemunhar Jesus Cristo como resposta às angústias e aspirações mais profundas das pessoas. Trata-se de anunciar e testemunhar o mesmo Jesus de Nazaré que caminhava com seus discípulos escutando, dialogando e orientando, no caminho de Emaús. Há esperança no caminho! Ardia nosso coração quando Ele nos falava pelo caminho (Lc 24,32). 

Raul Monteiro

fonte: Jornal Voz de Nazaré

Dom Teodoro

07:00 Add Comment

A Arquidiocese de Belém tem a grande alegria de receber, com a ordenação que se realiza neste domingo na cidade da Praia, capital da República de Cabo Verde, o novo Bispo Auxiliar, nomeado pelo Papa Bento XVI. Na quarta-feira, dia vinte e sete de abril, pude agradecer pessoalmente ao Santo Padre pelo dom recebido. Com um sorriso, retribuiu o agradecimento dizendo "era realmente necessário nomear um Bispo Auxiliar para Belém". Impressionou-me perceber que o Papa tem conhecimento das realidades da Igreja e a nossa Arquidiocese, com suas dimensões e desafios, tem seu lugar no coração do sucessor de Pedro.

É que Belém, esta notável metrópole amazônica, na proximidade de seus quatrocentos anos, cresce a cada dia e sempre mais. Somos terra acolhedora e de todas as partes acorrem pessoas com suas demandas humanas e sociais, tendo na raiz a busca de sentido para a existência. Sabemos que a única resposta vem de Jesus Cristo. No domingo, dia primeiro de maio, novamente ressoou pelo mundo a palavra do Beato João Paulo II: "Não tenhais medo de Jesus Cristo. Abri, antes escancarai as portas para Jesus Cristo". Bento XVI sabe quem somos nós e o quanto temos que caminhar para evangelizar esta terra. É nossa missão levar este convite a todos os homens e mulheres de nossa terra, neste decênio em que a Arquidiocese completará trezentos anos.

Por que é necessário um Bispo Auxiliar? O que vai fazer Dom Teodoro em Belém? Quais serão as suas atribuições? No dia vinte e seis de abril tivemos a primeira reunião, realizada em Lisboa, junto com Dom Vicente Zico, Arcebispo Emérito de Belém. As impressões deixadas pelo novo Bispo Auxiliar foram excelentes. Vimos seriedade e serenidade, profundidade espiritual e disposição para o trabalho pastoral.

Nosso propósito é que os três Bispos vivam juntos, na residência episcopal, compartilhando trabalho, preocupações e alegrias, cada um na graça que lhe é própria. Ao nosso querido Dom Vicente Zico cabe a tarefa que sabe desempenhar muito bem, ser como que anjo da guarda da Arquidiocese. Dele recebemos a oração, o exemplo, o testemunho da alegria e uma grande disposição para o trabalho apostólico, edificante e animadora, tantas vezes desproporcional às suas condições de idade e saúde. Dom Teodoro assumirá junto comigo, que sou Arcebispo Metropolitano de Belém, o cuidado pastoral direto do rebanho a mim confiado. A mim foi confiada a solicitude pastoral por este rebanho e ele vem para ajudar-me.

Sua notável preparação intelectual será muito oportuna, possibilitando-lhe o envolvimento na organização da futura Universidade Católica, o cuidado da formação permanente dos presbíteros, diáconos e leigos. A ele caberá, junto com o Arcebispo, programar e realizar as visitas pastorais, além da presença episcopal diuturna nas paróquias, especialmente para as Crismas. Dom Teodoro será um irmão Bispo, acolhido com muita esperança em nossa Igreja.

Neste terceiro domingo da Páscoa, conduzidos pela narrativa da experiência dos Discípulos de Emaús com o Senhor Ressuscitado, acontece a ordenação episcopal de Dom Teodoro. Após a proclamação do Evangelho e a invocação do Espírito Santo, será apresentada a Bula de nomeação episcopal, assinada pelo Papa Bento XVI, com a qual o eleito pode receber o sacramento. Os textos bíblicos orientarão a Homilia da Missa, celebrada no mesmo espaço em que o Beato João Paulo II se encontrou com o povo de Cabo Verde, na visita feita àquele país. Depois o bispo eleito deverá manifestar diante do povo de Deus presente suas disposições pessoais para assumir o ministério a que é chamado. Ali estarão, além dos dois Bispos de Belém, outras vinte pessoas, entre sacerdotes, diáconos, leigos e leigas, representando a Arquidiocese.

