Quaresma: aspectos simbólicos e pastorais

07:59
  • Cor roxa – tem sentido penitencial. No 4º domingo, porém, por ser considerado domingo da alegria, pode-se usar a cor rosa.
  • Imposição das cinzas – na bíblia, como na maioria das religiões antigas, as cinzas simbolizam a insignificância humana. Diante de Deus, o ser humano é frágil e pecador. Por isso, a liturgia das cinzas, na quarta-feira, lembra aos fiéis sua condição de criaturas pecadoras e a necessidade de conversão.
  • Celebração penitencial – a comunidade reúne-se para ouvir a palavra de Deus, que convida à conversão e anuncia a nossa libertação do pecado pela morte e ressurreição de Cristo. O Ritual da Penitencia propõe dois esquemas de celebração penitencial adequados ao tempo da Quaresma.
  • Sacramento da reconciliação – além das celebrações penitenciais, nem sempre acompanhadas do sacramento da reconciliação, a Igreja incentiva a prática da confissão sacramental. É ocasião favorável para o discípulo de Cristo voltar-se para Deus. Esta conversão interior, que compreende o arrependimento do pecado e o propósito de uma vida nova, expressa-se “pela confissão feita à Igreja, pela necessária satisfação e pela mudança de vida” (ritual da Penitência, n 6).
  • Jejum – o jejum é prescrito para a quarta-feira de cinzas. Nos outros dias, cada pessoa pode oferecer a Deus, com a inspiração do Espírito Santo, a penitência que se impõe. Entretanto, os atos exteriores (jejuar, por exemplo) devem ter íntima relação com a conversão interior. Seria inútil a pessoa abster-se de alimentos, e não se empenhar para melhorar seu relacionamento com Deus e com o próximo.
  • Oração – os cristãos são convidados a intensificar a oração pessoal e comunitária, como expressão de intimidade com Deus  e o desejo profundo de realizar a sua vontade.
  • Prática da caridade – os fiéis são incentivados, pelas diversas orações, à prática da justiça e do amor fraterno. O 3º prefácio da Quaresma convida-nos a quebrar nosso orgulho e imitar a misericórdia de Deus, repartindo o pão com os necessitados.
  • Palavra de Deus – a igreja oferece um verdadeiro “banquete” de textos bíblicos apropriados à quaresma, e incentiva os fiéis a ouvir com mais freqüência a Palavra de Deus.
  • Cantos adequados – usar, de preferência, cantos inspirados nos textos bíblicos e litúrgicos. É vasto o repertório de músicas e cantos propostos pela Conferência Nacional dos Bispos.
  • Ausência do Aleluia – durante a quaresma, a Igreja deixa de proclamar o Aleluia, para entoá-lo solenemente na vigília pascal, enfatizando assim a importância e o caráter festivo da Páscoa.
  • Instrumentos musicais – os instrumentos musicais são permitidos apenas para sustentar o canto.
  • Flores – pede-se descrição quanto ao uso de flores no espaço celebrativo. Essa ausência de decoração, na Quaresma, tem a finalidade de recordar o tempo de penitência e de caminhada para a solene celebração da Páscoa.   

Compartilhe

Fundada no ano de 1758 no Distrito de Benfica, Município de Benevides, Estado do Pará. Administração: Pe. Saul Muniz, mps

Posts Relacionados

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »