Primeiro seminário sobre comunicação para os Bispos do Brasil

Primeiro seminário sobre comunicação para os Bispos do Brasil

10:56 Add Comment

Fonte: Canção Nova

O 1º Seminário de Comunicação para os Bispos do Brasil já tem data marcada. Será entre os dias 12 e 16 de julho. no Centro de Estudos do Sumaré. no Rio de Janeiro e terá a presença do presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, Dom Maria Celli, e de representantes das principais emissoras de TV e Rádios Católicas do país.
Organizado pelo Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Arquidiocese do Rio, o evento tem por objetivo oferecer um espaço de reflexão e debate sobre o fenômeno da comunicação, a evolução de seus fundamentos e a natureza de suas práticas. Também apresentar os desafios que esse fenômeno traz para a Pastoral da Comunicação, em particular, e ainda, para a Igreja em geral.

O Arcebispo do Rio de Janeiro e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Educação, Cultura e Comunicação Social da CNBB, Dom Orani João Tempesta, em carta-convite enviada aos bispos do Brasil, destacou as mídias sociais como ferramentas fundamentais para o anúncio da Palavra de Deus.

“Atrás de nossas mídias estão milhares de pessoas que estão empenhadas, até mesmo com suas próprias vidas, para que a Palavra de Deus seja anunciada e Cristo seja ainda mais conhecido por todos. Tenho certeza de que a missão dos nossos comunicadores fez com que a imagem pública da Igreja diante da sociedade fosse ainda mais trabalhada com a verdade para ser ainda melhor conhecida diante de tantas situações midiáticas modernas, sublinha o arcebispo no texto.

Preparação para beatificação de João Paulo II

21:05 Add Comment

João-Paulo-II A região italiana do Lácio já está se preparando para receber os peregrinos que vão estar presentes na cerimônia de beatificação do Papa João Paulo II, no próximo dia 1º de maio, segundo as autoridades locais.

A presidente da região, Renata Polverini, informou que já estão sendo providenciados "dois campus para hospedar os jovens". Ela acrescentou que, na próxima quarta-feira, haverá uma reunião com autoridades políticas das províncias e cidades do Lácio, a fim de preparar o acolhimento dos peregrinos.

A cerimônia será presidida por Bento XVI e se realizará no primeiro domingo depois da Páscoa, dia em que se celebra a Divina Misericórdia, celebração instituída pelo próprio João Paulo II.

A beatificação de João Paulo II será proclamada apenas seis anos após sua morte ocorrida no dia 2 de abril de 2005. Para iniciar o processo de beatificação, Bento XVI abriu mão das exigências do Código de Direito Canônico, que preveem um prazo de cinco anos para que o processo tenha início.

Em 13 de maio de 2005, poucas semanas depois de ter sido eleito pontífice, o Papa Ratzinger anunciou sua decisão de permitir a imediata instauração do processo canônico de Karol Wojtyla.

Fonte: Rádio Vaticano

Internet deve estar a serviço da pessoa

Internet deve estar a serviço da pessoa

10:39 Add Comment

Apresentamos a mensagem de Bento XVI para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, divulgada segunda-feira, 24 de janeiro de 2011, pelo Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais, por ocasião da festa de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas católicos.

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Verdade, anúncio e autenticidade de vida, na era digital

Queridos irmãos e irmãs!

Por ocasião do XLV Dia Mundial das Comunicações Sociais, desejo partilhar algumas reflexões, motivadas por um fenómeno característico do nosso tempo: a difusão da comunicação através da rede internet. Vai-se tornando cada vez mais comum a convicção de que, tal como a revolução industrial produziu uma mudança profunda na sociedade através das novidades inseridas no ciclo de produção e na vida dos trabalhadores, também hoje a profunda transformação operada no campo das comunicações guia o fluxo de grandes mudanças culturais e sociais. As novas tecnologias estão a mudar não só o modo de comunicar, mas a própria comunicação em si mesma, podendo-se afirmar que estamos perante uma ampla transformação cultural. Com este modo de difundir informações e conhecimentos, está a nascer uma nova maneira de aprender e pensar, com oportunidades inéditas de estabelecer relações e de construir comunhão.

Aparecem em perspectiva metas até há pouco tempo impensáveis, que nos deixam maravilhados com as possibilidades oferecidas pelos novos meios e, ao mesmo tempo, impõem de modo cada vez mais premente uma reflexão séria acerca do sentido da comunicação na era digital. Isto é particularmente evidente quando nos confrontamos com as extraordinárias potencialidades da rede internet e a complexidade das suas aplicações. Como qualquer outro fruto do engenho humano, as novas tecnologias da comunicação pedem para ser postas ao serviço do bem integral da pessoa e da humanidade inteira. Usadas sabiamente, podem contribuir para satisfazer o desejo de sentido, verdade e unidade que permanece a aspiração mais profunda do ser humano.

No mundo digital, transmitir informações significa com frequência sempre maior inseri-las numa rede social, onde o conhecimento é partilhado no âmbito de intercâmbios pessoais. A distinção clara entre o produtor e o consumidor da informação aparece relativizada, pretendendo a comunicação ser não só uma troca de dados, mas também e cada vez mais uma partilha. Esta dinâmica contribuiu para uma renovada avaliação da comunicação, considerada primariamente como diálogo, intercâmbio, solidariedade e criação de relações positivas. Por outro lado, isto colide com alguns limites típicos da comunicação digital: a parcialidade da interacção, a tendência a comunicar só algumas partes do próprio mundo interior, o risco de cair numa espécie de construção da auto-imagem que pode favorecer o narcisismo.

Sobretudo os jovens estão a viver esta mudança da comunicação, com todas as ansiedades, as contradições e a criatividade própria de quantos se abrem com entusiasmo e curiosidade às novas experiências da vida. O envolvimento cada vez maior no público areópago digital dos chamados social network, leva a estabelecer novas formas de relação interpessoal, influi sobre a percepção de si próprio e por conseguinte, inevitavelmente, coloca a questão não só da justeza do próprio agir, mas também da autenticidade do próprio ser. A presença nestes espaços virtuais pode ser o sinal de uma busca autêntica de encontro pessoal com o outro, se se estiver atento para evitar os seus perigos, como refugiar-se numa espécie de mundo paralelo ou expor-se excessivamente ao mundo virtual. Na busca de partilha, de «amizades», confrontamo-nos com o desafio de ser autênticos, fiéis a si mesmos, sem ceder à ilusão de construir artificialmente o próprio «perfil» público.

As novas tecnologias permitem que as pessoas se encontrem para além dos confins do espaço e das próprias culturas, inaugurando deste modo todo um novo mundo de potenciais amizades. Esta é uma grande oportunidade, mas exige também uma maior atenção e uma tomada de consciência quanto aos possíveis riscos. Quem é o meu «próximo» neste novo mundo? Existe o perigo de estar menos presente a quantos encontramos na nossa vida diária? Existe o risco de estarmos mais distraídos, porque a nossa atenção é fragmentada e absorvida por um mundo «diferente» daquele onde vivemos? Temos tempo para reflectir criticamente sobre as nossas opções e alimentar relações humanas que sejam verdadeiramente profundas e duradouras? É importante nunca esquecer que o contacto virtual não pode nem deve substituir o contacto humano directo com as pessoas, em todos os níveis da nossa vida.

Também na era digital, cada um vê-se confrontado com a necessidade de ser pessoa autêntica e reflexiva. Aliás, as dinâmicas próprias dos social network mostram que uma pessoa acaba sempre envolvida naquilo que comunica. Quando as pessoas trocam informações, estão já a partilhar-se a si mesmas, a sua visão do mundo, as suas esperanças, os seus ideais. Segue-se daqui que existe um estilo cristão de presença também no mundo digital: traduz-se numa forma de comunicação honesta e aberta, responsável e respeitadora do outro. Comunicar o Evangelho através dos novos midiasignifica não só inserir conteúdos declaradamente religiosos nas plataformas dos diversos meios, mas também testemunhar com coerência, no próprio perfil digital e no modo de comunicar, escolhas, preferências, juízos que sejam profundamente coerentes com o Evangelho, mesmo quando não se fala explicitamente dele. Aliás, também no mundo digital, não pode haver anúncio de uma mensagem sem um testemunho coerente por parte de quem anuncia. Nos novos contextos e com as novas formas de expressão, o cristão é chamado de novo a dar resposta a todo aquele que lhe perguntar a razão da esperança que está nele (cf. 1 Pd 3, 15).

O compromisso por um testemunho do Evangelho na era digital exige que todos estejam particularmente atentos aos aspectos desta mensagem que possam desafiar algumas das lógicas típicas daweb. Antes de tudo, devemos estar cientes de que a verdade que procuramos partilhar não extrai o seu valor da sua «popularidade» ou da quantidade de atenção que lhe é dada. Devemos esforçar-nos mais em dá-la conhecer na sua integridade do que em torná-la aceitável, talvez «mitigando-a». Deve tornar-se alimento quotidiano e não atracção de um momento. A verdade do Evangelho não é algo que possa ser objecto de consumo ou de fruição superficial, mas dom que requer uma resposta livre. Mesmo se proclamada no espaço virtual da rede, aquela sempre exige ser encarnada no mundo real e dirigida aos rostos concretos dos irmãos e irmãs com quem partilhamos a vida diária. Por isso permanecem fundamentais as relações humanas directas na transmissão da fé!

Em todo o caso, quero convidar os cristãos a unirem-se confiadamente e com criatividade consciente e responsável na rede de relações que a era digital tornou possível; e não simplesmente para satisfazer o desejo de estar presente, mas porque esta rede tornou-se parte integrante da vida humana. A web está a contribuir para o desenvolvimento de formas novas e mais complexas de consciência intelectual e espiritual, de certeza compartilhada. Somos chamados a anunciar, neste campo também, a nossa fé: que Cristo é Deus, o Salvador do homem e da história, Aquele em quem todas as coisas alcançam a sua perfeição (cf. Ef 1, 10). A proclamação do Evangelho requer uma forma respeitosa e discreta de comunicação, que estimula o coração e move a consciência; uma forma que recorda o estilo de Jesus ressuscitado quando Se fez companheiro no caminho dos discípulos de Emaús (cf. Lc 24, 13-35), que foram gradualmente conduzidos à compreensão do mistério mediante a sua companhia, o diálogo com eles, o fazer vir ao de cima com delicadeza o que havia no coração deles.