Padre Teodoro se prostrará por terra, no gesto mais profundo da oração, ao canto da ladainha dos santos, pedindo a participação da Igreja triunfante naquilo que se realiza na terra. Assim disposto, receberá de minhas mãos e dos outros bispos consagrantes a imposição das mãos, a "matéria" do Sacramento. O livro dos Evangelhos será então posto sobre sua cabeça para que, feito Bispo, sempre se recorde de que acima de sua própria vontade estarão sempre a Palavra e a Vontade de Deus. A oração consecratória, "forma" do Sacramento, será pronunciada solenemente pelo presidente da celebração e a parte central da mesma por todos os Bispos presentes: "Enviai agora sobre este eleito a força que de vós procede, o Espírito soberano, que destes ao vosso amado filho, Jesus Cristo, e Ele transmitiu aos santos apóstolos, que fundaram a Igreja por toda parte como vosso templo, para glória e perene louvor do vosso nome".

O novo Bispo, pela imposição das mãos e a oração é assim incorporado na sucessão dos Apóstolos do Senhor, na linha de fidelidade irrepreensível da Igreja, para que, de geração em geração, a mesma graça dada aos primeiros escolhidos por Jesus se perpetue e realize sua obra na Igreja.

No Sacramento da Ordem, a unção manifesta a conformidade com Cristo: como Ele foi ungido pelo Pai com o Espírito Santo e consagrado Sumo Sacerdote, assim o novo Bispo é ungido com o Óleo do Crisma em sua cabeça, manifestando a unção interior que é invisível. Depois recebe os sinais externos da graça recebida: o anel significa a fidelidade do Bispo para com a Igreja, esposa de Deus, a mitra, o esforço na busca da santidade, o báculo pastoral o encargo de reger a Igreja e, com o abraço dos seus irmãos Bispos, é acolhido no Colégio dos Bispos.

Tendo concelebrado com os Bispos e Sacerdotes a Santa Missa, dali para frente, a Missão! Seu futuro se chama Belém do Pará, com todos os seus desafios pastorais, com seu povo maravilhoso, para encontrar-se com nossas sólidas raízes religiosas e de piedade popular. Seja bem vindo, Dom Teodoro. Venha viver conosco, trabalhar conosco, ser sinal de Deus, transmitir-nos sua Palavra. Venha ver o que acontece em Belém, Casa do Pão! 

Dom Alberto Taveira Corrêa

As mães na vida da Igreja

As mães na vida da Igreja

09:42 Add Comment

A Igreja Católica, desde seus primórdios, tem na mãe um amparo seguro para sua fé. O exemplo típico é Maria, a mãe de Jesus, que estava presente junto aos apóstolos no momento em que o Espírito Santo desceu sobre eles no domingo de Pentecostes. O documento de Aparecida diz que “Maria é a presença materna indispensável e decisiva na gestação de um povo de filhos e irmãos, de discípulos e missionários de seu Filho” (nº 524).

A partir de Maria, muitas outras mães marcaram a caminhada da Igreja. Mães do estilo de Santa Mônica que derramou muitas lágrimas para que seu filho abandonasse a  vida desregrada que estava levando e se transformasse no grande teólogo e doutor da Igreja, Santo Agostinho. Mães como Santa Rita de Cássia, que sofreu os maus tratos do marido e depois de viúva, entrou para a vida religiosa. Mães do estilo de Santa Isabel de Portugal, que na condição de rainha entregou seus bens pessoais aos necessitados e viveu na pobreza voluntária. Mães de papas, bispos, padres e religiosas. Mães catequistas, animadoras de comunidades e dinamizadoras do serviço da caridade. Mães dedicadas à transmissão da fé para seus filhos e solícitas companheiras para seus consortes, também na motivação para a prática religiosa.

