Escala do Grupo da Guarda – Maio de 2011

Escala do Grupo da Guarda – Maio de 2011

18:37 Add Comment

Escala do Grupo da Guarda da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Benfica – Benevides – Pará, para o mês de Maria, mês de Maio de 2011.

Escala manhã

Dia 01 de Maio
Gilson – AB
Natanny – FL
Rayssa – FL
Paulinha – FC
Dia O8 de Maio
Renan – AB
Aline – FL
Lene – FL
Luiz
Amanda – FC
Dia 15 de Maio
Osvaldo – AB
Géssica – FL
Gleiciane – FL
Taylana – FC
Dia 22 de Maio
Joaquim – AB
Rosana – FL
Aline – FL
Paulinha – FC
Dia 29 de Maio
Gilson – AB
Natanny – FL
Rayssa – FL
Amanda – FC

 

Escala noite

Dia O1 de Maio
Renan – AB
Aline – FL
Lene – FL
Luiz – FC
Amanda – FC

Dia 08 de Maio
Osvaldo – AB
Géssica – FL
Gleiciane – FL
Taylana – FC

Dia 15 de Maio
Joaquim – AB
Rosana – FL
Aline – FL
Paulinha – FC

Dia 22 de Maio
Gilson – AB
Natanny – FL
Rayssa – FL
Amanda – FC

Dia 29 de Maio
Renan – AB
Lene – FL
Amanda – FL
Paula – FC

João Paulo II em Belém do Pará

07:00 Add Comment
Neste Domingo próximo (01) de maio, o Santo Padre o Papa João Paulo II será beatificado, e para celebráramos, recordemos um pouco da visita do Papa, em nossa cidade, Belém do Pará, fato que aconteceu no dia 8 de julho de 1980.
“A bênção, João de Deus. Nosso povo te abraça. Tu vens em missão de paz. Sê bem-vindo e abençoa este povo que te ama! A bênção, João de Deus”. Este trecho bem conhecido pelos católicos brasileiros marcou um momento histórico para o País: a primeira visita oficial de um papa ao Brasil.
Foi no início da década de 80, que o Papa João Paulo II passou 13 dias no Brasil e percorreu 14 cidades, entre elas Belém do Pará. Na capital, o Santo Padre desembarcou na inesquecível tarde do dia 8 de julho de 1980, onde permaneceu por dois dias.
Ao percorrer as ruas da cidade, em cada esquina João Paulo II recebia o carinho dos paraenses, que enfeitaram a cidade de amarelo e branco - as cores do Vaticano - para receber o Pontífice. O sucessor de Pedro não se limitou a distribuir acenos e bênçãos, ele foi ao encontro de cada pessoa, dos ricos aos mais pobres, do centro da cidade à periferia, pregando a solidariedade e o amor ao próximo.

Os passos do Papa no Pará
1 - No início da tarde do dia 8 de julho, o Papa João Paulo II desembarca em Belém e de acordo com o protocolo foi recebido pelo comandante da Base Aérea de Belém, Coronel Baratta Netto; pelo governador do Estado, Alacid Nunes, e sua esposa; também pelo bispo auxiliar Dom Tadeu Prost e por outras autoridades.

2 - Do aeroporto, seguiu para o Seminário São Pio X e foi recebido por seminaristas, sacerdotes e representantes do Movimento Serra Clube.

3 - Ao chegar ao seminário, João Paulo II foi levado a uma capela onde lhe aguardavam um grupo de Carmelitas Portuguesas de Moçambique, na África, e que vieram ao Estado instalar uma de suas casas. O Papa abençoou a pedra fundamental do Convento de Benevides.

4 - Na Colônia de Hansenianos em Marituba,o Papa dirigiu palavras de encorajamento aos portadores de hanseníase que viviam isolados do resto da cidade por causa do preconceito que se tinha sobre a doença na época.

5 - Em carreata pela BR- 316 até a Avenida 1° de Dezembro, ele celebrou uma missa. Hoje, a avenida leva o seu nome como homenagem.

6 - Em seguida, seguiu para a Catedral de Belém. Na época, o fato tomou uma grande repercussão porque estava prevista uma parada no largo de Nazaré. Na entrada da Basílica haviam colocado a Berlinda com a imagem autêntica de Nossa Senhora de Nazaré. As ruas foram tomadas pelo povo, que ficou frustrado ao ver o papamóvel passar em alta velocidade. O motivo foi descoberto somente meses depois; uma falsa denúncia de que uma bomba seria acionada quando o Santo Padre passasse pelo local fez com os seguranças decidissem acelerar o veículo.
7 - No dia seguinte, João Paulo II pediu que a imagem de Nossa Senhora de Nazaré fosse levada até ele. Com ela em mãos deu a bênção para ao povo, que estava no largo da Sé, antes de seguir para o Aeroporto.
fonte: Jornal Voz de Nazaré
Jornal Voz de Nazaré edição de 29/04 a 05/05/2011

Jornal Voz de Nazaré edição de 29/04 a 05/05/2011

11:29 Add Comment

Vejam os destaques dessa semana do Jornal Voz de Nazaré, edição de 29 de abril a 05 de maio de 2011, ANO XCVII N°456.

Papa João Paulo II é beatificado

Mais de um milhão. Esta é a estimativa para o número de pessoas que chegarão a Roma para acompanhar de perto a cerimônia de beatificação do Papa João Paulo II, que acontecerá neste domingo, 1º de maio. Sem contar outras centenas de milhares de pessoas que viverão, através da TV e internet, o momento em diversas partes do planeta…

Leia +

 

Devotos são chamados à Divina Misericórdia

A 16 ª Festa da Divina Misericórdia acontece no domingo, dia 1º de maio, com o tema "A missão da Igreja é anunciar o amor misericordioso de Deus" (Papa Bento XVI). O evento é promovido pelo Movimento Apostólico da Divina Misericórdia, inserido na...

Leia +

Fátima inicia festividade

De 1º a 13 de maio, ocorrerá a festividade de Nossa Senhora de Fátima, no bairro de Fátima, em Belém. O tema deste ano, "Maria, ensina-nos a escutar e anunciar a Palavra do Senhor", ressalta a felicidade dos que escutam a Palavra e a põem em prática...

Leia +

Tenoné festeja mãe de Jesus

Na comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, da Paróquia de Santa Teresinha do Menino Jesus, no bairro do Tenoné, acontece no sábado, dia 30, a trasladação em homenagem a padroeira. A procissão começa às 19h com saída da capela de Nossa Senhora do Per…

Leia +

Bem-aventurado João Paulo II

No dia 8 de julho de 1980, ressoou em Belém do Pará a voz forte de João Paulo II: "Este momento de alegria e comunhão, nos encontra reunidos em Belém, "casa do Pão", para receber o pão da Palavra de Deus e o Pão eucarístico, Corpo do Senhor. Belém...

Leia +

Estas e outras notícias, você encontra no Jornal Voz de Nazaré, 97 anos a serviço da vida.

Papa João Paulo II

10:27 Add Comment

Sumo Pontífice O primeiro papa não Italiano desde 1523 A sua enorme energia, número de viagens sem precedentes e forte conservadorismo religioso ajudaram a espalhar a influência do posto Papal tanto no mundo Católico como no mundo não Católico. Karol Wojtyla, nasceu no dia 18 de Maio de 1920 em Wadowice, Polônia. Estudou poesia e drama na Universidade Jagieloniana. Durante a Segunda Guerra Mundial (1939- 1945), completou o curso universitário no Instituto Angelicum de Roma e doutorou- se em teologia na Universidade Católica de Lublin. Até ser nomeado bispo auxiliar de Cracóvia em 1958, foi capelão universitário e professor de ética em cracóvia e Lublin. A forma filosófica, que integrava os métodos e perspectivas de fenomenologia na filosofia Tomistica, de gerir as questões que se lhe apresentavam no dia a dia, estão relacionadas com a sua "devoção" ao pensador Alemão Mas Scheler. Em 1964, Wojtyla assume as funções de arcebispo de Cracóvia, e em 1967, chega a cardeal. Um activo participante no Conselho Vaticano Segundo, representou igualmente a Polónia em cinco sinodos internacionais de bispos entre 1967 e 1977. Foi eleito Papa a 16 de Outubro de 1978, sucedendo a João Paulo I. Wojtyla adoptou então o nome João Paulo II. A 13 de Maio de 1981, foi atingido a tiro e gravemente ferido durante uma tentativa de assassinato quando entrava na Praça de São Pedro, no Vaticano. João Paulo II publicou livros de poesia e, sob o pseudónimo Andrzej Jawien, escreveu uma peça de teatro, "A Loja do Ourives" (1960). Os seus escritos éticos e teológicos incluem "Amor Frutuoso e Responsável" e "Sinal de Contradição", ambos publicados em 1979. A sua primeira Encíclica, "Redemptor Hominis" (Redentor dos Homens, 1979), explica a ligação entre a redenção por Cristo e a dignidade humana. Enciclicas posteriores defendem o poder da misericórdia na vida dos homens (1980), a importância do trabalho como "forma de santificação" (1981), a posição da igreja na Europa de Leste (1985),os males do Marxismo, materialismo e ateísmo (1986) o papel da Virgem Maria como fonte da unidade Cristã (1987), os efeitos destructivos da rivalidade das superpotências (1988), a necessidade de reconciliar o capitalismo com a justiça social (1991) e uma argumentação contra o relativismo moral (1993). A 11ª encíclica de João Paulo II, "Evalegium Vitae" (1995), reitera a sua posição contra o aborto, controlo de natalidade, fertilização in vitro, engenharia genética e eutanásia. Defende também que a pena capital nunca é justificável. A sua 12ª encíclica, "Ut Unum Sint" (1995) refere temas que continuam a dividir as igrejas Cristãs, como os sacramentos da Eucaristia, o papel da Virgem Maria e a relação entre as Escrituras e a tradição. Nos anos 80 e 90, João Paulo II efectuou várias viagens, incluindo visitas a África, Ásia e América; em Setembro de 1993 deslocou- se às repúblicas do Báltico na primeira visita papal a países da ex- União Soviética. João Paulo II influenciou a restauração da democracia e liberdades religiosas na Europa de Leste, especialmente na sua Polónia natal. Reagindo ferozmente à dissidência no interior da Igreja, reafirmou os ensinamentos Católicos Romanos contra a homossexualidade, aborto e métodos "artificiais" de reprodução humana e controlo de natalidade, assim como a defesa do celibato dos padres. No ano 2000, o Ano Sagrado em que a Igreja reflectiu os seus 2000 anos de História, João Paulo II pediu perdão pelos pecados cometidos pelos Católico Romanos. Apesar de não ter mencionado erros específicos, diversos cardeais reconheceram que o papa se referia ás injustiças e intolerância do passado relativamente aos não-Católicos. Nestes males reconhece- se o período das Cruzadas, da Inquisição e a apatia da igreja. O pedido de desculpas precedeu uma deslocação de João Paulo II à Terra Santa. João Paulo II resistiu à secularização da igreja. Ao redifinir as responsabilidades da laicização, dos padres e das ordens religiosas, rejeitou a ordenação das mulheres e opôs- se à participação política e à manutenção de cargos políticos pelos padres. Os seus movimentos ecuménicos iniciais foram dirigidos para a Igreja Ortodoxa e para o Anglicanismo, e não para o Protestantismo Europeu. Atacado pelo Mal de Parkinson, morreu aos 84 anos, no Vaticano, após dois dias de agonia, às 21h37 de Roma, 16h37 de Brasília, do dia 2 de abril, em seus aposentos no Palácio Apostólico. Foi sem dúvida um dos maiores nomes da Igreja Católica de todos os tempos e uma dos mais influentes autoridades mundiais do século XX e princípios do XXI.

Fonte: GrandeReportagem.com

Três dias de oração pelo papa João Paulo II

Três dias de oração pelo papa João Paulo II

14:45 Add Comment

joao_pauloIIO Centro São Lourenço, em Roma, convida os jovens a participarem de três dias de oração pelo papa João Paulo II, que será beatificado no próximo dia 1º de maio. Fundado por João Paulo II, o centro hospeda a cruz original das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), além de ser um lugar de interesse para os cidadãos da capital italiana e peregrinos.

Os três dias de oração têm início nesta quinta-feira, 28, e se concluirão no sábado, 30. Nesses dias será possível se confessar e adorar o santíssimo. O centro fará a projeção, em seis línguas, do documentário intitulado "A força da Cruz", proposto nos três dias de oração.

Além disso, serão celebradas três missas, na quinta, sexta e sábado pela manhã. Está prevista a participação de peregrinos provenientes de várias partes do mundo, com uma forte presença de jovens da Polônia.

Cerca de trinta jovens voluntários de vários países acolherão os peregrinos e vários sacerdotes estarão disponíveis para confissões.

fonte: Site da CNBB

Semana Santa 2011 na PNS da Conceição

13:59 Add Comment

A Semana Santa em nossa Paróquia, foi marcada por momentos de escuta e reflexão da palavra de Deus.

Apesar de uns anos pra cá, a Semana Santa tornou-se para algumas pessoas um feriado qualquer, onde não se importam mais com o verdadeiro sentido desses dias, tivemos uma boa participação dos paroquianos em todas as celebrações, desde quinta – feira santa até o domingo de Páscoa.

Na quinta – feira, a santa missa foi realizada por volta das 20h, seguida do rito do lava – pés, onde 12 homens da assembléia foram escolhidos para representar os 12 apóstolos de Cristo. Ao final da celebração eucarística, o corpo de Jesus, representado na hóstia consagrada saiu em uma pequena procissão até o salão paroquial, onde ficou em adoração até às 00h00.

Nas imagens acima, rito do lava-pés e adoração do santíssimo sacramento

No dia seguinte, sexta – feira santa, às 15h00, o povo já enchia a Igreja para a adoração da Santa Cruz, seguida da procissão do Senhor morto, que passou pelas ruas de Benfica até a Igreja matriz. Assim que a procissão chegou, nosso Pároco, se dirigiu para a Comunidade São Francisco no Murinin, onde também foi realizada a adoração da santa cruz e a procissão do Senhor Morto.  

Na imagem abaixo, as primeiras fotos mostram a adoração da santa cruz e procissão do Senhor morto na matriz, e as outras na comunidade São Francisco no Murinin

No sábado de Aleluia, a Vigília Pascal foi realizada primeiramente na Comunidade São Francisco, que teve inicio por volta das 19h00. Assim que a vigília terminou na comunidade São Francisco, nosso Pároco sei dirigiu para a Matriz, onde por volta das 22h00, teve inicio a vigília, nem mesmo a forte chuva que caiu durante todo o dia aqui em Benfica, impediu o povo de participar da celebração na noite de sábado. Ao final, uma pequena procissão saiu em volta da praça matriz, na chegada foi dada a benção final, e foram distribuídos a água benta, e também uma ceia de páscoa, foi oferecida pela comunidade paroquial foi oferecida a toda a assembléia presente.

 

No domingo da páscoa, tivemos aqui em nossa Paróquia a santa missa, às 10h00 e às 20h00, várias pessoas participaram da mesma onde na celebração realizada a noite, a procissão saiu levando várias pessoas as ruas da cidade, para celebrar a ressurreição de Jesus.

Para ver todas as fotos da Semana Santa 2011 em nossa Paróquia Clique Aqui!

Jesus ressuscitou! É a vitória da vida sobre a morte.

Jesus ressuscitou! É a vitória da vida sobre a morte.

06:00 Add Comment

Maria Madalena que seguia Jesus em suas caminhadas e acompanhou todo o martírio daquele que a libertou e a amou de uma forma nova, diferente e ainda esteve ao pé da cruz, estava angustiada.

Para ela a ausência de Jesus e a Lei que impedia atividades aos sábados era uma tortura e ela desejava ir ao túmulo onde Jesus fora sepultado. Nem esperou o domingo amanhecer e, ainda de madrugada, vai e encontra o túmulo aberto e vazio. Não encontra o Senhor.

Ninguém esperava a Ressurreição. Para os discípulos, a Cruz era o fim da esperança, a maior desilusão possível. Se somarmos a isso o fato que todos os Doze traíram Jesus (ou por dinheiro, ou por covardia), podemos imaginar o ambiente pesado entre eles naquela manhã do domingo. É nesse instante que chega Maria Madalena com a notícia de que o túmulo estava vazio.

Pedro e João correm para o Sepulcro e constatam que realmente está vazio e vêem as vestes que cobriam o Senhor, abandonadas. Essa constatação foi a base de toda a ação e pregação dos Apóstolos e foi registrada por eles. João afirma em sua 1ª epístola: - O que vimos, ouvimos e as nossas mãos apalparam, isto atestamos (1 Jo 1,1-2). Eles não entenderam o que houve, mas, "viram e creram. Esse foi o primeiro passo para o reconhecimento da Ressurreição, uma vez que, segundo a lei, duas deveriam ser as testemunhas (Dt 19,15).

Neste domingo iniciamos o Tempo Pascal, a grande festa Cristã, que celebra a Ressurreição de Jesus Cristo, o maior acontecimento da história. Pelas suas chagas e sua morte fomos curados; pela sua ressurreição entrou a Salvação no mundo. A Igreja e todos os fiéis cristãos se alegram, cantando as Aleluias do dia da ressurreição.

Se a ressurreição de Jesus não tivesse ocorrido, a mensagem do Evangelho não estaria completa, pois é a partir da ressurreição que se fortalecem as demais doutrinas básicas da fé cristã.

Assim, a ressurreição é a vitória de Cristo sobre a morte, mas é também a vitória da Igreja Católica Apostólica e a vitória de todos os homens de fé, em todos os tempos, evento que fortaleceu a crença na imortalidade da alma e na vida eterna.

Com um relato completo da palavra inspirada de Deus, junto com a visão histórica que foi escrita pelos homens, é impossível a humanidade negar a ressurreição do Nosso Senhor. Ainda assim há os que negam este fato e é alarmante saber que há muitas pessoas que acreditam na ressurreição, mas falham em perceber a sua importância.

E como Jesus agüentou a tentação e superou o pecado vivendo acima do pecado (1 Pe 2, 22-23), e como por meio de um homem o pecado chegou neste mundo trazendo a morte (Rm 5,12), quando foi crucificado Ele teve que superar este obstáculo, e, colocado no túmulo, no terceiro dia voltou conquistando a morte e demonstrou que nenhuma força na terra poderia impedi-lo de derrotá-la. (1 Cor 15, 26).

Hoje, quando olhamos para o mundo ao nosso redor, é fácil não acreditar na vitória da vida sobre a morte. Há tanto sofrimento e injustiça - guerra, violência, corrupção endêmica, saúde e educação sucateadas, destruição desenfreada do meio-ambiente, sem falar de desastres naturais com terremotos e tsunamis! Só uma experiência profunda da presença de Jesus-Libertador no meio da comunidade poderá nos sustentar na luta por um mundo melhor, com fé na vitória final do bem sobre o mal, da luz sobre as trevas, da graça sobre o pecado.

Que a mensagem da Ressurreição, da vitória da vida sobre a morte, nos anime e dê força, especialmente quando a Cruz pesar muito em nossas vidas. 

Raul Monteiro

fonte: Jornal Voz de Nazaré

Jornal Voz de Nazaré edição de 22/04 a 28/04/2011

Jornal Voz de Nazaré edição de 22/04 a 28/04/2011

02:25 Add Comment

Vejam os destaques dessa semana do jornal Voz de Nazaré, edição de 22 a 28 de abril, ANO XCVII N° 455.