Em última análise, a verdade que é Cristo constitui a resposta plena e autêntica àquele desejo humano de relação, comunhão e sentido que sobressai inclusivamente na participação maciça nos váriossocial network. Os crentes, testemunhando as suas convicções mais profundas, prestam uma preciosa contribuição para que a web não se torne um instrumento que reduza as pessoas a categorias, que procure manipulá-las emotivamente ou que permita aos poderosos monopolizar a opinião alheia. Pelo contrário, os crentes encorajam todos a manterem vivas as eternas questões do homem, que testemunham o seu desejo de transcendência e o anseio por formas de vida autêntica, digna de ser vivida. Precisamente esta tensão espiritual própria do ser humano é que está por detrás da nossa sede de verdade e comunhão e nos estimula a comunicar com integridade e honestidade.

Convido sobretudo os jovens a fazerem bom uso da sua presença no areópago digital. Renovo-lhes o convite para o encontro comigo na próxima Jornada Mundial da Juventude em Madrid, cuja preparação muito deve às vantagens das novas tecnologias. Para os agentes da comunicação, invoco de Deus, por intercessão do Patrono São Francisco de Sales, a capacidade de sempre desempenharem o seu trabalho com grande consciência e escrupulosa profissionalidade, enquanto a todos envio a minha Bênção Apostólica.

Vaticano, Festa de São Francisco de Sales, 24 de Janeiro de 2011.

Hora de ajudar

Hora de ajudar

00:21 Add Comment

Em Belém, a campanha SOS Rio, uma parceria entre a CNBB e a Cruz Vermelha, embasada na caridade e no desejo em ajudar o próximo, está mobilizando a população a doar alimentos, água potável, roupas e materiais de limpeza e higiene para as vitimas das enchentes no Rio de Janeiro, até o dia 30 deste mês.

Janeiro de 2011 será um mês que não será esquecido por muitos brasileiros, em especial pelos cariocas. A região serrana da cidade maravilhosa viveu um período marcado por inúmeras perdas. Muitos virão suas casas, seus bens e seus familiares sendo afetados pela força das águas. Mas, como melhorar essa realidade? Por enquanto, a resposta é a solidariedade.

Sentimento que motivou o engenheiro José Teixeira, 45, a doar bens alimentícios e roupas aos desabrigados. "Isso já faz parte do brasileiro, mobilizar quando é preciso ajudar outros. A gente sofre com o sofrimento dos outros", conta. Graziele Santos, voluntária, diz que "é gratificante ajudar as pessoas brasileiras porque a gente pensa que isso só acontece em outros países. É preciso ser solidário com o povo brasileiro, ter consciência".

O gerente do departamento de Socorro da Cruz Vermelha, Carlos Silva, 38, afirma que "em relação às demais campanhas, nessa houve mais doação, superou nossas expectativas". Até o dia 24, foram doados 8.255 Kg de alimentos, 7.663 l de água potável, 3.129 Kg de roupas e 6.130 de materiais de limpeza e higiene. No dia 25, às 16h, um caminhão com as doações feitas  se deslocou até o Rio com uma equipe de quatro pessoas, das quais três irão ficar uma semana na região serrana do Estado para trabalhar com os voluntários locais.

Está sendo solicitada a doação dos seguintes materiais: água potável; alimentos de pronto consumo (leite em pó, massas e sopas desidratadas, biscoitos, cereais, enlatados); cobertores; colchonetes; itens de limpeza e itens de higiene pessoal (sabonete, pasta de dente e fralda descartável).

Endereços para doações

Sede da Cruz Vermelha: Avenida Gentil Bittencourt, 1.840
(entre Av. Alcindo Cacela e Tv. 9 de janeiro) - São Braz
CEP: 66.040-000 Belém - PA.
Tel. Filial (91) 3226.2556 / Fax 3226.5934 / 3226.2554
Horários: Segunda a Sexta: 8h às 20h/
Sábado: 8h às 18h/ Domingo: 8h às 14h

Shopping Boulevard Belém: Avenida Doca de Souza franco, s/n
Horário: Funcionamento do Shopping

Doações em dinheiro
Banco Itaú, agência 8254, conta corrente 07078-9.

fonte: Jornal Voz de Nazaré

Bento XVI convida os cristãos a unir-se às redes sociais,

Bento XVI convida os cristãos a unir-se às redes sociais,

09:39 Add Comment
Em sua Mensagem para o 45º Dia Mundial das Comunicações Sociais, que neste ano será comemorado em 5 de junho. A mensagem foi publicada na festa de São Francisco de Sales, celebrada no dia 24 de janeiro, a Sala de Imprensa da Santa Sé divulgou o texto da Mensagem, intitulada "Verdade, anúncio e autenticidade de vida, na era digital".
"Quero convidar os cristãos a unirem-se confiadamente e com criatividade consciente e responsável na rede de relações que a era digital tornou possível; e não simplesmente para satisfazer o desejo de estar presente, mas porque esta rede tornou-se parte integrante da vida humana", afirma o Papa.
"Os crentes, testemunhando as suas convicções mais profundas, prestam uma preciosa contribuição para que a web não se torne um instrumento que reduza as pessoas a categorias, que procure manipulá-las emotivamente ou que permita aos poderosos monopolizar a opinião alheia", indica.
"Pelo contrário - continua -, os crentes encorajam todos a manterem vivas as eternas questões do homem, que testemunham o seu desejo de transcendência e o anseio por formas de vida autêntica, digna de ser vivida."
O Pontífice dirige um convite especial aos jovens, para "fazerem bom uso da sua presença no areópago digital". E destaca a contribuição das novas tecnologias na preparação da próxima Jornada Mundial da Juventude, que será realizada em agosto, em Madri.
AUTÊNTICOS
Bento XVI oferece diversas reflexões sobre a propagação da comunicação por meio da internet, seus potenciais, aplicações e riscos. Destaca que, "também na era digital, cada um vê-se confrontado com a necessidade de ser pessoa autêntica e reflexiva".Na busca de partilha, de 'amizades', confrontamo-nos com o desafio de ser autênticos, fiéis a si mesmos, sem ceder à ilusão de construir artificialmente o próprio 'perfil' público", afirma.
O Papa explica que "o envolvimento cada vez maior no público areópago digital dos chamados social network, leva a estabelecer novas formas de relação interpessoal, influi sobre a percepção de si próprio". Inevitavelmente, isso "coloca a questão não só da justeza do próprio agir, mas também da autenticidade do próprio ser", continua.
RISCOS
Começando a analisar os riscos da internet, concretamente das redes sociais, sublinha que "a presença nestes espaços virtuais pode ser o sinal de uma busca autêntica de encontro pessoal com o outro, se se estiver atento para evitar os seus perigos, como refugiar-se numa espécie de mundo paralelo ou expor-se excessivamente ao mundo virtual". Para ajudar a refletir, o Papa convida os internautas a se fazerem várias perguntas: "Quem é o meu 'próximo' neste novo mundo? Existe o perigo de estar menos presente a quantos encontramos na nossa vida diária?".
"Existe o risco de estarmos mais distraídos, porque a nossa atenção é fragmentada e absorvida por um mundo 'diferente' daquele onde vivemos? Temos tempo para refletir criticamente sobre as nossas opções e alimentar relações humanas que sejam verdadeiramente profundas e duradouras?"
Em sua mensagem, o Santo Padre indica também "alguns limites típicos da comunicação digital: a parcialidade da interação, a tendência a comunicar só algumas partes do próprio mundo interior, o risco de cair numa espécie de construção da auto-imagem que pode favorecer o narcisismo".
PRESENÇA
No entanto, o Papa insiste em que, "usadas sabiamente", as novas tecnologias "podem contribuir para satisfazer o desejo de sentido, verdade e unidade que permanece a aspiração mais profunda do ser humano". E se refere a "um estilo cristão de presença também no mundo digital: traduz-se numa forma de comunicação honesta e aberta, responsável e respeitadora do outro".
Segundo o Bispo de Roma, "comunicar o Evangelho através das novas mídias significa não só inserir conteúdos declaradamente religiosos nas plataformas dos diversos meios, mas também testemunhar com coerência, no próprio perfil digital e no modo de comunicar, escolhas, preferências, juízos que sejam profundamente coerentes com o Evangelho". Da mesma forma, "também no mundo digital, não pode haver anúncio de uma mensagem sem um testemunho coerente por parte de quem anuncia", continua.
O estilo cristão de presença no mundo digital implica no tradicional chamado do cristão a responder a quem pedir "razão da esperança que está Nele".Também exige "que todos estejam particularmente atentos aos aspectos desta mensagem que possam desafiar algumas das lógicas típicas da web".
"A verdade que procuramos partilhar não extrai o seu valor da sua 'popularidade' ou da quantidade de atenção que lhe é dada", adverte. Neste sentido, Bento XVI convida a dar a conhecer a verdade do Evangelho "na sua integridade", já que "deve tornar-se alimento cotidiano e não atração de um momento".Acrescenta que essa verdade, "mesmo se proclamada no espaço virtual da rede, (...) sempre exige ser encarnada no mundo real" e destaca a importância das "relações humanas diretas na transmissão da fé".
Por último, ora pelos que trabalham na comunicação - de quem São Francisco de Sales é padroeiro - e pede para eles "a capacidade de sempre desempenharem o seu trabalho com grande consciência e escrupuloso profissionalismo". 
Dia Nacional de Combate ao Trabalho escravo

Dia Nacional de Combate ao Trabalho escravo

09:31 Add Comment
Nesta sexta-feira, 28, o Brasil lembra o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, data que teve início em 2004, após o assassinato de quatro funcionários do Ministério do Trabalho, quando apuravam denúncia de trabalho escravo na zona rural de Unaí, Minas Gerais. No Brasil este atentado contra a dignidade humana ainda vitima milhares de pessoas.
Segundo levantamentos do Observatório Social, nos últimos quinze anos foram libertadas mais de 38 mil pessoas em diferentes regiões do Brasil. Estima-se que mais de 25 mil entram no ciclo do trabalho escravo a cada ano. A entidade aponta os fatores que levam à continuidade do trabalho escravo no país. “Três fatores contribuem diretamente para que esta triste realidade ainda perdure: ganância, miséria, impunidade”.
O assessor da Pastoral Afrobrasileira da CNBB, padre Ari Antônio dos Reis, destaca que a Igreja ainda há muitos desafios para superar as feridas do trabalho escravo. “Persistem alguns desafios para a Igreja e a sociedade voltados na perspectiva de enfrentamento e superação desta realidade. Destacam-se a fiscalização eficiente, a mobilização social contra esta prática, a reforma agrária, superação da miséria e o fim da impunidade”, apontou.
O dia 28 também assinala o início da Semana de Combate ao Trabalho Escravo. Em diferentes localidades acontecerão eventos voltados ao debate sobre esta realidade. Uma das demandas que os grupos julgam necessária é a aprovação PEC 438 que prevê o confisco e a destinação das propriedades flagradas com mão de obra escrava para a Reforma Agrária.
fonte: CNBB

Arquidiocese de Belém ganha nova Paróquia

09:24 Add Comment
Neste domingo (30) a Comunidade São José, Localizada no centro da cidade, próximo a uma das avenidas mais movimentadas, a Doca de Souza Franco, e que é conhecida como uma comunidade ativa, a partir de agora assume uma nova missão ao lado de seu primeiro pároco, padre Wiremberg Silva. A elevação da comunidade em paróquia será transmitida ao vivo pela Tv Nazaré a partir das 19h.
Segundo o sacerdote, a expectativa são as melhores possíveis. "Sempre que assumimos um trabalho, este é para o bem da própria Igreja e do povo. A paróquia de São José é comunidade desde 1975, tem minha idade. O meu sentimento é como se ela tivesse sido feita para mim", afirma.
Esta não é a primeira paróquia que o padre Wiremberg atua. Com quase três anos de ordenação sacerdotal, o padre já trabalhou como vigário na paróquia de São Sebastião e a mais recente, na de São Pedro e São Paulo. "Estou abraçando esta realidade nova para eles e para mim, com muita disposição de trabalho para ajudar a crescer, e com eles formar uma paróquia presença na comunidade do ponto de vista humano e familiar".
Apesar da leitura do decreto de instalação oficial acontecer somente neste final de semana, os trabalhos já começaram desde o ano passado. O sacerdote explica que teve o primeiro contato com os paroquianos ainda no mês de novembro. O motivo era já delinear as propostas de atividades para este ano, reformar parte da estrutura da comunidade que passa a ser paróquia, além dos preparativos da festividade de São José que começam no dia 6 de março, mas as peregrinações iniciam já no próximo dia 5. 
O paroquiano Raimundo Souza, que também é um dos coordenadores da comunidade, está muito ansioso, pois junto com a nomeação de Paróquia virá também mais responsabilidades, já que haverá agregação de capelas nas proximidades da comunidade e aumento do número de pessoas a ser evangelizadas. "Estamos na expectativa por saber que teremos novos desafios e responsabilidades, mas continuaremos a evangelizar, assim como hoje já fazemos", ressalta.



HISTÓRICO

Ainda na década de 1970, algumas paroquianas de Nazaré organizaram o grupo "Clube de Mães", em que o principal objetivo era realizar pequenos trabalhos sociais, como visitas e peregrinações nas casas situadas próximo à Rua Domingos Marreiros.
Já em 1975, os paroquianos que haviam participado do Encontro com Cristo foram convidados pelo então Pároco de Nazaré, padre Giovanni Incampo, a desenvolver um trabalho pastoral ainda maior naquela área. Os leigos se animaram com a missão e iniciaram a caminhada da comunidade em 19 de março do mesmo ano, batizando-a de "São José", por ser dia do santo e honrando ao esposo da Virgem Maria, padroeiro da família e patrono da Igreja.
Os primeiros trabalhos foram direcionados à construção de um Centro Social. Um casebre comprado pelos primeiros comunitários foi o abrigo inicial dos fiéis, que participaram ativamente dos primeiros grupos de oração e pastoral.
Atualmente a comunidade conta com vários movimentos e pastorais, a Igreja em honra a São José está erguida no mesmo local do pequeno casebre, porém toda revitalizada com dois andares contendo: salas de reuniões, capela ao Santíssimo Sacramento e um centro de atendimento médico e odontológico, para o atendimento dos irmãos mais carentes.
Visitem o Blog da Comunidade São José, e conheça mais um pouco desta nova paróquia que surge na Igreja de Belém, Clique Aqui!
Atleta católico atravessa EUA para promover importância da oração

Atleta católico atravessa EUA para promover importância da oração

15:32 Add Comment
Jeff Grabosky iniciou o seu percurso no dia 20 e promete rezar o terço durante todo o caminho.
Jeff Grabosky iniciou o seu percurso no dia 20 e promete rezar o terço durante todo o caminho.O leigo católico americano Jeff Grabosky iniciou uma grande aventura física e espiritual: correrá mais de cinco mil quilômetros, entre Califórnia e Nova Iorque, durante quatro meses, para promover a importância da oração.Grabosky, de 27 anos, assegura que rezará durante todo seu caminho pois, apesar das dificuldades que encontrou, quer usar seus talentos para servir a Deus e ajudar aqueles que lhe pediram orações.
O ponto de início de sua corrida pessoal foi em Oceanside, na Califórnia, na última quinta-feira, 20. Ele tem previsto chegar à sua meta no Smith Point de Long Island, em Nova Iorque, no dia 26 de maio.Sua missão principal é alentar a oração nos Estados Unidos e no mundo. Ele está recebendo intenções de oração e vai rezar uma dezena do terço por cada pedido enviado através da internet.
Grabosky explicou que sua fé permitiu que ele superasse épocas muito duras de sua vida. Apenas uma semana após a morte de sua mãe, devido a um câncer no ano 2006, sua esposa se separou dele. Jeff assegura que pode superar esta experiência de abandono depois de passar dois meses vivendo na rua graças ao poder da oração. "A única constante na minha vida (a oração), pois sempre pedi a Deus por sua ajuda. As coisas estavam muito difíceis, mas eu confiava que o Senhor me tiraria de lá e que Ele tinha um plano", ressalta.
Além destas dificuldades, Grabosky enfrentou ainda um colapso pulmonar que o deixou sob cuidados intensivos, por uma semana. Longe de perder a fé em Deus, Jeff disse que ela ficou fortalecida por esta experiência.Agora Jeff Grabosky quer inspirar outras pessoas e animá-las a buscar os seus sonhos "inclusive se, neste mundo, se pensa que pode ser impossível".

Nascido em Nova Jersey, Grabosky foi corredor desde a infância. Correu em cross country e em pista, durante sua época escolar, mas não chegou ao atletismo profissional. Quando, no ano 2008, correu sua segunda maratona, teve pela primeira vez a ideia de percorrer os Estados Unidos correndo.
Pensei que uma corrida por todo o país seria uma experiência impressionante e um desafio incrível, mas o coloquei em um segundo plano por um tempo, por causa de tudo o que tinha ocorrido em minha vida", explica Jeff.
"É interessante ver como Deus atua. Comecei pensando que era necessário para terminar esta corrida por mim, mas agora tenho que terminá-la por todos aqueles por quem estou orando", acrescenta.
"Cada vez que me senti perdido na vida, a oração me ajudou a encontrar meu caminho de novo", confessa o católico norte-americano. Ele recorda também que "Deus pode nos ajudar a superar algo se confiarmos nele. Às pessoas que estão em momentos difíceis eu digo que esta vida é frequentemente difícil, mas Deus tem um plano para nós e se o permitimos de coração, Ele pode e vai fazer coisas incríveis com nossas vidas. Se realmente acreditarem isso, não será difícil sorrir e olhar cada dia com uma atitude otimista".
A rota de Grabosky cruzará os estados do Arizona, Novo México, Texas, Oklahoma, Missouri, Illinois, Indiana, Ohio, West Virginia, Pennsylvania, Maryland, Virginia e Pennsylvania. Também chegará a Nova Jersey e Washington, DC.Grabosky pediu aos que queiram apoiá-lo que enviem seus pedidos de oração e convidou todos os que o vejam no percurso a correrem ou caminharem com ele.
Mensagem do papa Bento XVI para o Dia Mundial das Missões 2011