O documento de Aparecida reconhece que as mulheres “constituem, geralmente, a maioria de nossas comunidades. São as primeiras transmissoras da fé e colaboradoras dos pastores”. Por isso, “é urgente valorizar a maternidade como missão excelente das mulheres”. A mãe “é insubstituível no lar, na educação dos filhos e na transmissão da fé” (456).

Por ocasião do Dia das Mães deste ano, queremos manifestar a nossa gratidão às inúmeras mães que assumem a sua fé na família e na comunidade. Queremos manifestar a nossa solidariedade às mães que sofrem por verem seus filhos trilhando o caminho das drogas e da violência. Manifestar o nosso apoio às mães que lutam para que seus filhos desenvolvam autênticos valores de vida e fé. Manifestar o nosso incentivo às mães que se empenham para que, conforme nos alertava a Campanha da Fraternidade, a vida possa continuar a seguir o seu normal rumo idealizado por Deus no momento da criação. Manifestar o nosso reconhecimento às mães que assumem sozinhas a educação dos filhos, pelo fato de terem sido abandonadas ou por terem se tornado viúvas. Manifestar a nossa admiração para com as mães que já são avós, e que tem a graça de conviverem com os filhos dos seus filhos.

Finalmente, queremos parabenizar a todas vocês mães! Que Deus as abençoe e lhes dê muitas alegrias através dos filhos que geraram!

Parabéns!

Dom Canísio Klaus

Bispo Diocesano de Santa Cruz do Sul – RS

fonte: CNBB

Jornal Voz de Nazaré – edição de 06 a 12/05/2011

Jornal Voz de Nazaré – edição de 06 a 12/05/2011

07:01 Add Comment

Vejam os destaques dessa semana do Jornal Voz de Nazaré, edição de 06 a 12 de maio de 2011, ANO XCVII N° 457.

Papa abençoa Belém

"Antes de mais nada, acho que isso é pura graça de Deus, que me deu dom da vida e da vocação. Não tenho mérito nisso". As palavras são de monsenhor Teodoro Mendes Tavares, que se prepara para torna-se Bispo Auxiliar, e, em breve, ter a missão de junto ao Arcebispo, Dom Alberto Taveira Corrêa, assumir a Arquidiocese de Belém.

Leia + –>

Beatificação histórica

"Feliz és tu, amado Papa João Paulo II, porque acreditaste! Continua do Céu a sustentar a fé do Povo de Deus. Amém". Assim o Papa Bento XVI concluiu a homilia da missa de beatificação de Karol Wojtyla. Pelo mundo, milhares acompanharam a celebração, e...

Eterno amor de mãe

Aos 83 anos, Lídia do Espírito Santo carrega no semblante muitas histórias para contar. Desde a infância em Cachoeira do Arari (PA) até a vinda para Belém com a família. Ela e o marido criaram uma família que até hoje pode afirmar com satisfação que compr…

Rádio Nazaré FM muda vidas há 15 anos

Uma história de amor, renovação das esperanças e dedicação ao anúncio do Evangelho. Assim são descritos os 15 anos de fundação da Rádio Nazaré FM, que tem o propósito de evangelizar e levar a Palavra de Deus aos lares através de uma programação...

Apóstolos cultivam os dons de Deus

Um dos movimentos mais numerosos da Igreja fez a 19ª edição do seu congresso anual. O Apostolado da Oração reuniu mais uma vez quase três mil pessoas no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia. O destaque deste ano do encontro foi a participação do secr…

Fiéis divulgam amor e fé

Procissão celebrou na manhã de domingo, 1º, o dia da Divina Misericórdia. A data especial para o movimento reuniu duas mil pessoas nas ruas do centro de Belém, em caminhada em direção à Basílica Santuário de Nazaré, local da missa em que fiéis puderam...

Estás e outras notícias você, acompanha no site oficial do Jornal, clique aqui, e leia na integra.