Páscoa transforma Vida Cristã
Na quarta-feira (20), uma procissão que para muitos foi novidade. A procissão da Fuga do Senhor, ou procissão do Fogaréu, há muito tempo deixou de ser realizada na Arquidiocese de Belém, e não há indícios de que seja feita  em outras paróquias do Pará. Mas neste ano voltou a ser organizada com o intuito de levar a imagem de Nosso Senhor do

Leia mais –>

Missa direto da África

Os paraenses poderão acompanhar ao vivo a celebração de sagração episcopal do novo Bispo Auxiliar de Belém, padre Teodoro Mendes Tavares (foto), que será realizada no dia 8 de maio, em Cabo Verde, África, através da TV Nazaré. O acordo de concessão do

Leia mais –>

Padre ajuda creche

Padre Antônio Maria fará show beneficente em prol da revitalização da Creche Casulo, da Paróquia de Nazaré. Será no dia 18 de junho, no ginásio da Escola Superior de Educação Física, a partir das 20h...

Leia mais –>

São Jorge ganha festa

A Paróquia de São Jorge está em festa. A comunidade celebra seu padroeiro a partir de 23 de abril, quando se inicia as novenas e segue com uma intensa programação até o dia 15. Com o tema "Ó, São Jorge, ajuda-nos a cuidar do planeta Terra, criado por...

Leia mais –>

XVI Festa da Divina Misericórdia

O Movimento Apostólico da Divina Misericórdia está organizando a XVI Festa da Divina Misericórdia, celebrada no dia 1º de maio. Às 7h30, os fiéis começarão a se reunir na praça Waldemar Henrique e às 8h30 terá início a procissão até a Praça Santuário...

Leia mais –>

Jovens animam Arquidiocese

Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo de Belém, anunciou durante encontro com a juventude católica, no domingo 17, que será um dos pregadores da Jornada Mundial da Juventude, em agosto, na capital da Espanha, Madri...

Leia mais –>

Estas e outras notícias, você acompanha no Jornal Voz de Nazaré, 97 anos a serviço da vida.

Semana Santa passo a passo

Semana Santa passo a passo

06:00 Add Comment

DOMINGO DE RAMOS 

O dia que celebra o início da Semana Santa é marcado pela entrada de Jesus em Jerusalém. O dia que a missão é completada e que culminará com a sua morte na cruz. Nos evangelhos há relatos de que muitas homenagearam Jesus, estendendo mantos pelo chão e glorificando-o com ramos. Esta é, aliás, a explicação para na celebração deste dia os fiéis carregarem ramos, recordando o acontecimento. Lembrando o gesto do povo em Jerusalém, que saudou Jesus como o único mestre e Senhor. 

TRÍDUO PASCAL

Este é um dos momentos mais importantes destes dias, o ponto alto da Semana Santa. O Tríduo Pascal ou Tríduo Sacro se inicia com uma missa vespertina de Quinta-feira Santa e encerra com a Vigília Pascal, somente no Sábado Santo. Durante estes três dias formam-se uma só celebração, que resume todo o mistério pascal. Esta é a explicação para nas celebrações da quinta-feira à noite e da sexta-feira não se dá a bênção final, porque ela só será dada, solenemente, no final da Vigília Pascal. 

QUINTA-FEIRA SANTA

É neste dia que se celebra a instituição da Eucaristia e do Sacerdócio ministerial. Pela manhã há uma celebração, a Missa do Crisma. E durante à noite acontece a celebração solene da Missa, em que se recorda a instituição da Eucaristia e do Sacerdócio ministerial, em que se realiza a cerimônia do lava-pés. Esse gesto procura transmitir a mensagem de que o cristão deve ser humilde e servidor.

SEXTA-FEIRA SANTA 

É um dia de tristeza, mas ao mesmo tempo o momento propício para despertar a própria fé. Não há missa, pois a Igreja se recolhe no silêncio da oração e na escuta da palavra divina, o objetivo é compreender o sentido e o significado da morte de Jesus. E durante a tarde acontece a Celebração da Paixão e Morte de Jesus, com a proclamação da Palavra, a oração universal, a adoração da cruz e a distribuição da Sagrada Comunhão.

Mas a Semana Santa não se encerra com a sexta-feira, mas no dia seguinte quando se celebra a vitória de Jesus. Só há sentido em celebrar a cruz quando se vive a certeza da ressurreição.

VIGÍLIA PASCAL

O Sábado Santo um dia de "luto", de silêncio e de oração. Igreja vela em oração, partilhando os sentimentos de Maria. É o momento em que a Igreja permanece junto ao sepulcro, meditando no mistério da morte do Senhor e na expectativa de sua ressurreição. Este recolhimento conduz e prepara à Vigília pascal, conhecida como a "mãe de todas as vigílias", em que explodirá a alegria da Páscoa. Igreja então se alegrará pelo reencontro com o seu Senhor.

fonte:Jornal Voz de Nazaré

Hosana nas alturas!

Hosana nas alturas!

06:00 Add Comment

"Os sumos sacerdotes e os escribas ficaram indignados, ao ver as maravilhas que ele fazia e as crianças que gritavam no templo: Hosana ao Filho de Davi! Interpelaram-no: Estás ouvindo o que dizem? - Sim, estou, respondeu Jesus. Nunca lestes nas Escrituras: Da boca dos pequeninos e das criancinhas preparaste um louvor?" (Mt 21, 15-16)

"Herodes, furioso, mandou matar todos os meninos de Belém e de todo o território vizinho, de dois anos para baixo, de acordo com o tempo indicado pelos magos. Assim se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias: "Ouviu-se um grito em Ramá, choro e grande lamento: é Raquel que chora seus filhos e não quer ser consolada, pois não existem mais" (Mt 2, 16-18).

O clamor das crianças é sempre original e atrai, pela pureza com que sobre ao Céu, a atenção da sociedade e o olhar de Deus. Do canto alegre - Hosana! - semelhante a uma revoada de pássaros até o grito de socorro que há poucos dias ressoou mundo afora, partindo do Rio de Janeiro, Deus quer que nossos ouvidos se abram para acolher as crianças. Ele é o Senhor da História e não abandona o mundo. Sua palavra de vida e de graça continua a ser oferecida à nossa geração, para que o seu Reino chegue e todos os seres humanos alcancem a felicidade prometida.

Os pequeninos de Jesus dizem teimosamente ao nosso mundo que não se pode viver sem Deus. Eles proclamam sua presença e sua chegada. Ensinam-nos que a melhor oração é o louvor, a ação de graças, o elogio, a festa. Não é tempo desperdiçado viver o tempo como vivem as crianças, sem agitação, brincando diante da face de Deus. Sendo porção frágil e tantas vezes indefesa da sociedade, estão dizendo, com seus sofrimentos, ao nosso mundo adulto e teimoso que filho não é trabalho, mas bênção, que um mundo sem crianças é um triste mundo! (Cf. Sl 126, 3-5)

O Domingo de Ramos abre a Semana Santa e quer expressar a abertura de nossas casas e de nossas vidas a Jesus Cristo Salvador. Bendito o que vem em nome do Senhor! Acolher Jesus significa aceitar sua palavra e sua salvação. Não existe outro nome pelo qual possamos ser salvos! E salvação é rumo para a existência, que deixa de ser beco sem saída. Aos que sofrem diante do mistério da dor ou da morte, ele vem dizer que a dor pode se transformar em amor. Aos que estão tão mergulhados nas preocupações que muitas vezes se desesperam diante dos dramas do cotidiano, o Senhor diz que não é somente para esta vida que nele depositamos a confiança. Há uma eternidade que nos espera, uma casa nova preparada hoje pelo nosso caminhar pelas ruas de nosso tempo.

Nós sairemos pelas ruas no Domingo de Ramos, recordando os acontecimentos de Jerusalém. Em nome de Jesus Cristo, somos todos convidados a sair de nós mesmos e entrar na casa das outras pessoas, levando a boa nova. Quem participa da Procissão de Ramos acolha a proposta de continuá-la, numa visita de semana santa ou de Páscoa, indo à casa de alguma pessoa ainda distante da Igreja, ou um parente do qual se afastou por qualquer motivo. Quem sabe será uma visita a um enfermo ou aos encarcerados. É para chegar desarmado, apenas para estar com as pessoas. Repetir-se-ão os benditos ao nome do Senhor quando as postas se abrirem!

À entrada de Jesus em Jerusalém, as crianças, os jovens e os adultos estendiam ramos de palmeira e também seus próprios mantos pelas ruas, para acolhê-lo. Ramos de palmeira, sinais de vitória, com os quais queremos dizer que Nosso Senhor é Rei e que acreditamos. Roupa é sinal de valor e dignidade e queremos encontrar em Jesus Cristo a roupa do homem novo, pessoas renovadas no Batismo, que estendem braços abertos para que passe a salvação.

Com a Jerusalém do Domingo de Ramos, nossas cidades querem dizer a Jesus que estamos conscientes de sermos contraditórios, pois nossos hosanas se transformação rapidamente em gritos de "crucifica-o". Encantados com a beleza da vida, outros dias jogamos fora nossas crianças recém-nascidas, ou transformamos o jardim de Deus, que é nosso mundo, em deserto árido e triste. Sabemos o que vale a união em torno das grandes causas e ainda assim nos defendemos no individualismo, cada um em busca de seus próprios interesses. Senhor do lava-pés, da paixão e da cruz, Senhor do silêncio do sábado santo, Senhor da manhã da Ressurreição, bem vindo entre nós! Vence, Senhor, nossas contradições e endireita nossos caminhos! Ultrapassa, Senhor, nossas portas fechadas e traz-nos a Paz! 

Dom Alberto Taveira Corrêa

Procissão de Ramos 2011 – Paróquia N. Srª da Conceição

15:21 Add Comment

O primeiro dia da semana Santa, relembra a chegada triunfal de Jesus a Jerusalém, montado em um jumentinho e acompanhado dos 12 apóstolos. As pessoas os receberam com saudações, aclamando Cristo como Messias, e com ramos nas mãos, que agitavam pelo ar.

Neste domingo (17), em que a Igreja Celebra o dia de Ramos, em nossa Paróquia, a mesma foi realizada às 10h da manhã.

Os paroquianos se concentraram em frente à Sede do Benfica, onde o Padre Vladiam deu início à procissão, abençoando os ramos, logo após todos se dirigiram para a Igreja matriz, cantando e agitando seus ramos, onde foi realizada a Santa Missa, muitos se fizeram presente na celebração.

Nas demais comunidades foram realizadas também as procissões de ramos, como em Murinin na Comunidade São Francisco e em Santa Maria, na Comunidade de Santa Maria.

Acompanhe abaixo a programação da Semana Santa, em nossa Paróquia.

  • Quinta – feira Santa às 20h00;
  • Sexta – feira Santa às 15h00 seguida da procissão do senhor morto;
  • Sábado de aleluia, início às 20h30 seguida da vigília até às 00h00;
  • Domingo de Páscoa, a santa missa será realizada no horário normal às 10h00 da manhã e também às 20h00;

Veja alguns momentos da Procissão de Ramos, aqui em nossa Paróquia.

Para ver mais fotos da Procissão de Ramos em nossa Paróquia Clique Aqui!

Bendito é o que vem em nome do Senhor!

Bendito é o que vem em nome do Senhor!

06:00 Add Comment

Evangelhos do Domingo de Ramos
Mateus 21, 1 - 11; 27, 11-54

A Igreja celebra no Domingo de Ramos, a entrada de Jesus em Jerusalém. Para nós inicia-se a Semana Santa, destinada ao fiel cristão que não pode deixar de acompanhar ativamente a Liturgia destes dias, seguindo os passos de Cristo e sentindo de perto o que aconteceu ao nosso melhor Amigo e Salvador, percebendo o que Ele sentia em seu coração, ao se aproximar a Hora decisiva de sua vida.

Infelizmente, a maioria dos católicos tem outras preferências na semana mais santa do ano. São cristãos incapazes de "vigiar e orar" ficando com Jesus (Mc 14, 38), preferindo sair para entretenimentos em farras, passeios, baladas, praias, bares, bebedeiras, curtição com muita música e outros folguedos, em situações com probabilidade de terminarem em brigas, desavenças, desastres e morte.

Devemos mostrar-nos solidários a Jesus, passando esta última semana de Sua vida terrena com Ele, num último gesto de amor e amizade, recolhidos em oração fervorosa e contemplação profunda, de modo que a Páscoa do Senhor seja um dia verdadeiramente "novo" para nós. Ao participarmos da bênção e procissão de ramos, deveremos homenagear Jesus e proclamar publicamente a sua Divina Realeza.

Este domingo é chamado "de Ramos" porque o povo cortou ramos de árvores, ramagens e folhas de palmeiras para cobrir o chão onde Jesus passava montado num jumento. E assim, Jesus entra triunfante em Jerusalém com grande acompanhamento; foi uma maneira forte de proclamar a chegada do Messias, do Rei esperado pelos pobres e sofredores, despertando nos sacerdotes e mestres da lei muita inveja, desconfiança, medo de perder o poder. Começava, então, uma trama para condenar Jesus à morte e morte de cruz.

O povo O aclama cheio de esperança, gritando um cântico de louvor e alegria: - Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana no mais alto dos céus!

Jesus como o profeta, o Messias, o Libertador, iria libertá-los da escravidão política, econômica e religiosa, imposta cruelmente pelos romanos naquela época, que massacrava a todos com rigores excessivos e absurdos.

Jerusalém era celebrada com uma grandiosa procissão. E isto agradou tanto aos romeiros que deixou marcada a Procissão de Ramos como umas das mais belas celebrações da Semana Santa.

Mas, essa mesma multidão, poucos dias depois, manipulada pelas autoridades religiosas, acusaria Jesus de impostor, de blasfemador, de falso messias. E incitada pelos sacerdotes e mestres da lei, exigiria do governador Pôncio Pilatos que o condenasse à morte.

Por isso, na celebração do Domingo de Ramos são proclamados dois evangelhos: o primeiro, que narra a entrada festiva de Jesus em Jerusalém aclamado pelo povo; depois o Evangelho da Paixão, onde são relatados os acontecimentos do injusto julgamento de Jesus, culminando com a violência e brutalidade a que foi submetido, tanto que, com palavras, é impossível descrever o que Jesus passou por amor a nós até ser condenado à morte, pregado numa cruz.

A esperança era que Jesus fosse um conquistador, um rei forte que esmagasse os inimigos, mas quando viram Jesus pregando o amor aos inimigos e a conversão, os judeus não creram n'Ele e o entregaram à Cruz.

A liturgia nos relembra e nos convida a celebrar esses acontecimentos da vida de Jesus, que se entregou ao sacrifício para nos salvar da escravidão do pecado e da morte. Crer nos acontecimentos da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, é crer no mistério central da nossa fé, é crer na vida que vence a morte, é vencer o mal e ressuscitar com Ele Vivo e Vitorioso para viver eternamente. 

fonte: Jornal Voz de Nazaré

Jornal Voz de Nazaré - Edição de 15 a 21/04/2011

Jornal Voz de Nazaré - Edição de 15 a 21/04/2011

10:41 Add Comment

Vejam os destaques desta semana do Jornal Voz de Nazaré, edição de 15 de a 21 de Abril de 2011, ANO XCVII N° 454.


Em dias santos vive-se encontro com Jesus
A poucos dias da Páscoa, cristãos preparam-se para a semana mais importante do ano, a única no calendário intitulado "santa". Nestes dias cada um é chamado a relembrar os passos de Cristo, revivendo os principais mistérios da fé: paixão, morte e...


Jovens celebram Páscoa

No último final de semana a Casa da Juventude Comunidade Católica (CAJU) realizou a 22º Edição da Páscoa Jovem, encontro de espiritualidade que mostra aos jovens o sentido verdadeiro da Páscoa: a morte, paixão e ressurreição de Cristo, para salvar a...


Dom Alberto visita curso

Os participantes do Curso Técnico de Televisão e Rádio receberam, na última semana, a visita do Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa. O projeto é uma parceria da Organização Não Governamental "Missão Friuli Amazônia", com a CNBB...


Um gesto pelo futuro

Após o lançamento oficial da Campanha da Fraternidade, a Igreja prepara-se para outro grande momento: a "Coleta da Solidariedade", que acontece todos os anos no Domingo de Ramos. Neste dia, o povo é convidado a ajudar a tornar realidade centenas de...


Filme reúne admiradores

"Peregrino vestido de branco", do título original polonês "Szukalem Was" é um longa-metragem sobre a vida e a mensagem deixada por João Paulo II. O filme mostra o lugar do pontífice na história da Igreja e no mundo, e como a sua extraordinária...

Estás e outras notícias você encontra no Jornal Voz de Nazaré, 97 anos a serviço da vida.

Vaticano divulga agenda de celebrações do Papa na Semana Santa

Vaticano divulga agenda de celebrações do Papa na Semana Santa

12:19 Add Comment

Foi divulgado nesta quinta-feira (14), pelo Boletim da Santa Sé, o calendário das celebrações que serão presididas por Bento XVI na Semana Santa, confira abaixo.

17 de abril - Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor
Praça São Pedro, 9h30 (horário de Roma, 4h30 pelo horário de Brasília)
O Santo Padre abençoará os ramos e depois da procissão celebrará a Santa Missa da Paixão do Senhor

21de abril - Quinta-feira Santa
Santa Missa Crismal

Basílica Vaticana, 9h30 (horário de Roma, 4h30 pelo horário de Brasília)
O Santo Padre presidirá a concelebração da Santa Missa Crismal com os cardeais, bispos e presbíteros (diocesanos e religiosos) presentes em Roma, sinal da estreita comunhão entre o Pastor da Igreja universal e seus irmãos no sacerdócio ministerial.

Tríduo Pascal
Santa Missa da Ceia do Senhor
Capela Papal, Basílica de São João de Latrão, 17h30 (horário de Roma, 12h30 pelo horário de Brasília)
O Santo Padre presidirá a concelebração da Santa Missa e lavará os pés de 12 sacerdotes. Durante o rito os presentes serão convidados a cumprir o ato de caridade para com as vítimas do terremoto e do tsunami no Japão. As doações recolhidas serão confiadas ao Papa na apresentação das ofertas.
No final da celebração haverá a translação do Santíssimo Sacramento para a Capela do repouso.

22 de abril - Sexta-feia Santa

Celebração da Paixão do Senhor

Capela Papal, Basílica Vaticano, 17h (horário de Roma, 12h pelo horário de Brasília)
Via Sacra
Coliseu, 21h30 (horário de Roma, 23h30 pelo horário de Brasília)
O Santo Padre presidirá a procissão da Via Sacra, no final, ele falará aos fiéis e concederá sua benção apostólica.

23 de abril - Sábado
Vigília Pascal

Capela Papal, Basílica Vaticana, 21h (horário de Roma, 16h pelo horário de Brasília)
O Santo Padre abençoará o fogo novo no átrio da Basílica de São Pedro. Após a procissão de entrada na Basílica com o círio pascal e o canto do Exsultet, presidirá a Liturgia da Palavra, a Liturgia Batismal e a Liturgia Eucarística, que será concelebrada com os cardeais.

24 de abril - Domingo de Páscoa, Ressurreição do Senhor
Santa Missa de Páscoa

Sagrado da Basílica Vaticana, 10h15 (horário de Roma, 5h15 pelo horário de Brasília)
O Santo Padre celebrará a Santa Missa no sagrado da Basílica de São Pedro. Do centro da Basílica concederá a benção “Urbi et Orbi”.

Como realizar uma boa confissão

Como realizar uma boa confissão

12:11 Add Comment

Hoje em nossa Paróquia será realizada a confissão comunitária, nas Capelas de Sant’Ana, São Francisco, Santa Maria e aqui na Igreja Matriz, a partir das 19h, e neste post veremos as condições indispensáveis para fazer uma boa e frutuosa confissão.

A confissão, é a celebração do amor que perdoa, e deve ser uma celebração de alegria, com sabor pascal, que expressa a ação do Espírito de Jesus ressuscitado. A graça de Deus, uma vez perdida por causa do pecado, é reconquistada pelo arrependimento. Em nós, o perdão é a atitude que mais nos aproxima de Deus, que nos torna filhos e filhas parecidos com o Pai.  O perdão é a máxima expressão da bondade, da misericórdia, enfim, do amor de Deus por nós, "o amor apaixonado de Deus por seu povo, pelo homem, é um amor que perdoa".

Tudo o que fazemos de bom ou ruim, por mais oculto que seja, tem repercussão comunitária e social.  Toda confissão deve ser preparada por um dedicado exame de consciência, feito no silêncio, na tranqüilidade, no recolhimento que favoreça a reflexão e a análise de si mesmo.  Ele deve ser o confronto de nossos atos e atitudes com algumas balizas da nossa fé e de nosso  seguimento de Jesus Cristo, como as bem-aventuranças ou alguma outra página dos Evangelhos, os mandamentos da lei de Deus, os mandamentos da Igreja etc. Em seguida, é bom assumir uma atitude humilde de reconhecimento e aceitação das próprias faltas, evitando justificações e desculpas. Por fim, vale a pena enumerar os pecados cometidos, para só então procurar o sacerdote  para celebrar a reconciliação.

São condições indispensáveis

para se realizar uma boa e frutuosa confissão:

  1. Exame da própria consciência.
  2. Arrependimento real dos pecados cometidos.
  3. Propósito sincero de conversão, de mudança de vida, de abandono do pecado.
  4. Confissão dos próprios pecados ao sacerdote que, nesse ato, age na pessoa de Cristo e representa a Igreja, que perdoa. O padre dá uma penitência como demonstração de alegria pelo perdão, e disposição para uma vida nova.
  5. Absolvição, perdão dos pecados.
Lázaro, vem para fora!

Lázaro, vem para fora!

06:00 Add Comment

Aproxima-se a Semana Santa, na qual a Igreja ganha grande visibilidade, mostrada nas vitrines dos meios de comunicação, em suas celebrações litúrgicas e em todas as manifestações, de acordo com as diferentes culturas, com as quais o amor maior, Jesus Cristo, em sua Morte e Ressurreição, é posto em espetáculo! Sim, desde as procissões de Ramos encontradas pela peregrina Etéria em Jerusalém, no século IV, até as encenações da paixão com teatros a céu aberto de nosso tempo, o mistério inesgotável de Cristo continua sendo o argumento mais explorado e nunca esgotado.

Artistas se encantam pela primeira vez com os personagens que são chamados a representar, sentindo inclusive ressoar em seus corações as raízes da fé, quem sabe plantadas na infância e guardadas num cantinho reservado da consciência. Novas gerações, representadas por crianças, apenas chegadas à maior compreensão dos acontecimentos, que começam a descobrir uma formação feita de procissões e teatro, de emoções e surpresas. Deverão progredir, pouco a pouco, dos sentimentos à fé, tarefa de pais, Igreja e catequistas, aos quais são confiados os pequeninos de Deus que se encantam com ramos, assistem estupefatos o lava-pés ou choram diante da maldade daqueles que crucificaram Nosso Senhor.

Às gerações de adultos mais maduros na fé cabe a responsabilidade de sair das ruas, das encenações e procissões e entrar na Igreja, onde não se assistem a espetáculos, mas se torna presente o mesmo Senhor, em sua Morte e Ressurreição, fonte de vida e de graça para todos que deixam de ser espectadores para se envolverem no mistério vivido! O ano litúrgico da Igreja é uma delicadeza pedagógica, com a qual, a mesma realidade da fé no Cristo ressuscitado é celebrada intensamente, a partir de ângulos diferentes, para que todos cheguem à renovação de seus compromissos batismais, na festa maior que é a Páscoa.

Páscoa é como o aniversário de batismo de cada cristão! Para celebrá-la bem, nas semanas que correm os cristãos foram ao encontro de uma Mulher Samaritana e descobriram de novo aquele que é a fonte de água viva que jorra para a vida eterna e souberam que, sendo batizados, também eles se tornam fonte para os outros, não lhes sendo lícito permanecerem indiferentes a ninguém, já que todas as pessoas são candidatas à mesma comunhão com Deus. Todos foram apresentados ao Cego de nascença, cujos olhos foram abertos por Jesus. Descobriram-no como Luz do Mundo e entenderam que seu Batismo, também chamado de Iluminação, abriu-lhes perspectivas inusitadas, cujo nome é fé!

Enfim, antes de entrar na chamada Semana Maior - Semana Santa, o Jesus que é Água viva e Luz do Mundo lhes é de novo apresentado. Desta feita, o convite é a visitar Betânia, cujo nome significa "Casa do Pobre" ou "Casa da aflição". Lázaro está morto (Jo 11, 1-44). É uma situação trágica, pois morreu o amigo de Jesus. A morte assusta, mesmo quando as pessoas quase se acostumam, quando em nosso tempo é noticiada exaustivamente dia a dia, como um fato a mais, sem muito mistério ou sacralidade!

Para Jesus, seus apóstolos e os amigos de Betânia, as coisas são diferentes. Marta que reclama pelo atraso de Jesus expressa nossa reação diante da morte de uma pessoa amada. O choro de Jesus pelo amigo morto é choro de Deus pela realidade da morte presente na humanidade e também choro diante de sua própria morte que se aproxima. A Salvação que traz deve tocar no mais fundo da realidade humana. Quando faz seu amigo voltar à vida, Jesus anuncia a completa libertação da morte. Existe esperança!

O relato evangélico passa, num maravilhoso crescendo, da narração da doença à morte e sepultura e o retorno à vida do amigo Lázaro, cujo nome quer dizer "Javé ajuda". Transparece a humanidade cheia de ternura de Jesus, com emoção, lágrimas, declaração de amizade e revelação do Filho de Deus.

O "Credo" de Marta sintetiza esta rica realidade: "Sim, Senhor, eu creio firmemente que tu és o Cristo, o Filho de Deus, aquele que deve vir ao mundo". A resposta de Jesus é promessa de vida: "Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que tenha morrido, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais (Jo 11, 25-26).

Diante do sepulcro de onde sai Lázaro, Jesus proclama ser Ressurreição e Vida. Mas sabemos que Jesus deverá entrar no sepulcro da morte, ser envolto em faixas como seu amigo Lázaro e ressuscitar ao terceiro dia. Cristo é para todos os homens e mulheres, feridos de morte pelo pecado, Ressurreição e Vida! Saímos do velório de Lázaro, ouvimos o grito de Jesus a todos os lázaros da história, passamos pelo Cenáculo, Sinédrio, Getsêmani e Pretório e daí chegamos ao Calvário, para amanhecer no Jardim da Ressurreição. Não perca os detalhes e participe de tudo! 

Dom Alberto Taveira Corrêa

Mensagem do Pároco a respeito da Confissão

Mensagem do Pároco a respeito da Confissão

10:48 Add Comment

Caríssimo(a) paroquiano(a), o tempo da quaresma que estamos para completar é o momento propício à reflexão, avaliação de vida e conversão. É tempo de nos voltarmos, como homens e mulheres de fé, ao nosso Criador e Redentor reconhecendo nossas fragilidades e pedindo sua misericórdia, que experimentamos de forma excepcional na Paixão de Jesus Cristo, seu único Filho e Senhor nosso.

A eucaristia é o lugar privilegiado, para nós que não tivemos a oportunidade de conviver com Jesus Cristo e presenciar sua misericórdia com os pecadores e enfermos, mas que cremos em sua Palavra, de participarmos sacramentalmente da Vida Divina. Libertos dos grilhões do pecado somos capazes de perceber a permanente presença de Deus em nossas vidas.

O Sacramento da penitência, por sua vez, é o lugar do encontro pessoal com Cristo em vista da reconciliação. E jesus Cristo confiou esta tarefa à sua Igreja, como que um envio a Pedro, antes de sua subida divina aos céus: “Eu te darei as chaves do Reino dos Céus; tudo o que ligares na terra, será ligado nos céus; tudo o desligares na terra, será desligado nos céus” (Mt 16,19). Desde então, a Igreja jamais deixou de convidar os homens e as mulheres à conversão e a manifestarem a vitória de Cristo sobre o pecado pela celebração da Penitência. O sacerdote, na pessoa de Cristo, acolhe o penitente arrependido, que corre aos braços do Pai como filho pródigo (Lc 15,11ss), e resgata a dignidade concedendo-lhe, pelo poder de Cristo, o perdão dos pecados.

Em vista de possibilitar o acesso de todos quantos queiram a confissão, reservamos, todos os anos, por este tempo, uma noite em cada Paróquia da Região Menino Deus para este fim, com a presença de diversos Padres. Em nossa Paróquia, esta noite está marcada para o dia 13 de abril , quarta-feira, a partir da 19h, nas capelas: Sant’Ana, São Francisco, Santa Maria e Igreja Matriz. No ensejo, informo que aos dias de quarta-feira, estou disponível para ouvir confissões.

Benevides, 08 de Abril de 2011

 

Padre Sebastião Nazaré Antero

Pároco da Paróquia N. Srª da Conceição

Benfica – Benevides – Pará  

Quinta Semana da Quaresma

Quinta Semana da Quaresma

07:00 Add Comment

Quinta semana da Quaresma. Jesus, água viva para a sede do mundo, luz que ilumina nossas trevas, vida plena que vence a morte! Com a Samaritana e com o Cego de nascença, agora vamos visitar Lázaro, junto com Jesus e seus discípulos de ontem e de hoje.

Lázaro está morto (Jo 11, 1-44). É a situação mais trágica, pois morreu o amigo de Jesus. E amizade é coisa séria! Ele é amigo, mas é um mortal como os outros homens e mulheres. De fato, o ser humano é ameaçado pela morte. Não só nos momentos finais de sua caminhada terrena, mas a cada dia vivem face a face com a morte, nos riscos pessoais e na morte dos outros, mesmo quando quase nos acostumamos com a morte, noticiada exaustivamente dia a dia.