Mensagem do papa Bento XVI para o Dia Mundial das Missões 2011

12:02 Add Comment
Foi publicada, nesta quarta-feira, 26, a mensagem do papa Bento XVI para o Dia Mundial das Missões 2011, que se realizará no dia 23 de outubro.
O papa reitera na mensagem que a evangelização é uma dimensão essencial da Igreja e uma tarefa urgente hoje, pois a secularização faz com que muitas pessoas vivam como se Deus não existisse.
"O Evangelho não é uma propriedade exclusiva de quem o recebeu, mas um dom a ser partilhado e comunicado", sublinha o papa, reiterando que todo batizado é chamado a levar a todos a Boa Nova do Evangelho.
Bento XVI ressalta que aumenta o número de pessoas que tendo recebido o anúncio do Evangelho o esqueceram e abandonaram. "Esta em andamento uma mudança cultural, alimentada pela globalização e pelo relativismo, uma mudança que leva a um estilo de vida que exclui a mensagem do Evangelho e exalta a busca do bem-estar, do dinheiro fácil, da carreira e do sucesso como objetivo de vida, mesmo em detrimento dos valores morais", disse.
O Santo Padre convida os fieis a responderem à vocação missionária resposta essencial para a vida da Igreja. "A obra evangelizadora é essencial para a Igreja e não pode ser considerada simplesmente como uma das várias atividades pastorais".
Referindo-se a Paulo VI, a mensagem ressalta que a animação missionária dá uma atenção particular à solidariedade. "É inaceitável que a evangelização transcure as questões relativas à promoção humana, justiça e libertação de todas as formas de opressão, obviamente, respeitando a autonomia da esfera política. Ignorar os problemas temporais da humanidade significa esquecer a lição que vem do Evangelho sobre o amor ao próximo que está sofrendo", frisa Bento XVI.
O Dia Mundial das Missões "é um chamado a revigorar em cada pessoa o desejo e a alegria de ir ao encontro da humanidade levando a todos, Cristo", conclui a mensagem.
CNBB/RV
Festejo em homenagem a São Sebastião 2011

Festejo em homenagem a São Sebastião 2011

20:46 Add Comment
No período de 16 a 23 de janeiro de 2011, foi realizado em nossa paróquia o festejo em honra a São Sebastião.
Os donativos para o mastro foram coletados na tarde do dia 15. No domingo (16), um café da manhã foi servido no salão paroquial, logo depois os organizadores e devotos se dirigiam para a residência do juiz do mastro deste ano, o Senhor Sarney Castilho, de onde, por volta das 13h, saiu pelas ruas da cidade sendo carregado pelos homens e também as mulheres devotas do santo, em direção a praça matriz de Benfica, onde várias pessoas já esperavam para o levantamento do mesmo, que foi logo em seguida. A noite as 20h foi aberta oficialmente o festejo com a celebração da palavra, presidida pelos irmãos Beneditinos da Santa Cruz, com uma pequena procissão ao final.
A forte chuva que caiu na noite do dia 19 (quarta-feira), não desânimou os devotos que se fizeram presente na igreja matriz, para o traslado da imagem de São Sebastião para a residência do juiz do mastro, de onde no dia do santo (20), saiu a procissão com a participação de várias pessoas, sendo realizada a celebração eucarística, presidida por nosso pároco Padre Sebastião, o qual comemorou mais um ano de vida no dia 17/01 (segunda-feira).
No último dia do festejo em honra a São Sebastião foi encerrado com a santa missa sendo realizada pela parte da manhã, devido a tarde foi dedicado ao momento de derrubar o mastro, que ano de 2012 sairá da localidade de murinim. Agradecemos a todos que nos ajudaram para a realização de mais um festejo de São Sebastião, em especial o juiz do mastro e sua família.

Novena de São Sebastião – 9ª Dia

05:13 Add Comment

Oração de São Sebastião

S.-Sebastião-9 São Sebastião, meu intercessor ,vós que sofrestes os ferimentos e recebestes no corpo as flechas da indiferença e da vingança ,sofrendo vil e infamante processo, pela gloria de Nosso Senhor Jesus Cristo, dignai-vos a interceder para que possa obter do Altíssimo a graça de (citar aqui a graça desejada), e ainda a graça da salvação da minha alma para vossa maior gloria. Honra e gloria vos renderei em todos os dias de minha vida.

Onipotente e eterno Deus, que pelos merecimentos de São Sebastião ,vosso glorioso mártir, livrastes os vossos fieis de doenças contagiosas, atendei as minhas súplicas para que, recorrendo agora da nossa necessidade a vós , afim de alcançar semelhante favor ,mereçamos , por sua valiosa intercessão , sermos livres do flagelo da peste e de toda moléstia do corpo e da alma. Amém.

9º Dia

– No final desta novena invoquemos São Sebastião, que está na glória do céu, pedindo confiantes:

São Sebastião roga por nós!

– Ajuda-nos a ser também testemunhas destemidas, para anunciar com ardor o Evangelho de Jesus.

São Sebastião roga por nós!

– Para que nada deste mundo desvie nossos olhos do ideal cristão, que é o seguimento de Cristo.

São Sebastião roga por nós!

– Para que um dia nos encontremos na glória do céu para, junto contigo e com todos os santos e santas, louvar eternamente a Trindade Santa.

São Sebastião roga por nós!

reflexão: São Sebastião, modelo para todos os cristãos. São Sebastião, que veneramos e invocamos nesta novena, foi, como todos nós, escolhido por Deus para a graça do batismo a serviço da igreja. Ele teve uma vocação particular a qual Deus o chamou, e desempenhou, na Igreja de Roma, um ministério de leigo. Recebeu de Deus excelentes carismas ou dons, para testemunhar a fé, praticar a caridade e padecer o martírio. Sem uma vocação ou dom especial de Deus, ele não poderia ter cumprido os deveres cristãos unidos às funções de militar, e ser coroado, enfim, com a grande graça de derramar o sangue por Jesus Cristo. Todos nós, cada um a seu modo e em seu lugar, fomos também chamados por Deus, primeiramente para o batismo, e depois para testemunhar na Igreja a vida de cristão. Todos recebemos do Espírito Santo dons e carismas, que são nossas qualidades sublimadas pela graça. Temos, certamente, funções ou ministérios na Igreja. Uns como pai de família, outros como jovens, cada um no seu ramo profissional. Nossa grande vocação é a vocação cristã, e nosso serviço à Igreja é o testemunho e a dedicação em qualquer lugar que estivermos. Nesse sentido, podemos e devemos, todos, ver em São Sebastião um exemplar de vida cristã. Os santos canonizados pela Igreja e entre eles São Sebastião nos são apresentados como modelos que devemos imitar, e não somente admirar. Roguemos ao Espírito Santo, ao final desta novena, sejamos capazes de divulgar nosso cristianismo na vida profissional que exercemos, como São Sebastião o fez.

Oração: Senhor, em encerrar esta novena em honra ao glorioso mártir São Sebastião, pedimo-nos o mesmo espírito que o fez tão forte, tão leal, tão dedicado. Infundi, Senhor, em todos nós os dons do Espírito Santo. Fazei-nos descobrir em nós os carismas que nos destes, para colocá-los a serviço de nossa comunidade. Enfim, Senhor, dai-nos, pela intercessão de São Sebastião, sermos perseverantes no cumprimento de nossos deveres cristãos até a morte. Por Cristo nosso senhor, na unidade do Espírito Santo. Amém. Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai. São Sebastião rogai por nós!

Novena de São Sebastião – 8ª Dia

05:09 Add Comment

Oração de São Sebastião

S.-Sebastião-8 São Sebastião, meu intercessor ,vós que sofrestes os ferimentos e recebestes no corpo as flechas da indiferença e da vingança ,sofrendo vil e infamante processo, pela gloria de Nosso Senhor Jesus Cristo, dignai-vos a interceder para que possa obter do Altíssimo a graça de (citar aqui a graça desejada), e ainda a graça da salvação da minha alma para vossa maior gloria. Honra e gloria vos renderei em todos os dias de minha vida.

Onipotente e eterno Deus, que pelos merecimentos de São Sebastião ,vosso glorioso mártir, livrastes os vossos fieis de doenças contagiosas, atendei as minhas súplicas para que, recorrendo agora da nossa necessidade a vós , afim de alcançar semelhante favor ,mereçamos , por sua valiosa intercessão , sermos livres do flagelo da peste e de toda moléstia do corpo e da alma. Amém.

8º Dia

– Senhor, pela intercessão de São Sebastião:

– Em nossas dúvidas de fé,

Orientai-nos!

– Da fome e das doenças,

Afastai-nos!

– Da dependência das drogas,

Preservai-nos!

– O caminho da justiça e da verdade,

Mostrai-nos!

– Das secas, das tempestades e da guerra,

Livrai-nos!

– Do medo e da violência,

Protegei-nos!

– Com o fogo do teu Espírito,

Transformai-nos!

Reflexão: São Sebastião, padroeiro contra pestes e epidemias. A piedade popular tem honrado São Sebastião como Padroeiro contra a fome, a peste e a guerra. Possivelmente porque, em alguma época da história, recorreram à sua intercessão diante do tormento de alguma guerra com suas conseqüências mais aflitas: a fome e a peste que se alastrou atingindo homens e animais. E porque a ajuda do Santo foi propícia nessa circunstância, passou-se a invoca-lo, em especial para que defendesse os animais atingidos ou expostos ao perigo da peste. É grande a confiança de nossos roceiros em São Sebastião. Por todos os rincões do Brasil se implora a proteção deste santo para o gado e todos os animais, na esperança de que sejam livres da raiva e outras epidemias que os atingem. É muito louvável a devoção de nosso povo. E nunca é demais rogar a Deus pela intercessão de um Santo que se tem mostrado tão poderoso. E é de se crer que, tendo ele dado tamanho exemplo de virtude enfrentando o martírio, goze diante do senhor de grande crédito para socorrer-nos. Afastemos, entretanto, de nossas práticas toda supertição. Não atribuamos ao simples fato de ofertar um bezerro a São Sebastião, ou de fazer sua novena, um mágico poder contra os males naturais. Tenhamos confiança na bondade de Deus, que pode revelar-se através de prodígios, sem estar sujeito a determinadas práticas de devoção de nossa parte. É com este espírito de compreensão, que vamos invocar o poderoso Santo, para que seja nosso protetor contra a guerra, a fome, a peste e todas as epidemias.