Papa abençoa Belém

Papa abençoa Belém

07:00 Add Comment

No domingo dia 08, Padre Teodoro Mendes Tavares será sagrado bispo auxiliar de Belém, em sua terra natal, Cabo Verde, acompanhem a entrevista que ele concedeu ao Jornal Voz de Nazaré, edição de 06 a 12 de maio.

"Antes de mais nada, acho que isso é pura graça de Deus, que me deu dom da vida e da vocação. Não tenho mérito nisso". As palavras são de monsenhor Teodoro Mendes Tavares, que se prepara para torna-se Bispo Auxiliar, e, em breve, ter a missão de junto ao Arcebispo, Dom Alberto Taveira Corrêa, assumir a Arquidiocese de Belém.

Padre Teodoro, qual a sua expectativa para este momento, dia 8 de maio, em quando acontecerá sua sagração episcopal?
A minha expectativa é a melhor possível. Aguardo com bastante entusiasmo, mas de forma serena e tranquila o dia da minha ordenação episcopal. Trata-se de uma importante celebração eclesial e um momento muito especial na minha vida e vocação. Tudo está sendo bem preparado e essa celebração está sendo bastante divulgada pela comunicação social em Cabo Verde. A cerimônia será inclusive transmitida pela Rádio e Televisão de Cabo Verde, em rede nacional. Creio que será uma grande celebração, com muita gente, de vários países.        

Em poucos dias, o senhor será o 4º bispo cabo-verdiano, e o primeiro a ser nomeado para uma diocese estrangeira. Além de ser o primeiro presbítero africano nomeado para uma diocese brasileira em toda a história da Igreja no Brasil. O que tudo isso representa para o senhor?
Antes de mais nada, acho que isso é pura graça de Deus, que me deu dom da vida e da vocação.  Não tenho mérito nisso. Mais ainda reconheço, com gratidão, a confiança que o Santo Padre Bento XVI, Dom Alberto e o todo o episcopado brasileiro depositaram em mim e me acolheram cordial e fraternalmente. Também isto é mais um sinal de que na Igreja ninguém é considerado estrangeiro. Somos todos membros da mesma família de Deus e filhos do mesmo Pai. Tenho consciência de que se trata de um grande desafio e responsabilidade para mim, mas não estou sozinho: confio plenamente em Deus, o qual me acompanha sempre; conto com o apoio e a solidariedade do Santo Padre, do Colégio Episcopal e de todos aqueles que sempre me apoiaram ao longo da minha vocação e missão. Além disso, sei que terei a colaboração indispensável do povo de Deus que irei servir no meu ministério episcopal.

Muitos leigos e presbíteros da Arquidiocese de Belém viajaram para conhecê-lo de perto em Cabo Verde, e participar desde momento ao seu lado. Fora os preparativos na casa episcopal, em Belém. O que senhor está achando dessa acolhida?
Do empenho dessas pessoas para recebê-lo bem? Estou deveras feliz em saber que a nossa Arquidiocese será alta e dignamente representada na minha ordenação, pelas pessoas que irão a Cabo Verde nessa ocasião. Digo-lhe que abro ainda mais o meu coração para acolher com muita alegria, em minha terra natal, todos os que forem participar da minha ordenação episcopal. O povo cabo-verdiano vai gostar dessa ilustre presença, ainda mais sendo um sinal de manifesto de amizade, apoio e comunhão entre nós.

O senhor tem mantido contato constante com Dom Alberto. Quais foram suas impressões? E o seu desejo para esse trabalho, que acima de tudo é de parceria pela Igreja em Belém?
Sim, tenho tido contato permanente com o Dom Alberto. Isso me ajuda a conhecer paulatinamente a realidade da nossa Arquidiocese de Belém, além de resolver outros assuntos relacionados com este momento da minha vida. Ele me acolheu muito bem na Arquidiocese, tem sido muito disponível e atencioso. Por estes e outros motivos atinentes, as minhas impressões do nosso Arcebispo, Dom Alberto, são muito boas, diria mesmo, ótimas.

O senhor já consegue se imaginar como bispo? Já tomou para si a missão? Sinceramente, acho que interiormente sim, mas o processo continua. Tenho consciência da minha missão e assumo-a plenamente. Mas para quem está começando, há uma aprendizagem permanente a ser feita. Tenho certeza que a própria vida e experiência do ministério episcopal vão me ensinando a ser bispo, como aconteceu em relação à minha vida e ministério presbiteral. 