Marta que reclama pelo atraso de Jesus expressa nossa reação diante da morte de uma pessoa amada. O choro de Jesus pelo amigo morto é choro de Deus pela realidade da morte presente na humanidade e também choro diante de sua própria morte que se aproxima. A Salvação que Jesus traz deve tocar no mais fundo da realidade humana. Quando faz seu amigo voltar à vida, Jesus anuncia a completa libertação da morte. Existe esperança!

Estamos diante da Salvação em sua totalidade. Salvação é vida que vence a morte. Salvação é Ressurreição. Diante do sepulcro de onde sai Lázaro, Jesus proclama ser Ressurreição e Vida. Mas sabemos que para que tudo seja provado com clareza Jesus deverá entrar no sepulcro da morte, ser envolto em faixas como seu amigo Lázaro e ressuscitar ao terceiro dia. Cristo é para todos os homens e mulheres, feridos de morte pelo pecado, Ressurreição e Vida!

Um Retiro de cinco semanas, preparado pelo período das Cinzas, desembocando na Semana Maior ou Semana Santa, para chegarmos juntos ao Monte da Páscoa, passando pelo Monte das Oliveiras e pelo Monte Calvário. Peregrinos da Páscoa, recolhemos alegrias e esperanças, dores e angústias pelas estradas da vida, para tudo conduzir à manhã alegre da Ressurreição. Recolha toda a sua boa vontade para viver os últimos dias de Retiro com a mesma disposição dos primeiros dias.

LEITURAS DA SEMANA

DIA 10 DE ABRIL, Quinto Domingo da Quaresma
"No Senhor, toda graça e redenção".
Ez 37, 12-14; Sl 129; Rm 8, 8-11; Jo 11, 1-44

DIA 11 DE ABRIL, Segunda-Feira da Quinta Semana da Quaresma
"Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei, estais comigo".
Dn 13, 1-9. 15-17. 19-30. 33-62.; Sl 22; Jo 8, 1-11

DIA 12 DE ABRIL, Terça-Feira da Quinta Semana da Quaresma
"Ouvi, Senhor, escutai minha oração e chegue até vós meu clamor".
Nm 21, 4-9; Sl 101; Jo 8, 21-30

DIA 13 DE ABRIL, Quarta-Feira da Quinta Semana da Quaresma
"A vós louvor, honra e glória eternamente!"
Dn 3, 14-95; Dn 3; Jo 8, 31-42

DIA 14 DE ABRIL, Quinta-Feira da Quinta Semana da Quaresma
"O Senhor se lembra sempre da Aliança".
Gn 17, 9-15; Sl 104; Jo 8, 51-59

DIA 15 DE ABRIL, Sexta-Feira da Quinta Semana da Quaresma
"Ao Senhor eu invoquei na minha angústia e ele escutou a minha voz".
Jr 20, 10-13; Sl 17; Jo 10, 31-42

DIA 16 DE ABRIL, Sábado da Quinta Semana da Quaresma
"O Senhor nos guardará qual pastor a seu rebanho".
Ez 37, 21-28; Jr 31; Jo 11, 45- 56

ORAÇÃO

"Verdadeiro homem, Jesus chorou o amigo Lázaro. Deus vivo e eterno, ele o ressuscitou, tirando-o do túmulo. Compadecendo-se da humanidade, que jaz na morte do pecado, por seus sagrados mistérios ele nos eleva ao Reino da vida nova. Enquanto esperamos a glória eterna, com os anjos e todos os santos, nós vos aclamamos! (Missal Romano, Prefácio do V Domingo da Quaresma, Ano A).

 Dom Alberto Taveira Corrêa

O comentário à Palavra

O comentário à Palavra

06:00 Add Comment

Na semana passada, forneci ao leitor-internauta o endereço de um site que distribui, gratuitamente, em dez idiomas, o Evangelho do dia. O site é www.evangelhoquotidiano.org e, junto com o texto sagrado, vem um comentário. Julguei oportuno, esta semana, publicar um exemplo daquilo que anunciei, a fim de que, quem não tem internet, possa ter a dimensão da beleza de um serviço gratuito, que ajuda a divulgar a Palavra do Senhor.

O Evangelho que vamos ler, neste domingo, fala da atitude de Jesus, diante da morte de seu querido amigo Lázaro. O texto sagrado é apresentado por São João e o comentário que o site oferece vem assinado por São Pedro Crisólogo (406 ?-450), bispo de Ravena, Doutor da Igreja. Ele foi publicado na obra Sermão 64, PL 52, 379 (a partir da trad. da col. Ichtus, vol. 12, p. 279 rev.), com o título "Então Jesus começou a chorar". Este é comentário:

"Ao ver Maria chorar, e os judeus que a acompanhavam a chorar também, Jesus suspirou profundamente e comoveu-Se". Maria chora, choram os judeus, o próprio Cristo chora. Crês tu que sentem todos a mesma tristeza? Maria, irmã do morto, chora porque não pôde conservar o seu irmão nem afastar a morte; por mais que estivesse convencida da ressurreição, a perda do seu único amparo e a ideia da sua cruel ausência, mais a tristeza da separação inevitável, fazem-na desfazer-se em lágrimas que ela não consegue suster. Por muito grande que seja a nossa fé, a implacável ideia da morte não pode deixar de tocar-nos e transtornar-nos; por isso, choravam também os judeus, porque se lembravam da sua condição mortal e desesperavam da eternidade. Nenhum mortal pode deixar de chorar perante a morte.

Mas qual destas tristezas foi a de Cristo? Nenhuma? Então porque chora Ele, que dissera: "Lázaro morreu, [...] e Eu estou contente"? E eis que derrama lágrimas como os mortais Aquele que, ao mesmo tempo, derrama sobre eles uma vez mais o Espírito que dá a vida! Assim é o homem, irmãos, que tanto sob o efeito da alegria, como da tristeza, desata em lágrimas. Cristo não chorou por causa da desolação da morte, mas por causa da lembrança da alegria, Ele a cuja palavra, à Sua palavra, ressuscitarão os mortos para a vida eterna (Jo 12, 48). Como podia Cristo chorar por fraqueza humana, quando o Pai que está nos céus chora o filho pródigo, não quando ele sai de casa, mas quando regressa (Lc 15, 20)? É por isso que Ele permite que Lázaro morra, para que, ao ressuscitá-lo, se manifeste a Sua glória; permitiu que o Seu amigo descesse à mansão dos mortos para que Deus aparecesse e o resgatasse dos infernos. 

João Carlos Pereira, jcparis@orm.com.br

Quaresma e ressurreição

Quaresma e ressurreição

07:00 Add Comment

Ao receber as cinzas na cabeça, no primeiro dia da Quaresma, o católico reconhece que é pecador e que a sua vida é finita na dimensão humana. A promessa de uma vida infinita é oferecida por Jesus Cristo, Filho de Deus, que comprova a sua autoridade ao ressuscitar dos mortos; embora, a priori, isso possa ir de encontro à razão humana. Contudo, é plenamente viável por meio da Fé em Cristo - Vivo e Ressuscitado - desde que haja reflexões lúcidas e profundas nas Escrituras Sagradas, na Sagrada Tradição e no Magistério da Igreja Católica para que os conflitos com o pensamento humano mais exigente sejam efetivamente superados.

O desdobramento desse processo (Quaresma/Ressurreição) passa por caminhos que, em nossos dias, estão sendo evitados por pessoas do clero, religiosos e missionários católicos, tais como pecado, inferno, purgatório e Satanás. O mais preocupante são os desvios no tocante ao Cristo Redentor - Vivo e Ressuscitado de corpo, alma e espírito, tal como os evangelistas prescrevem. Os pecados cada vez se tornam de menor gravidade; o inferno é desconversado e muito mais ainda o purgatório, que por esse enfoque devem estar vazios; Satanás é um personagem da linguagem figurada, quase mitológico. Esta é, lamentavelmente, a visão do "católico moderno", que apesar de ressaltar o que as pessoas gostam de ouvir - Deus é misericordioso, Deus é amor, Deus é bom; que não deixam de ser verdades, mas não é toda a Verdade. Tais afirmações individualizadas podem se tornar pretextos para o relativismo e para a indiferença. Tanto que nas missas em sufrágio de uma alma, por vezes, o celebrante afirma precipitadamente que a alma do morto já está no céu. Já participei de missa de sétimo dia em que o celebrante pediu a intercessão do morto para as orações - isso é incompreensível pela Doutrina da Igreja Católica. A Salvação, de qualquer forma, é graça, não é mérito nosso; daí por que podemos ou não aceitá-la, acolhê-la. A verdade completa sobre o Deus da Bíblia, o Deus de Jesus Cristo, evidencia claramente que não é um Deus que aceita tudo. É um Deus que luta contra o mau e por isso deve também punir como juiz para fazer justiça. "O aspecto do juízo, da punição, da cólera de Deus não deve desaparecer da nossa fé", conforme afirmou o então cardeal Ratzinger, que também exorta que hoje deve ser anunciado o único Deus, o Deus que fez o céu, a terra e o mar, e reina sobre a História. Hoje, também, tem que haver arrependimento para que exista salvação.

A realidade é que no período Quaresma/Ressurreição as palavras-chave são conversão e penitência. A conversão é um processo contínuo que não deve ser interrompido nesta vida. Dia após dia temos de lutar contra o mal que existe em nós mesmo, tanto quanto o que existe em volta de nós. Também temos de lutar contra os hábitos que escravizam o cristão, tais como os sete pecados capitais, preconceitos para com o próximo (simpatias e antipatias), a busca desordenada do poder e do dinheiro, a autocomplacência, o amesquinhamento e a resignação, a agressividade e a prepotência. Dia após dia temos de descer do trono e buscar aprender o caminho de Jesus, despojando-nos de nossas seguranças, não decidir sozinho o que significa ser cristão, mas aprender da Igreja e deixar-nos conduzir por ela. Dia após dia temos que aprender e reaprender a suportar na caridade os outros como eles nos suportam.

Enfim, o que realmente evidencia viver os preceitos da Quaresma a fim de colher frutos inefáveis de alegria da Ressurreição de Cristo no Domingo de Páscoa? A resposta é complexa, mas uma coisa é certa: Os que tiverem confiança no Amor de Deus e a coragem de não desistir da luta em dizer "não" ao mal para servir ao bem derivado dos Evangelhos, por certo, experimentarão uma grande alegria, porque se tornarão "novas criaturas", libertas de orgulho, egoísmo, desamor e prontas para amar e perdoar o próximo, tanto quanto a si mesmas. Além disso, se descobrirem o poder infalível do Amor que procede de Deus para vencer todo mal que está no pecado e na tentação do Maligno, ressurgirão renovados com o Cristo Ressuscitado no Domingo de Páscoa. 

João Frutuoso Dantas, jfdantas@ufpa.br

fonte: Jornal Voz de Nazaré

NOTA DO ARCEBISPO DO RIO SOBRE O ATENTADO NA ESCOLA TASSO FRAGOSO DA SILVEIRA

NOTA DO ARCEBISPO DO RIO SOBRE O ATENTADO NA ESCOLA TASSO FRAGOSO DA SILVEIRA

19:08 Add Comment

O Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, divulgou uma nota lamentando o atentado à Escola Municipal Tasso Fragoso da Silveira, na capital fluminense.

Segue abaixo a Nota:

O atentado a tiros contra alunos, alunas, funcionários e outras pessoas, agora pela manhã, na Escola Municipal Tasso Fragoso da Silveira, em Realengo, zona oeste de nossa cidade, que resultou também em mortos e com a consequente morte do atirador, feriu não só aqueles que foram atingidos, mas também a todos os cariocas.

Como Pastor desta Arquidiocese, lamento profundamente o acontecido, rezo e uno-me à dor de todos que foram vitimados,  pais, familiares e amigos. Peço ao Senhor Jesus, neste tempo de Quaresma, que a todos conforte e envio também uma bênção especial, pedindo a Deus que tal fato não volte a acontecer em nossa cidade.

Rio de Janeiro, 7 de abril de 2011

Dom Orani João Tempesta

Arcebispo do Rio de Janeiro

Jornal Voz de Nazaré – Edição de 08/04 a 14/04/2011

Jornal Voz de Nazaré – Edição de 08/04 a 14/04/2011

18:50 Add Comment

Vejam os destaques dessa semana do jornal Voz de Nazaré, edição de 08 a 14 de abril de 2011, ANO XCVII N° 453.

Jesus mostra caminho santo

Alguns acreditam que começou no Coliseu de Roma, por volta do século XIV, quando São Leopoldo de Porto Maurício, pensando nos cristãos que não podiam peregrinar até os locais da paixão e morte de Jesus Cristo na Terra Santa, deu início ao exercício espiritual chamado Via Sacra. Outros dizem que a origem se deu….

Frei assume Itaituba
Dia 19 de março foi a data em que o frei Wilmar Santin, bispo eleito para Itaituba, recebeu a ordenação episcopal. O presbítero, que assumirá a missão de Dom Frei Capistrano Francisco Heim na diocese, escolheu sua cidade natal de Paranavaí, no Paraná, como o local da celebração; o motivo é especial, ele será o primeiro religioso da diocese…

Casais de Cristo fazem reflexões sobre o serviço Um

Encontro do Conselho Regional Norte II do ECC (Encontro de Casais com Cristo) reúne casais diocesanos e prelatícios com o objetivo de formação. Os casais se reuniram durante o último final de semana na Paróquia de Santa Cruz…

Mar Adentro avança na evangelização
A comunidade católica Mar Adentro adquiriu um barco para o trabalho de evangelização nas ilhas de Belém. Dia 2 de abril, às 10h, no Iate Clube, houve a bênção do veículo pelo monsenhor Raimundo Possidônio. Estavam presentes o fundador da comunidade, Antônio Dilben, o formador oficial…

Estás e outras notícias você acompanha no Jornal Voz de Nazaré, 97 anos a serviço da vida.

Eu sou a luz do mundo

Eu sou a luz do mundo

07:00 Add Comment

Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Ao professar a fé cristã, os homens e mulheres de nosso tempo nele descobrem a fonte de vida e de graça e ao mesmo tempo a referência para o comportamento nas diversas circunstâncias. Ele passou fazendo o bem, tem palavras "de vida eterna", expressa os sentimentos humanos de forma inigualável, acolhe crianças, enfermos, pecadores de todos os tipos, visita, dialoga, cura, ama. Ninguém passa em vão ao seu lado.

Durante a vida pública, Jesus esteve algumas vezes em Jerusalém, sendo a última delas para sua entrega definitiva, quando deu livremente sua vida para morrer e ressuscitar. O Evangelho de São João descreve magistralmente o clima da última e definitiva viagem. Jesus vai a Jerusalém e participa de festas rituais dos judeus (Jo 7-12) e permanece nos arredores da cidade santa. O clima é tenso e o leitor se sente envolvido num verdadeiro tribunal, montado para condenar a Jesus. Interferem testemunhas, o próprio Senhor chama em causa as obras realizadas e a ação do Pai do Céu, o seu Pai. "O Pai e eu somos um!" (Jo 10, 30). O conflito está armado! Sua visita a Betânia, quando faz voltar à vida seu amigo Lázaro, será o cume e desencadeará a decisão de levá-lo à morte (Jo 11, 47-57)

É neste ambiente que Jesus conta a parábola do Bom Pastor, acolhe com misericórdia a mulher adúltera, proclama-se Luz do mundo, cura o cego de nascença, vai duas vezes a Betânia e entra triunfalmente em Jerusalém.

Acompanhemos Jesus em seu encontro com o Cego de nascença (Jo 9, 1-41). Perto do cego estão seus pais, aparecem os fariseus que representam os verdadeiros cegos que não querem ver, os discípulos, os vizinhos e a opinião do povo que testemunhou o milagre. O enfermo não pede nada. É Jesus que "vê" o cego de nascença. Os discípulos tomam a palavra, com a pergunta sobre o sofrimento, mas o cego está calado. Mesmo se a mentalidade corrente liga a cegueira do homem ao pecado, Jesus mostra que ela indica a situação humana. Todos nós somos cegos desde o nascimento, todos somos doentes e de tal forma que nem temos força para invocar quem pode salvar-nos.

É o médico que toma a iniciativa. Seus gestos remontam à primeira criação. Volta à cena a terra e o barro da criação do mundo. Para que o ser humano possa ver, é necessária uma recriação! E Jesus manda o homem se lavar, e este obedece, diferente de Adão, que desobedeceu. O homem que antes não conhecia Jesus vive seu ato de fé. Dele nasce a sabedoria que vem do alto, pois sabe dar glória a Deus com suas palavras e com a adoração. Com esta sabedoria, ele responde às interrogações das autoridades. Quem dá glória a Deus e adora "sabe diferente".

A humanidade, representada pelas pessoas envolvidas nos acontecimentos, onde o "pecado do mundo" se manifesta, procura uma resposta para o mistério da cegueira e do mal, o mistério do pecado. Existe uma ignorância coletiva representada pelo próprio cego, seus familiares e outros que o conheciam. Mas existe também a ignorância dos que não querem ver. Querem culpar uns e outros, sem saber se é pessoal ou coletiva a responsabilidade pelo mal do mundo! Só o encontro pessoal com Jesus Cristo pode iluminar a situação e libertar do pecado pessoal e comunitário. Acreditando em Jesus Cristo, luz do mundo, o cristão se torna filho da Luz, neutraliza com sua vida o pecado do mundo e pode irradiar nas trevas desse mundo a luz da verdade!

É pouco a pouco que o cego de nascença e todos os cegos, entre os quais nos incluímos, conhecem Jesus. Primeiro é reconhecido como homem (Jo 9, 11), depois como profeta (Jo 9, 17) e enfim como Messias (Jo 9, 36-38). Na palavra e nas ações de Jesus, na sua pessoa, encontramos a salvação pessoal e coletiva da cegueira que envolve a humanidade. Jesus salva sendo a Luz do mundo!

Até hoje nos deparamos com situações conflitivas e tocamos nas bordas do impossível, mesmo com todos os recursos oferecidos pela ciência e pela técnica. De um lado, aprendemos muito quando levados a acolher os próprios limites. Nem sempre temos soluções para tudo e nem por isso somos fadados à infelicidade. Mas as interrogações são mais profundas quando tocam no sentido da vida. Só no encontro pessoal com Jesus Cristo homem, profeta, Messias, Filho de Deus, Salvador, é que os olhos se abrirão para a luz da verdade. Não há que temer apresentar-lhe todos os nossos questionamentos, dos quais não tem medo. As soluções para o impossível não serão mágicas, mas profundamente humanas e magnificamente divinas! 

Dom Alberto Taveira Corrêa, domalberto@fundacaonazare.com.br

Quarta semana da Quaresma

Quarta semana da Quaresma

07:00 Add Comment

O Batismo é iluminação, Cristo é luz do mundo!

Na quarta semana da Quaresma e de nosso Retiro Popular em preparação para a Páscoa, encontramos Jesus, acompanhados pelo Cego de nascença (Jo 9, 1-41). Seu encontro com Cristo se realiza junto com outras pessoas. Perto do cego estão seus pais, aparecem os fariseus que representam os verdadeiros cegos que não querem ver, os discípulos, os vizinhos e a opinião do povo que testemunhou o milagre.

Há uma apresentação da humanidade envolvida nos acontecimentos, onde o "pecado do mundo" se manifesta. Procura-se uma resposta para o mistério da cegueira e do mal, o mistério do pecado. Existe uma ignorância coletiva representada pelo próprio cego, seus familiares e outros que o conheciam. Mas existe também a ignorância dos que não querem ver. Querem culpar uns e outros, sem saber se é pessoal ou coletiva a responsabilidade pelo mal do mundo!

Só o encontro pessoal com Jesus Cristo pode iluminar a situação e libertar do pecado pessoal e comunitário. Acreditando em Jesus Cristo, luz do mundo, o cristão se torna filho da Luz, neutraliza com sua vida o pecado do mundo e pode irradiar nas trevas desse mundo a luz da verdade!

É pouco a pouco que o cego conhece Jesus. Primeiro é reconhecido como homem (Jo 9, 11), depois como profeta (Jo 9, 17) e enfim como Messias (Jo 9, 36-38). Na palavra e nas ações de Jesus, na sua pessoa, encontramos a salvação pessoal e coletiva da cegueira que envolve a humanidade. Jesus salva sendo a Luz do mundo!

Na Quarta Semana de Retiro, você já sabe fazer a leitura orante da Palavra de Deus. Mas retome sempre o roteiro proposto na introdução ao Retiro. Não se esqueça de que nossa escolha do Retiro Popular exige um tempo diário dedicado à oração com a Bíblia. Há muitas pessoas percorrendo com você esta estrada. Converse com familiares e vizinhos que fazem este Retiro, escutando as experiências de oração e vida.

O gesto penitencial da semana é acender a luz! Sim, contribuir de alguma forma para que outra pessoa conheça mais Jesus Cristo. Alguém precisa ganhar uma Bíblia? Você pode ter sido a pessoa escolhida para dar este presente. Na Paróquia estão convocando pessoas para se prepararem à missão de catequistas? Quem sabe tenha soado a sua hora de aprender mais para ajudar no crescimento dos outros! Esta pode ser uma semana de respostas a muitas interrogações! Leia, pergunte, converse com as pessoas. Está vendo como o Retiro Popular pede também conversa? Mas deverá ser fruto do tempo pessoal de oração.

LEITURAS

Dia 3 de Abril, Quarto Domingo da Quaresma
"O Senhor é o pastor que me conduz, não me falta coisa alguma"
1 Sm 16, 1-13; Sl 22; Ef 5, 8-14; Jo 9, 1-41

Dia 4 de Abril, Segunda-Feira da Quarta Semana da Quaresma
"O Senhor é minha luz e salvação"
Is 65, 17-21; Sl 29; Jo 4, 43-54

Dia 5 de Abril, Terça-Feira da Quarta Semana da Quaresma
"Conosco está o Senhor do Universo! O nosso refúgio é o Deus de Jacó"
Ez 47, 1-12; Sl 45; Jo 5, 1-16

Dia 6 de Abril, Quarta-Feira da Quarta Semana da Quaresma
"Misericórdia e piedade é o Senhor"
Is 49,8-15; Sl 144; Jo 5,17-30

Dia 7 de Abril, Quinta-Feira da Quarta Semana da Quaresma
"Lembrai-vos de nós, ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo"
Ex 32,7-14; Sl 105; Jo 5,31-47

Dia 8 de Abril, Sexta-Feira da Quarta Semana da Quaresma
"Do coração atribulado está perto o Senhor"
Sb 2, 1-22; Sl 33; Jo 7, 1-2.10.25-30

Dia 9 de Abril, Sábado da Quarta Semana da Quaresma
"Senhor meu Deus, em vós procuro o meu refúgio"
Jr 11, 18-20; Sl 7; Jo 7, 40-53

ORAÇÃO

"Pelo mistério da encarnação, Jesus conduziu à luz da fé a humanidade que caminhava nas trevas. E elevou à dignidade de filhos e filhas os escravos do pecado, fazendo-os renascer nas águas do Batismo. Por esta razão, com os anjos e com todos os santos, entoamos um cântico novo, para proclamar vossa bondade." (Missal Romano, Prefácio do IV Domingo da Quaresma, Ano A) 

Dom Alberto Taveira Corrêa

O cego de nascença e a Luz de Deus

O cego de nascença e a Luz de Deus

07:00 Add Comment

Evangelho do 4º Domingo da Quaresma
João 9, 1-41  

No 4º Domingo da Quaresma o Evangelho relata que Jesus encontra um cego de nascença e os apóstolos perguntam-Lhe: - Quem foi que pecou para este homem ter nascido cego? Ele, ou os seus pais?  Jesus lhes respondeu: - Nem pecou ele, nem os seus pais, mas isto aconteceu para nele se manifestarem as obras de Deus. Temos de realizar as obras daquele que me enviou enquanto é dia. Vem aí a noite em que ninguém pode atuar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo.

Dito isto, cuspiu no chão, fez lama com a saliva, ungiu os olhos do cego com a lama e disse-lhe: - Vai, lava-te na piscina de Siloé, que quer dizer Enviado. Ele foi, lavou-se e então o cego que nunca viu passa a enxergar.

Assim, nesse maravilhoso milagre de Jesus, cumpriam-se também as profecias sobre Aquele que viria, e daria vista aos cegos, audição aos surdos e fala aos mudos. Aquele que faria paralíticos andar e mortos ressuscitar. O tão esperado Enviado de Deus que resgataria o seu povo.

A cura milagrosa que Jesus efetuou a esse cego de nascença, igualmente despertou a indignação dos inimigos de Jesus com respeito a esse milagre. Os fariseus, que se consideravam superiores a outros, exclusivistas no reino de Deus, rejeitam Jesus como o Messias todo-poderoso, como o Filho de Deus e Salvador; rejeitam igualmente o milagre da cura efetuada ao cego, bem como o próprio cego.

Ainda hoje, muitos, quantos até mesmo entre os que se denominam cristãos, se identificam intimamente com os fariseus do tempo de Jesus. Muitos não reconhecem seu estado de pecadores perdidos e condenados, não sentem a necessidade de um Salvador em suas vidas; continuam em trevas espirituais e rumando para a perdição eterna.

O cego do Evangelho é um símbolo de todos os homens e mulheres que vivem na escuridão, privados da 'luz', prisioneiros dessas cadeias que os impedem de chegar à plenitude da vida.

Os inimigos de Jesus apresentam traços da verdadeira cegueira, que realmente afeta o ser humano e o destrói - a cegueira espiritual. Não reconhecem a enfermidade que os corrói; não vêem necessidade de cura de seu mal e rejeitam o Único que lhes pode curar, Jesus Cristo.

A missão de Jesus é aqui apresentada como criação de um Homem Novo.

Deus criou o homem para ser livre e feliz; mas o egoísmo, o orgulho, a auto-suficiência, dominaram o coração do homem, prenderam-no num esquema de 'cegueira' e frustraram o projeto de Deus. A missão de Jesus é destruir essa "cegueira", libertar o homem e fazê-lo viver na 'luz'. Trata-se de uma nova criação.

Assim, da ação de Jesus irá nascer um Homem Novo, libertado do egoísmo e do pecado, vivendo na liberdade, a caminho da vida em plenitude.

A cura do cego de nascença nos toca de perto, porque em certo sentido todos somos cegos de nascença. O próprio mundo nasceu cego.

Ver é um milagre, só que não lhe damos atenção porque estamos acostumados. Eis aí então que Deus às vezes atue de forma repentina, extraordinária, a fim de sacudir-nos de nosso supor e tornar-nos atentos. É o que fez na cura do cego de nascença e de outros cegos no Evangelho.

O cego do Evangelho crê; adora o Salvador Jesus, testemunha do seu grande amor. O amor de Jesus fez nascer no coração do ex-cego uma resposta: gratidão, adoração e testemunho.   

Que Deus continue nos enriquecendo com a sua graça de modo que possamos também responder ao Seu amor com a nossa vida de gratidão, serviço e testemunho. 

Raul Monteiro, raulmont_72@hotmail.com

fonte: Jornal Voz de Nazaré

Jornal Voz de Nazaré – Edição de 01/04 a 07/04/2011

Jornal Voz de Nazaré – Edição de 01/04 a 07/04/2011

11:39 Add Comment

Vejam os destaques dessa semana do Jornal Voz de Nazaré, edição de 01 a 07 de abril de 2011 - ANO XCVII N° 452. 

Vida de Cristo nos palcos

Vida, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo são encenadas todos os anos por diversos grupos de teatro, de todos os lugares do mundo. Em Belém, não é diferente. Diversas companhias amadoras já preparam o espetáculo que mostra a grande prova do amor do...

Auxiliares como amigos
"Que seja bem-vindo". Esse é o desejo de Dom Vicente Zico, Arcebispo Emérito de Belém, ao monsenhor Teodoro Tavares Mendes, o novo bispo auxiliar da Arquidiocese. Ele como ninguém sabe bem a importância do auxílio pastoral para a vida da Igreja...

 

Misericórdia reúne 500 fiéis
O padre Jan Sopick, sac, do Rio de Janeiro, veio a Belém para participar do II Congresso Arquidiocesano da Divina Misericórdia. Ele fez uma palestra sobre o tema do encontro deste ano "A missão da Igreja é Anunciar o Amor Misericordioso de Deus", que é...

 

Um golpe na limpeza eleitoral
Seis votos a cinco. Esse foi o resultado da votação no Supremo Tribunal Federal (STF), dia 23 de março, que anulou a validade da lei da Ficha Limpa nas eleições de 2010. A decisão do Supremo é que a lei não poderia ser aplicada na eleição do ano...

 

Risco nuclear na terra
Energia nuclear: uma alternativa ou risco? Uma discussão antiga e importante para o futuro do planeta e que surge exatamente durante a Campanha da Fraternidade 2011, que propõe o uso de "fontes limpas" de energia. Em meio à discussão em torno do aquecime

 

“O que Cristo veio fazer aqui?”
"A resposta está em Jo 10,10: 'Eu vim para que tenham a vida e a tenham em abundância'. Que vida Ele veio trazer? A vida da graça ou divina, perdida por Adão e Eva, no Gênesis, 3,15, quando começou o pecado original" (Pe. Albuquerque)...

Estás e outras noticias você ler no Jornal Voz de Nazaré, 97 anos a serviço da Vida.