Oração: Ó Deus, todo poderoso, que tendes manifestado em diversas ocasiões a valia de São Sebastião contra epidemias, pestes e doenças, e também contra a guerra; nós vos pedimos, mais uma vez, pela intercessão de tão heróico mártir da fé, sejamos defendidos do perigo de uma nova guerra e de suas horríveis conseqüências nucleares. Imploramos também de vossa bondade, pelos méritos desse Santo, sejam protegidos os animais de nossos campos de toda a epidemia. Enfim, vos rogamos, Senhor, pelo sangue que São Sebastião derramou, livreis as populações mais sofredoras, particularmente as crianças inocentes, da terrível ameaça da fome que ceifa no mundo tantas vidas. Nós vo-lo pedimos por Cristo nosso Senhor, na unidade do Espírito Santo. Amém. Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai. São Sebastião, rogai por nós!

Novena de São Sebastião – 7º Dia

05:05 Add Comment

Oração de São Sebastião

S.-Sebastião-7 São Sebastião, meu intercessor ,vós que sofrestes os ferimentos e recebestes no corpo as flechas da indiferença e da vingança ,sofrendo vil e infamante processo, pela gloria de Nosso Senhor Jesus Cristo, dignai-vos a interceder para que possa obter do Altíssimo a graça de (citar aqui a graça desejada), e ainda a graça da salvação da minha alma para vossa maior gloria. Honra e gloria vos renderei em todos os dias de minha vida.

Onipotente e eterno Deus, que pelos merecimentos de São Sebastião ,vosso glorioso mártir, livrastes os vossos fieis de doenças contagiosas, atendei as minhas súplicas para que, recorrendo agora da nossa necessidade a vós , afim de alcançar semelhante favor ,mereçamos , por sua valiosa intercessão , sermos livres do flagelo da peste e de toda moléstia do corpo e da alma. Amém.

7º Dia

– Para que sejamos solidários e não solitários.

Ajuda-nos, Senhor!

– Para que saibamos propor e jamais impor.

Ajuda-nos, Senhor!

– Para que sejamos diferentes, e não indiferentes.

Ajuda-nos, Senhor!

– Para que saibamos insistir sem jamais desistir.

Ajuda-nos, Senhor!

– Para que saibamos ser úteis e nunca inúteis.

Ajuda-nos, Senhor!

Reflexão: São Sebastião, patrono dos militares. Nos tempos do Imperador Diocleciano, Sebastião alistou-se na milícia imperial. Jovem, robusto e de boas maneiras, ele uniu a estes dotes a coragem, a dedicação às armas e o amor à Pátria. Granjeou, assim, a estima e confiança de seus chefes e do próprio imperador. Em pouco tempo conquistou postos na milícia e, segundo reza a tradição, era Capitão da Guarda Imperial quando se fez Cristão, recebendo o batismo. Pela sua condição de soldado e por seu amor e fidelidade à Pátria, ele é venerado como padroeiro dos Militares. Entretanto, o apreço pela carreira militar não o desviou dos deveres de cristão. Quando se preparou para o batismo, ele aprendeu como catecúmeno que a vida cristã devia ser um compromisso com Cristo, tal qual a vida militar era um compromisso com a Pátria. Mas sabendo que o Imperador não era um Deus e que Jesus Cristo é o rei dos Reis, ele preferiu obedecer antes a esse Rei que ao Imperador romano. O martírio foi, por isto, a sublimação de suas qualidades de soldado. E ele se apresenta para todos os militares como lídimo exemplo de heroísmo e de nobre altivez. Roguemos sua intercessão por nossas forças armadas, por nossos policiais, pelo Corpo de Bombeiros e por todos os que expõem a vida para defesa da comunidade.

Oração: Glorioso Mártir São Sebastião, valoroso soldado, exemplo de dedicação e heroísmo; obtende para nossa Pátria a defesa do céu nas horas mais difíceis, e para todo o mundo, alcançai a graça da paz. Assisti aos militares, policiais e ao Corpo de Bombeiros nas arriscadas funções que desempenham. Do alto do céu olhai o povo que vos confia a sua defesa. E obtendo-no, enfim, o destemor da fé, para, a vosso exemplo, servimos o Rei dos Reis Jesus Cristo nosso soberano Senhor. Por nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amém. Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai. São Sebastião, rogai por nós !

Novena de São Sebastião – 6º Dia

05:58 Add Comment

Oração de São Sebastião

S.-Sebastião-6 São Sebastião, meu intercessor ,vós que sofrestes os ferimentos e recebestes no corpo as flechas da indiferença e da vingança ,sofrendo vil e infamante processo, pela gloria de Nosso Senhor Jesus Cristo, dignai-vos a interceder para que possa obter do Altíssimo a graça de (citar aqui a graça desejada), e ainda a graça da salvação da minha alma para vossa maior gloria. Honra e gloria vos renderei em todos os dias de minha vida.

Onipotente e eterno Deus, que pelos merecimentos de São Sebastião ,vosso glorioso mártir, livrastes os vossos fieis de doenças contagiosas, atendei as minhas súplicas para que, recorrendo agora da nossa necessidade a vós , afim de alcançar semelhante favor ,mereçamos , por sua valiosa intercessão , sermos livres do flagelo da peste e de toda moléstia do corpo e da alma. Amém.

6º Dia

– Para que reine em nossas comunidades o mesmo espírito de fraternidade que animava os primeiros cristãos, rezemos ao Senhor.

Senhor, escuta a nossa prece.

– Para que saibamos transformar as cruzes de cada dia em fontes de merecimentos para o céu, rezemos…

Senhor, escuta a nossa prece.

– Para que a exemplo de nossos mártires reforce a nossa fé e a nossa união, rezemos…

Senhor, escuta a nossa prece.

Reflexão: São Sebastião, padroeiro da agropecuária. Tradicional devoção entre os brasileiros considera São Sebastião padroeiro da agropecuária. Têm-no como o defensor dos campos, e principalmente dos rebanhos. Existe até em muitos lugares o costume de oferecer ao Santo bezerros e porcos com o pedido de que ele defenda os animais contra as epidemias e doenças. Não se sabe essa tradição e o motivo dessa particular devoção dos nossos homens do campo. Seria, por ventura, porque São Sebastião sofreu o martírio numa floresta, amarrado a um tronco de árvore? Ou em alguma época, particularmente difícil para rebanhos, se alcançaram, por intercessão de São Sebastião, especiais graças e milagres de proteção aos bens do homem da roça? De qualquer modo que seja, muitos asseguram ter colocado sob a proteção deste Santo seus rebanhos e ter obtido, por essa forma, sua ajuda miraculosa. Deus pode ter querido secundar o espírito de fé dos roceiros, aceitando como Padroeiro da lavoura e da pecuária este glorioso mártir. Invoquemo-lo, pois, nesta qualidade, implorando sua ajuda para todos os trabalhadores da roça, para suas criações e suas lavouras.

Oração: poderoso São Sebastião, a quem reconhecemos singular bondade para com todos os que estão no árduo trabalho da lavoura e no meio de animais; nós vos pedimos, confiantes, por todos os pecuaristas e roceiros, por seus rebanhos e plantios. Obtende de Deus as chuvas para as regiões mais secas, que estão sofrendo. Afastai de todos os rebanhos as doenças e a morte. E fazei com que não falte jamais o pão e a saúde aos que trabalham ganhando o alimento no suor do próprio rosto. Por nosso senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amém. Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai. São Sebastião rogai por nós !

Novena de São Sebastião – 5º Dia

05:54 Add Comment

Oração de São Sebastião

S.-Sebastião-5 São Sebastião, meu intercessor ,vós que sofrestes os ferimentos e recebestes no corpo as flechas da indiferença e da vingança ,sofrendo vil e infamante processo, pela gloria de Nosso Senhor Jesus Cristo, dignai-vos a interceder para que possa obter do Altíssimo a graça de (citar aqui a graça desejada), e ainda a graça da salvação da minha alma para vossa maior gloria. Honra e gloria vos renderei em todos os dias de minha vida.

Onipotente e eterno Deus, que pelos merecimentos de São Sebastião ,vosso glorioso mártir, livrastes os vossos fieis de doenças contagiosas, atendei as minhas súplicas para que, recorrendo agora da nossa necessidade a vós , afim de alcançar semelhante favor ,mereçamos , por sua valiosa intercessão , sermos livres do flagelo da peste e de toda moléstia do corpo e da alma. Amém.

5º Dia

– Senhor, mesmo que as pessoas sejam egocêntricas e interesseiras.

Ajudai-nos a amá-las, mesmo assim.

– O que fizermos hoje pode ser esquecido amanhã.

Mesmo assim, ajudai-nos, Senhor, a continuar fazendo o bem.

– Ser honesto, hoje em dia, é o mesmo que ser ridicularizado, ser tachado de bobo.

Mesmo assim, ajudai-nos, Senhor, a ser honestos.

– Aquilo que levamos anos para construir, pode ser destruído hoje.

Mesmo assim, ajudai-nos a continuar construindo.

– Mesmo se dermos tudo o que temos, corremos o risco da ingratidão.

Ainda assim, ajudai-nos, Senhor, a dar e a nos doar sempre. Amém.

Reflexão: São Sebastião padroeiro contra a violência. O mártir São Sebastião não foi somente uma vítima da perseguição romana. E nem mesmo simplesmente mártir como milhares de outros cristãos. O suplício que sofreu se caracterizou por dupla violência brutal contra sua pessoa. Primeiramente, São Sebastião foi entregue aos algozes para ser morto a flechados. Amarrado a um tronco de árvore, dispararam contra seu corpo numerosas flechas. Deixaram-no esvaindo-se em sangue, crentes que já estivesse morto. Uma senhora piedosa encontrou na floresta, levou-o para casa e ele se salvou. Segunda vez, porém, foi aprisionado quando apareceu diante do imperador, em uma festa pública. E então o mataram a cacetadas, barbaramente, diante da multidão. Ele foi, assim, duplamente martirizado, e duplamente agredido de modo violento. Pode ser considerado, no céu, o Padroeiro contra a violência. Em nossos dias, vivemos todos aterrorizados com a violência reinante por toda à parte e que nos ameaça constantemente. Nos grandes centros como nas cidades pequenas, o roubo, o assassinato a sangue frio, e mesmo a barbaridade com que homens sem alma atentam contra a vida alheia, são motivos de pânico e de horror. Estamos sempre sob o signo do medo. Peçamos ao poderoso São Sebastião, que experimentou duplamente o impacto da violência brutal, que nos assista e nos proteja. Que ele, por seu poder intercessor, livre nossas casas, nossas famílias e nossas pessoas do perigo de agressões violentas. Peçamos sobretudo que ele obtenha do céu para os criminosos o perdão e a mudança de coração.