Qual o santo ou personalidade que o senhor admira?
Pessoalmente, tenho grande admiração pelas pessoas de bem, por aqueles que lutam por um mundo melhor e ajudam os outros a viver uma vida digna e feliz. Não faltam exemplos de pessoas generosas e solidárias, que amam ao próximo desinteressadamente e procuram fazer do bem a sua bandeira! Essas pessoas não serão esquecidas, pois nos inspiram e contagiam com seus belos exemplos… Mas eu me identifico mais com os santos da nossa Igreja. Os santos também foram todos aqueles que, como Jesus, o Santo por excelência, passaram pelo mudo fazendo o bem, deixando-nos o exemplo de fé, de vida e santidade.

fonte: Jornal Voz de Nazaré

Congresso Mariano 2011

Congresso Mariano 2011

11:16 Add Comment

Para celebrar o mês de Maria, a Canção Nova vai realizar o Congresso Mariano, que será realizado de 13 a 15 de maio, em sua sede, na cidade de Cachoeira Paulista (SP). O evento, que tem como tema "Com Maria, perseverantes na oração", vai contar com a participação de missionários desta obra de evangelização, além de grandes nomes da Igreja Católica.
“Canção Nova - a Casa de Maria”. Este nome aponta a origem do que se tornaria a comunidade mais tarde: um local de encontro com Nossa Senhora, “lugar onde as pessoas nascem para uma vida nova”, como afirma o fundador desta obra, monsenhor Jonas Abib.

Presenças:

Dom Benedito Beni
Bispo da diocese de Lorena (SP)

Dom Alberto Taveira
Arcebispo de Belém (PA)

Padre Paulinho
Sacerdote Consagrado à Canção Nova

Padre Alexandre Paciolli

Legionário de Cristo

Diácono Nelsinho Corrêa
Músico e missionário da Canção Nova

Salette Ferreira
Cantora e missionária da Canção Nova

Sônia Venâncio
Apresentadora do Terço Mariano na TV Canção Nova

fonte: Canção Nova

Maio mês de Maria

06:00 Add Comment

As referências dos Evangelhos e do Atos dos Apóstolos a Maria, Mãe de Jesus, apesar de poucas, deixam ver muito desta privilegiada criatura, escolhida para tão alta missão. São Paulo, na Carta aos Gálatas (4,4), dá a entender claramente que, no pensamento divino de nos enviar o seu Filho, quando os tempos estivessem maduros, uma Mulher era predestinada a no-Lo dar. Para que se compreenda a presença de Maria nesta predestinação divina, a Igreja, na festa de 8 de dezembro, aplica à Mãe de Deus, aquilo que o livro dos Provérbios (8, 22) diz da sabedoria eterna: “os abismos não existiam e eu já tinha sido concebida. Nem fontes das águas haviam brotado nem as montanhas se tinham solidificado e eu já fora gerada. Quando se firmavam os céus e se traçava a abóboda por sobre os abismos, lá eu estava junto dele e era seu encanto todos os dias”. Era pois a predestinada nos planos divinos.Maio: Mês de Maria.

Para se perceber melhor o perfil materno de Nossa Senhora, três passagens bíblicas podem esclarecer. A primeira é a das Bodas de Caná, que realça a intercessora. Quando percebeu – o olhar feminino que tudo vê e tudo observa – estar faltando vinho, sussurra no ouvido do Filho sua preocupação e obtém, quase sem pedir, apenas sugerindo, o milagre da transformação da água em generoso vinho. Ela é de fato a mãe que se interessa pelos filhos de Deus que são seus filhos.

Outra passagem do Evangelho esclarecedora da personalidade de Maria é a que nos mostra seu silêncio e sua humildade. O anjo a encontra na quietude de sua casa, rezando, para dizer-lhe que fora escolhida por Deus para dar ao mundo o Emanuel, o Salvador. Ela se assusta com a mensagem celeste, porque, na sua humildade, nunca poderia ter pensado em ser escolhida do Altíssimo. Acolhe assim, por vontade divina, a palavra do mensageiro, silenciosamente, sem dizer, nem sequer ao noivo José, o que nela se realizava. Deus tem o direito de escolher e por isto Ela diz apenas o generoso “sim” que a tornou Mãe de Deus.

O terceiro traço de Maria-Mãe é sua corajosa atitude diante do sofrimento. Ao apresentar o seu Jesus no templo, ouve a assustadora profecia do velho Simeão: “uma espada de dor transpassará a tua alma”. Pouco mais tarde, estreitando ao peito o Menino Jesus, deve fugir para o Egito com o esposo, para que a crueldade de Herodes não atingisse a Criança que – pensava ele, Herodes – lhe poderia roubar o trono. Quando seu filho tem doze anos, desencontra-se dele e, ao achá-lo após três dias, queixa-se amorosamente: “por que fizeste isto? Eu e teu pai te procurávamos, aflitos”. Sua coragem se confirma na paixão e crucifixão de Jesus. De pé, ali no Calvário, sofre e associa-se ao sacrifício do redentor. É a mulher forte, a mãe corajosa e firme, a quem a dor não derruba. De fato, a espada de Simeão lhe atravessara a alma e o coração. É a Senhora das Dores.

Maio, mês a Ela dedicado pela piedade cristã, é um convite para voltarmos nosso olhar a esta Mãe querida para pedir-Lhe, abra as mãos maternas em Bênção de carinho sobre nossos passos nesta difícil escalada da Jerusalém celeste.

Dom Benedicto de Ulhoa Vieira
Arcebispo Emérito de Uberaba - MG
Bem-aventurado João Paulo II

Bem-aventurado João Paulo II

07:00 Add Comment

No dia 8 de julho de 1980, ressoou em Belém do Pará a voz forte de João Paulo II: "Este momento de alegria e comunhão, nos encontra reunidos em Belém, "casa do Pão", para receber o pão da Palavra de Deus e o Pão eucarístico, Corpo do Senhor. Belém e Nazaré nos falam antes de tudo de Jesus, o Salvador, na sua vida oculta, criança e depois jovem, no cumprimento de sua missão: "Eis que venho, ó Deus, para fazer em tudo a Tua vontade" (Hb 10, 7). Belém e Nazaré nos falam da Mãe de Jesus, sempre próxima ao Filho eterno de Deus, Seu filho segundo a carne, fiel ela também no cumprimento de um papel de primeira importância no plano da Salvação divina: "Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra" (Lc 1, 38)".

O local da celebração eucarística era a avenida hoje chamada João Paulo II. Na mesma avenida, será constituída a Paróquia do Beato João Paulo II, numa área de grande desafio missionário. Sabemos que um homem santo, missionário inigualável de nosso tempo, pisou esta terra e deixou aqui sementes vida cristã que frutificaram ao longo dos anos. À nossa geração cabe a responsabilidade de multiplicá-los, trabalhando para que ninguém fique privado do anúncio da Boa Nova de Jesus Cristo.

Dois diálogos me vieram à memória ao refletir sobre a beatificação de João Paulo II. Uma criança, a quem perguntei o que significa ser santo, respondeu-me candidamente: "Ser santo é assim: na hora de rezar, a gente reza; na hora de estudar, a gente estuda, na hora de brincar, a gente brinca". É verdade! Ser santo é viver bem cada momento presente, sem pressa, com serenidade. João Paulo II ofereceu ao mundo a figura do atleta e do enfermo, do intelectual profundo e do diálogo com todas as camadas da sociedade, a ternura e a firmeza, a oração, o sorriso, a convivência! Tive a alegria de ter sido por ele nomeado bispo e de encontrá-lo muitas vezes. A primeira deles, em Belo Horizonte, dois de julho de 1980, dois braços fortes sobre meus ombros e olhos profundos que enxergavam a alma. "Muito novo", dizia o Papa ao conhecer-me como reitor do Seminário. Onze anos mais tarde, ainda muito novo, fui nomeado por ele bispo, cinco anos depois arcebispo. Nele encontrei a paternidade da confiança e o estímulo à missão. Com ele aprendi a ser humano e simples, sem delongas, quando se trata de viver a vontade de Deus em cada momento presente.

Recentemente perguntei a um jovem se estava forte e santo. Jocosamente respondeu-me sim quanto à fortaleza. Sobre a santidade, disse que faltava "ensaiar o Santo", referindo-se ao canto litúrgico. Realmente a santidade precisa crescer, ser continuamente ensaiada. Não se pode perder qualquer oportunidade para mostrar ao mundo que a santidade é atual!

É de João Paulo II o ensinamento: "Colocar a programação pastoral sob o signo da santidade é uma opção carregada de consequências. Significa exprimir a convicção de que, se o Batismo é um verdadeiro ingresso na santidade de Deus através da inserção em Cristo e da habitação do seu Espírito, seria um contrassenso contentar-se com uma vida medíocre, pautada por uma ética minimalista e uma religiosidade superficial. Perguntar a um catecúmeno: "Queres receber o Batismo?" significa ao mesmo tempo pedir-lhe: "Queres fazer-te santo?" Significa colocar na sua estrada o radicalismo do Sermão da Montanha: "Sede perfeitos, como é perfeito vosso Pai celeste" (Mt 5,48). Como explicou o Concílio, este ideal de perfeição não deve ser objeto de equívoco vendo nele um caminho extraordinário, percorrível apenas por algum "gênio" da santidade. Os caminhos da santidade são variados e apropriados à vocação de cada um. Agradeço ao Senhor por me ter concedido, nestes anos, beatificar e canonizar muitos cristãos, entre os quais numerosos leigos que se santificaram nas condições ordinárias da vida. É hora de propor de novo a todos, com convicção, esta "medida alta" da vida cristã ordinária: toda a vida da comunidade eclesial e das famílias cristãs deve apontar nesta direção. Mas é claro também que os percursos da santidade são pessoais e exigem uma verdadeira e própria pedagogia da santidade, capaz de se adaptar ao ritmo dos indivíduos; deverá integrar as riquezas da proposta lançada a todos com as formas tradicionais de ajuda pessoal e de grupo e as formas mais recentes oferecidas pelas associações e movimentos reconhecidos pela Igreja" (NMI 31).

A santidade que refulgiu em João Paulo II se edificou debaixo dos braços da Cruz, junto com Maria. Em Belém, ele se referiu à Virgem Maria, recordando nossa história e nossas responsabilidades marianas: "Foi sob o patrocínio de Nossa Senhora da Graça que, por obra de intrépidos religiosos, aqui se fundou uma comunidade cristã, depois Diocese, de onde se irradiou, não sem dificuldades, o Evangelho de Cristo para esta parte norte do Brasil. E ela, a Mãe da Graça divina, acompanhava os missionários neste seu empenho e esforço e estava com a Mãe Igreja - da qual é o protótipo, o modelo e a suprema expressão - nos inícios da sua implantação nestas terras abençoadas: abençoadas por Deus Criador, com as riquezas e belezas naturais que nos maravilham; e abençoadas por Cristo Redentor, depois, com os bens da Salvação por Ele operada, e que nós agora aqui celebramos. Nesta Eucaristia, com Maria Santíssima, vamos render preito agradecido ao Pai por Cristo no Espírito Santo: agradecer a evangelização e benefícios divinos por ela trazidos; agradecer a caridade dos missionários e a esperança que os animava e tornava fortes no dilatar a fé, mediante a pregação e o Batismo àqueles que, com a vida nova em Cristo, aumentaram aqui a família dos filhos de Deus". 

Santidade feita de gestos simples! Santidade como projeto pessoal e de Igreja! Santidade aos pés da Cruz, em companhia da Santa Virgem Maria, Nossa Senhora da Graça, Nossa Senhora de Nazaré, Nossa Senhora de Belém! Trazendo à memória o porte iningualável de João Paulo II, nossa Igreja de Belém se torne cada vez mais digna de todas as graças recebidas em sua gloriosa história. 

Dom Alberto Taveira Corrêa