Oração: São Sebastião, que fostes atingido por tão grandes sofrimentos e foste duas vezes vítima de violências; olhai para o nosso mundo tão violento, tão agressivo e perigoso. Tende piedade de todos nós somos constantemente perturbados pelo medo. Valei-nos nos momentos de ansiedade, livrai nossas casas do perigo dos assaltos e nossas vidas da ameaça da violência dos ladrões e criminosos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amém. Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai. São Sebastião rogai por nós !

Coleta dos donativos para o mastro de São Sebastião

Coleta dos donativos para o mastro de São Sebastião

11:57 Add Comment
Neste sábado 15/01 serão arrecadados os donativos para o mastro de São Sebastião por volta das 15:00h, para o festejo em honra ao santo protetor da agropecuária e protetor contra a violência, que tem início neste domingo 16/01.
Também no domingo será realizado um café da manhã as 07:00h na barraca da santa, e as 10:00h acontece o levantamento do mastro, que sairá da residência do juiz do mastro deste ano o Senhor Sarney Azevedo de Castilho, localizado na Avenida José Rodrigues dos Santos, em direção a praça matriz de Benfica, a noite as 20:00h acontece a celebração eucarística de abertura do festejo com procissão ao redor da praça.

Novena de São Sebastião – 4º Dia

05:46 Add Comment

Oração de São Sebastião

S.-Sebastião-4 São Sebastião, meu intercessor ,vós que sofrestes os ferimentos e recebestes no corpo as flechas da indiferença e da vingança ,sofrendo vil e infamante processo, pela gloria de Nosso Senhor Jesus Cristo, dignai-vos a interceder para que possa obter do Altíssimo a graça de (citar aqui a graça desejada), e ainda a graça da salvação da minha alma para vossa maior gloria. Honra e gloria vos renderei em todos os dias de minha vida.

Onipotente e eterno Deus, que pelos merecimentos de São Sebastião ,vosso glorioso mártir, livrastes os vossos fieis de doenças contagiosas, atendei as minhas súplicas para que, recorrendo agora da nossa necessidade a vós , afim de alcançar semelhante favor ,mereçamos , por sua valiosa intercessão , sermos livres do flagelo da peste e de toda moléstia do corpo e da alma. Amém.

4º Dia

– Senhor, os santos jamais se acomodaram no teu serviço e no serviço dos irmãos. Viviam numa santa preocupação pelo bem e pela verdade.

Ajuda-nos a viver as exigências do nosso batismo no dia-a-dia!

– Livra-nos do comodismo na prática do bem.

Ajuda-nos a viver as exigências do nosso batismo no dia-a-dia!

– Livra-nos da tentação de “deixar as coisas como estão, para ver como ficam”.

Ajuda-nos a viver as exigências do nosso batismo no dia-a-dia!

Reflexão: São Sebastião, padroeiro dos injustamente perseguidos. São Sebastião compartilhou da injusta perseguição que atingiu a Igreja em seus primórdios em Roma. Os decretos do Imperador, que mandavam reprimir as práticas cristãs, atingiram milhares, talvez, milhões de pessoas. Foi uma época de grandes sofrimentos para gente, na sua maioria humilde. Pois exatamente os humildes e os pobres eram os que mais generosamente abraçavam o cristianismo. Era uma situação de grave injustiça, de vez que não podia haver nenhum crime em seguir ditames da própria consciência. São Sebastião, embora, altamente situado, pois era Capitão da Guarda Imperial, foi também envolvido nas mesmas perseguições, exatamente por ser fiel à voz da consciência. É talvez a mais grave injustiça esta de se insurgir contra a consciência de uma pessoa e prende-la, tortura-la e mata-la por motivos de religião. Ainda hoje no mundo esta forma de injustiça existe. Em muitos lugares, principalmente em países comunistas, os cristãos são perseguidos, presos e impedidos de viver livremente a sua fé. São Sebastião pode, assim, se considerado Padroeiro de todos quantos são injustamente perseguidos, principalmente por causa da religião. Peçamos, por sua intercessão, que cessem as injustiças no mundo e que Deus olhe com benevolência a todos os que são vítimas de tais sofrimentos.

Oração: Glorioso mártir São Sebastião, que sofrestes com alegria os sofrimentos da injusta perseguição romana, olhai para todas as pessoas que, em qualquer parte do mundo, estão padecendo pela injustiça de corações embrutecidos. Alcançai, para os que sofrem tais padecimentos, resignação e coragem. E, para todos nós, obtende-nos as disposições de fortaleza e amor a fim de, se necessário, suportarmos perseguições para glória de Jesus Cristo e da Santa Igreja. Por nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amém. Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai. São Sebastião, rogai por nós!

Papa João Paulo II será beatificado em maio

17:49 Add Comment


O Papa Bento XVI aprovou nesta sexta-feira (14), a publicação do decreto que comprova um milagre atribuído à João Paulo II. No domingo da Divina Misericórdia (dia 1 de maio) é a data marcada para a beatificação. Está data foi escolhida para recordar a celebração mais próxima da morte de João Paulo II, que faleceu na véspera da festa da Divina Misericórdia.
O milagre agora confirmado refere-se à cura da freira francesa Marie Simon Pierre, que sofria da doença de Parkinson, onde inexplicavelmente em 2005 todos os sintomas da doença que sofria a quatro anos, foram superados após suas orações e pedidos a João Paulo II poucos meses depois de sua morte, em abril do mesmo ano. O processo de beatificação de João Paulo II foi iniciado por Bento XVI no dia 2 de abril de 2005, e em dezembro de 2009 o mesmo assinou o decreto que reconhece as "virtudes heróicas" de Karol Wojtyla.
João Paulo II foi papa entre 16 de outubro de 1978 a 2 de abril de 2005, quando faleceu após 25 anos como sucessor de São Pedro.

Novena de São Sebastião – 3º Dia

05:40 Add Comment

Oração de São Sebastião

S.-Sebastião-3 São Sebastião, meu intercessor ,vós que sofrestes os ferimentos e recebestes no corpo as flechas da indiferença e da vingança ,sofrendo vil e infamante processo, pela gloria de Nosso Senhor Jesus Cristo, dignai-vos a interceder para que possa obter do Altíssimo a graça de (citar aqui a graça desejada), e ainda a graça da salvação da minha alma para vossa maior gloria. Honra e gloria vos renderei em todos os dias de minha vida.

Onipotente e eterno Deus, que pelos merecimentos de São Sebastião ,vosso glorioso mártir, livrastes os vossos fieis de doenças contagiosas, atendei as minhas súplicas para que, recorrendo agora da nossa necessidade a vós , afim de alcançar semelhante favor ,mereçamos , por sua valiosa intercessão , sermos livres do flagelo da peste e de toda moléstia do corpo e da alma. Amém.

3º Dia

– Para que tenhamos ao menos uma fagulha do zelo que tiveram os santos, rezemos ao Senhor.

Senhor, escuta a nossa prece!

– Para que defendamos a justiça e a verdade, mesmo com o risco da própria vida.

Senhor, escuta a nossa prece!

– Para que o mundo seja melhor, graças à nossa colaboração desinteressada.

Senhor, escuta a nossa prece!

Reflexão: São Sebastião, testemunho de fortaleza. São Sebastião, militar, de rígida têmpera, aprimorada formação, tinha caráter forte, varonil. Distinguia-se pela coragem e fortaleza de ânimo com que servia à autoridade imperial. Convertendo-se ao cristianismo e sendo batizado, o Espírito Santo transfigurou pela graça estes dons naturais, que nele resplandeciam. E ele colocou a serviço do Reino de Deus sua alma varonil e destemida. Soldado do imperador, mudou-se em soldado de Cristo. Foi com mesma coragem e fortaleza com que servia antes a seu senhor temporal, que Sebastião, depois, a ele resistiu, quando ameaçado de morte por causa das práticas e convicções religiosas. Desassombrado, sem temor, enfrentou a perseguição e o martírio, e não renegou a fé que professava. No mundo em que vivemos, nossas convicções religiosas nem sempre permanecem inabaláveis. Diante de mesquinhas ameaças, abandonamos as disposições com que saímos, por exemplo, de um cursilho ou encontro de casais, Falta-nos à fortaleza de ânimo. E esta, só a do Espírito Santo no-la pode dar, como a deu a São Sebastião. Vendo nele o grande modelo de coragem e destemor, peçamos por sua intercessão este mesmo dom. E proponhamos-nos imita-lo nos momentos difíceis em que nossa fé for provada.

Oração: Valoroso e forte mártir, que não temeste a ameaça dos poderosos, mas confessastes varonilmente a fé cristã nos momentos de perseguição; alcançai-nos do Espírito Santo o dom de fortaleza para resistimos ao mal e perseverarmos fiéis até à morte. Fazei de nós cristãos autênticos e destemidos, verdadeiros soldados do exército do grande e único Rei. Nós o pedimos por N.S.Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amém. Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai. São Sebastião rogai por nós !

Novena de São Sebastião – 2º Dia

05:36 Add Comment

Oração de São Sebastião

S.-Sebastião-2 São Sebastião, meu intercessor ,vós que sofrestes os ferimentos e recebestes no corpo as flechas da indiferença e da vingança ,sofrendo vil e infamante processo, pela gloria de Nosso Senhor Jesus Cristo, dignai-vos a interceder para que possa obter do Altíssimo a graça de (citar aqui a graça desejada), e ainda a graça da salvação da minha alma para vossa maior gloria. Honra e gloria vos renderei em todos os dias de minha vida.

Onipotente e eterno Deus, que pelos merecimentos de São Sebastião ,vosso glorioso mártir, livrastes os vossos fieis de doenças contagiosas, atendei as minhas súplicas para que, recorrendo agora da nossa necessidade a vós , afim de alcançar semelhante favor ,mereçamos , por sua valiosa intercessão , sermos livres do flagelo da peste e de toda moléstia do corpo e da alma. Amém.

2º Dia

– No dia do batismo recebemos uma missão: “Ide pelo mundo inteiro! Pregai o Evangelho a toda a criatura” (Mt 28,19).

Senhor fazei-nos fiéis à nossa missão de evangelizadores.

– Para que o exemplo de São Sebastião nos anime no caminho do bem, apesar de todos os empecilhos…

Senhor fazei-nos fiéis à nossa missão de evangelizadores.

– Para que saibamos praticar e viver o que transmitimos para os outros.

Senhor fazei-nos fiéis à nossa missão de evangelizadores.

Reflexão: São Sebastião, testemunha de caridade. Sebastião, feito cristão pelo batismo, começou a ser, em Roma, entre muitos coirmãos na fé, vivo testemunho de caridade. Dizem os historiadores que, como conseqüência das perseguições, eram então numerosos os prisioneiros e os que se tornavam pobres porque o governo seqüestrava os seus bens. Sebastião deu-se ao intenso exercício da caridade, visitando os encarcerados e confortando-os, encorajando-os e ajudando os que foram atingidos pela pobreza. Muito antes, pois, de dar o testemunho do martírio, Sebastião dava perante todos o testemunho da caridade. Hoje em dia são muitas pessoas marginalizadas e desempregadas. É, certamente, a nova legião de sofredores mais característica de nossos dias. Só a caridade dos verdadeiramente cristãos poderá socorre-los, ampara-los e estimulá-los. São Sebastião se apresenta, assim como modelo e exemplo que devemos imitar. E, certamente também, como intercessor no céu, por aqueles que sofrem entre nós privações e falta de conforto. Peçamos a nosso santo resignação para os que sofrem e coragem para sermos todos testemunhas da caridade fraterna.

Oração: Ó glorioso Santo, que nos legais tão belo exemplo de coragem e caridade, nós vos pedimos que nos alcanceis de Deus o amparo para os pobres e marginalizados, e, para todos os cristãos, particularmente para nós que vos reverenciamos nesta novena, a graça do andor na caridade e da comiseração para com os sofredores. Por Cristo nosso Senhor, na unidade do espírito Santo. Amém. Pai-nosso, Ave-Maria e Glória ao Pai. São Sebastião, rogai por nós !

Novena de São Sebastião – 1º Dia

15:32 1 Comment

Oração de São Sebastião

S.-Sebastião-1 São Sebastião, meu intercessor ,vós que sofrestes os ferimentos e recebestes no corpo as flechas da indiferença e da vingança ,sofrendo vil e infamante processo, pela gloria de Nosso Senhor Jesus Cristo, dignai-vos a interceder para que possa obter do Altíssimo a graça de (citar aqui a graça desejada), e ainda a graça da salvação da minha alma para vossa maior gloria.Honra e gloria vos renderei em todos os dias de minha vida.

Onipotente e eterno Deus, que pelos merecimentos de São Sebastião ,vosso glorioso mártir, livrastes os vossos fieis de doenças contagiosas, atendei as minhas súplicas para que, recorrendo agora da nossa necessidade a vós , afim de alcançar semelhante favor ,mereçamos , por sua valiosa intercessão , sermos livres do flagelo da peste e de toda moléstia do corpo e da alma. Amém.

1º Dia

– Pai dá-nos a tua mão! Guia-nos através da escuridão que nos envolve.

Senhor indica-nos o caminho certo, porque a noite está escura e nós estamos longe de casa.

– Tu nos levarás pela mão, mesmo por entre pedras e precipícios, montanhas e desertos, até aparecer à luz do dia…

Senhor indica-nos o caminho certo, porque a noite está escura e nós estamos longe de casa.

– Antigamente não pedíamos para nos conduzires. Por isso erramos tanto…

Senhor indica-nos o caminho certo, porque a noite está escura e nós estamos longe de casa.

Reflexão: São Sebastião, testemunho de fé. Ao iniciar hoje a novena deste glorioso Santo, coloquemo-nos diante dele como um exemplo vivíssimo de fé. Ele foi cristão nos tempos do Imperador Diocleciano em Roma. Viveu em tempos de perseguição. Muitos foram presos, degredados e mortos, em Roma, por causa de Jesus Cristo. Naqueles tempos não era fácil ser cristão. São Sebastião era Capitão da Guarda do Imperador. Mesmo conhecendo melhor que todos o risco que ia correr, pediu para ser admitido como cristão. Passou pelo catecumenato, foi instruído sobre os compromissos de fé, e recebeu, conscientemente o batismo. Hoje não corremos risco por sermos cristãos. Entretanto, muita gente renegava a fé do seu batismo. Muitas vezes passa até para outras religiões ou freqüenta a macumba. Peçamos a Deus, pela intercessão do glorioso São Sebastião, que nossa fé seja robustecida. Que tenhamos coragem de professa-la em todas as circunstâncias e de jamais renega-la por nenhum motivo.

Oração: Ó glorioso Santo, que fostes tão corajoso em viver como cristão num meio tão adverso à fé; alcançai-nos de Deus, por Jesus Cristo, a graça de uma ardente fé, corajosa e destemida nas adversidades e que possamos, unidos a Cristo pela graça, dar testemunho daquilo que professamos em nosso batismo. Por Cristo nosso senhor, na unidade do Espírito Santo. Amém. Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai. São Sebastião, rogai por nós !

Uma Igreja com a cara de Belém

10:37 Add Comment

 Belém-395-anos Chuva das duas da tarde. Açaí com farinha e sem açúcar. Tomar tacacá mesmo que o sol esteja a pino. Torcer pelo Clube do Remo, pelo Paysandu ou pela Tuna Luso. Correr para pegar a manga que acaba de cair na calçada. Comprar peixe fresco no Ver-o-Peso. A cidade de Belém tem estas coisas, que só ela tem. Mas não dá para falar na capital do Pará sem lembrar a Catedral da Sé, a Igreja de Santo Alexandre, a Basílica de Nazaré, o mês de outubro quando o rio de gente trasborda pelas ruas em mais um Círio de Nazaré. Os 395 anos de história da cidade de Belém, o qual celebramos hoje,  se confundem com a vida da Igreja na Amazônia. Para "contar" a cidade das mangueiras o Jornal Voz de Nazaré apresenta a história da Igreja na cidade que carrega a devoção até no nome, "Santa Maria de Belém do Grão Pará", que se revela no meio da arquitetura cuidadosa dos prédios, nos nomes das ruas e especialmente na lembrança das pessoas.

Caminhar pela Avenida Nazaré já não é mais uma rotina do bancário aposentado Osmar de Souza. Mas aos 95 anos as memórias permanecem vivas e ele lembra com carinho que cada parte da Basílica de Nazaré, à época, "Nazareth", guarda também um pedaço da história de sua vida. "Eu era paroquiano de Nazaré, fui acólito lá durante nove anos, entrei com sete saí com 16 anos. Lá eu recebi o batismo, fiz a primeira eucaristia, crismei e casei". O casamento foi no dia 24 de dezembro de 1940, data repetida por Osmar como se fosse o dia de ontem. Assim como as datas o aposentado lembra os detalhes. "Todos aqueles santos de mármore que tem lá (na Basílica) são da minha época. Aqueles medalhões nos vitrais naquele tempo custavam cinco mil réis e eram doados pelas famílias mais abastadas". E lá se foram 70 anos de casamento ao lado da companheira Balbina de Souza (94), e dos sete filhos, quinze netos e seis bisnetos.

O mesmo tempo que deu a seu Osmar essa grande família, foi moldando e mudando a "cara" e o jeito da cidade de Belém. Agora não se "apanha o bonde" pela Avenida Tito Franco, mas se vai de ônibus, de carro ou de bicicleta pela Avenida Almirante Barroso. Mas algumas marcas, apesar das mudanças, ainda permanecem pelos cantos da cidade e lembram aos que passam por elas, na maioria das vezes indiferentes, que a vida da Igreja de Belém escreve e desenha os traços que construíram (e constroem) a história da cidade.

MARCAS

Uma visita ao bairro da Cidade Velha, antes apenas Cidade, que junto com o bairro da Campina, formava os dois únicos bairros de Belém, mostra hoje um ambiente bem diferente daquele que Francisco Caldeira Castelo Branco avistou em 1616 quando fundou a cidade de Belém. O chamado Complexo Feliz Luzitânia (aliás, o primeiro nome da cidade) não seria o mesmo sem a Igreja Mãe da Arquidiocese de Belém, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Graça, que 104 anos depois da chegada dos primeiros portugueses ao Pará teve sua pedra fundamental erguida. E os paraenses testemunharam com paciência sua construção finalizada apenas 1996. Ao sair da Catedral Metropolitana não é preciso ir muito longe para estar em outro pedaço da história, basta atravessar a rua para estar diante do que lugar que era uma capelinha dos jesuítas em 1653 e hoje é a imponente Igreja de Santo Alexandre.

A vocação religiosa e a possibilidade de expansão foi reconhecida pelo Papa Clemente XI quando ele nomeou por meio da bula Copiosus in Misericordia a Diocese de Belém do Pará no dia 04 de março de 1719. E quase 190 anos depois (em 1906) foi elevada a Arquidiocese por São Pio X em sua bula Sempiternum Humani Generis. Na condição de Arquidiocese foram dez arcebispos (ver quadro abaixo) até o atual Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa.

A religiosidade impressa na cidade de Belém não se restringe aos centros históricos ou a pontos repletos de turistas com suas inseparáveis máquinas fotográficas ávidos por registrar todos os momentos. A Igreja de Belém está no caminhar pela cidade. Em um passeio pela Rua Dom Romualdo Coelho, bispo diocesano e o primeiro brasileiro assumir um episcopado na região amazônica, o cametaense que fez história ao ser o primeiro bispo genuinamente paraense. Sem falar na Avenida Nazaré, que recebeu este nome por guardar a Basílica de Nazaré que recebe os milhares de promesseiros, devotos da Santa do mesmo nome. E para quem pensa que as marcas da Igreja de Belém foram deixadas apenas no tempo em que a história era contada em preto e branco, se esqueceu da Avenida 1º de Dezembro, que após a visita do Santo Padre a Belém, foi batizada de Avenida João Paulo II, que carrega em sua extensão, as lembranças dos fiéis que cantavam "A Benção João de Deus".
Bispos que já administraram a Igreja em Belém:

1º  Dom José Marcondes Homem de Melo - 1906
2º  Dom Santino Maria da Silva Coutinho - 1907 - 1923
3º  Dom João Irineu Joffily - 1924 - 1931
4º  Dom Antônio de Almeida Lustosa - 1932 - 1941
5º  Dom Jaime de Barros Câmara - 1942 - 1943
6º  Dom Mário de Miranda Vilas-Boas - 1944 - 1956
7º  Dom Alberto Gaudêncio Ramos - 1957 - 1990
8º  Dom Vicente Joaquim Zico - 1990 - 2004
9º  Dom Orani João Tempesta - 2004 - 2009
10º  Dom Alberto Taveira Corrêa - 2010- Atual

Este é o meu Filho amado

Este é o meu Filho amado

08:35 Add Comment

"Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de reparação pelos nossos pecados". (I Jo 4, 10). As celebrações do Tempo de Natal se encerram com as chamadas teofanias. Na Festa da Epifania, sábios vindos de longe procuram o Rei apenas nascido. Às margens do Rio Jordão, manifesta-se a Trindade e se inicia o ministério público de Jesus. Em Caná, Jesus realiza seu primeiro sinal, oferecendo o vinho novo da grande festa do encontro de Deus com a humanidade. O amor de Deus, gratuitamente, mostra toda a sua exuberância. Deus vem ao encontro da humanidade!

A voz do Pai ressoa alta e forte, depositando em Jesus todo o seu amor e indicando que nele, Verbo de Deus feito carne, está todo o seu amor e que, neste Filho, está a fonte de todo o bem. Os homens e mulheres de fé não podem fazer outra coisa senão a experiência grandiosa do discipulado, fonte de realização para todos os que o acolhem como Salvador.

Ao ouvir a voz do Pai que proclama o amor por Jesus, cada pessoa humana experimentará que chega a todos este mesmo amor. Deus não nos ama por qualquer outro motivo senão o próprio amor. Deus ama por amor e para amar. Trata-se de uma torrente inesgotável que se transforma em fonte de vida para todos. De verdade, o Pai do Céu continua dizendo a cada homem e cada mulher que venham a este mundo o seu amor pessoal e eterno e, por isso, guarda tanta ternura com seus filhos (Cf. Jr 31, 3).

A torrente de amor que brota do Céu e se espalha traz consigo uma vocação ao amor para toda a humanidade. Ainda que a palavra amor e sua compreensão se encontrem desgastadas, não nos é permitido omitir uma contribuição para que sejam restauradas em seu pleno significado e em sua prática. O amor não é em primeiro lugar um sentimento, mas ato de inteligência e de vontade. Decidir-se a amar a Deus e ao próximo é caminho para restaurar relacionamentos e o próprio tecido da sociedade.

As consequências são múltiplas e carregadas de inigualável fecundidade. Um novo dia que começa pode ser a primeira oportunidade, quando cada pessoa se sentir no dever do primeiro cumprimento, um bom dia alegre e festivo, que supera a "cara de ontem" tantas vezes até cultivada. Todos os encontros que se seguirem poderão expressar a beleza do amor, na perspectiva de São Paulo: "Não fiqueis devendo nada a ninguém a não ser o amor que deveis uns aos outros, pois quem ama o próximo cumpre plenamente a Lei. De fato, os mandamentos: "Não cometerás adultério", "Não cometerás homicídio", "Não roubarás", "Não cobiçarás", e qualquer outro mandamento, se resumem neste: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo". O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei". (Rm 13, 8-10)

Amar é antecipar-se em atenções e disposição para o serviço, com a criatividade de quem sempre descobre o bem a ser feito aos outros, superando a incômoda pergunta que corrói todo relacionamento: "por que sempre eu devo dar o primeiro passo"? Trata-se, ao contrário, de curar o tecido social com uma sadia competição de amor! O primeiro passo é sempre de quem toma consciência por primeiro! Sairemos da "retranca" que põe as pessoas em permanente atitude de desconfiança e de medo!

E se tirarmos as consequências na vida social? Seremos sadiamente agressivos nas iniciativas de amor e serviço na sociedade. As muitas mudanças em curso nos cargos políticos podem significar um rumo diferente se o bem comum passar à frente dos interesses individuais ou corporativistas! Faz bem a coragem de sonhar alto, pois podemos entrar, se não acolhermos as mudanças provenientes de convicções nascidas da fé, numa voragem de egoísmos concorrentes e destruidores. Faz-se necessário começar de novo do Rio Jordão, seguir os passos de Jesus Salvador, acolher sua graça, descobri-la concreta e verdadeira para nossos tempos e dar o primeiro passo! Está em nossas mãos a possibilidade de fazer chegar a todos a proclamação do amor de Deus. Não é pouco! É o melhor que temos! 

Dom Alberto Taveira

Espiritualidade: Como viver bem o Tempo comum?

Espiritualidade: Como viver bem o Tempo comum?

16:28 Add Comment

Terminado Tempo do Natal com a Solenidade do Batismo do Senhor, a Igreja começa a caminhar como O Povo de Deus caminhou no deserto durante quarenta anos rumo a Terra Prometida. Nem só de festas e solenidades vive a espiritualidade da Liturgia, mas o dia a dia, a rotina, a Constância, traçados pela esperança e perseverança na caminhada. O aspecto mais forte deste tempo é a comunidade reunida para celebrar sua fé, tendo o Domingo como a Páscoa semanal, onde a Igreja, Povo de Deus, caminham juntos com o seu Senhor ressuscitado.

Espiritualidade e símbolos

Este longo período compreende 33/34 semanas. O tempo comum começa no dia seguinte à festa do Batismo do Senhor e vai até a terça-feira de carnaval, inclusive. Interrompido pelo ciclo pascal. Recomeça na segunda-feira depois de pentecostes e termina no sábado anterior ao 1° domingo do advento.

Sentido: O domingo é a páscoa de cada semana, dia da reunião da comunidade para escutar a Palavra e fazer a Ceia em memória da morte e ressurreição de Jesus.

Os primeiros domingos do tempo comum são marcados por um clima de manifestação do Senhor, da sua missão no mundo e do chamado dos discípulos. A atitude destes domingos é sugerida pela voz do Espírito que desceu sobre Jesus nas águas do Jordão: “Tu és meu Filho querido, o meu predileto”! Contemplamos Jesus como o iniciador do reino.

Além do domingo, como festa semanal, celebram-se nesta primeira parte as festas da apresentação do Senhor e a festa da conversão do apóstolo Paulo.

Símbolos

O gesto simbólico que caracteriza o domingo como dia memorial da páscoa é sempre a reunião da comunidade em torno da Palavra e da santa ceia. O evangelho de cada celebração às vezes inspira um símbolo ou gesto simbólico que marca um determinado domingo. Para ressaltar a dimensão pascal do domingo, está previsto oração e aspersão da água (no lugar do ato penitencial). Há ainda as músicas que expressam o sentido de cada domingo.

Fonte de pesquisa: http://www.apostoladoliturgico.com.br

Como viver bem este tempo:

Deixar-se conduzir pelo Espírito Santo de Deus, que nos guiará pela Palavra proclamada em cada liturgia;

Fazer crescer em nós o sentido de comunidade-Igreja, povo reunido para celebrar sua fé, que caminha como a grande família de Deus rumo a Terra Prometida: O Céu;

Centralizar a sua vida e pratica de fé no Mistério Pascal de Cristo que se realiza mos Sacramentos e plenamente na Eucaristia;

Adestrar os sentidos para colher a Vontade de Deus nos pequenos gestos, nas coisas simples do dia a dia e na pratica comum da fé e da caridade.

As celebrações festivas da Virgem Maria e dos Santos nos finalizam a fidelidade de Deus e daqueles que nos precederam mos mistérios da nossa fé.

Oração: Senhor quero caminhar contigo e com os meus irmãos vivendo os mistérios de nossa fé e crescendo em sabedoria e graça. Quero escutar Tua Palavra e deixar-me conduzir pelo Teu Espírito, buscando a Eucaristia e a santidade na rotina dos meus dias, tentando fazer o ordinário de maneira extraordinária. Conto com a intercessão da bem-aventurada Virgem Maria e meus amigos santos, que me precederam na Terra Prometida tomando posse da Salvação conquistada por Nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amém

fonte: Blog do Padre Luizinho CN

Belém vai à missão

Belém vai à missão

05:00 Add Comment

"Vós sereis minhas testemunhas" (Atos 1, 8). Testemunhar a Boa Nova de Jesus Cristo é uma missão possível àqueles que fizeram uma experiência real do amor do Pai. Todos são enviados por Deus para dar testemunho do Salvador através de gestos, ações, palavras, enfim, da vida. O Projeto Igreja Belém em Missão, que será lançado no dia 9, tem como objetivo fazer com que a Palavra seja conhecida, amada e vivenciada por todos. Além de ser uma preparação para o XVII Congresso Eucarístico Nacional e a comemoração dos 400 anos da fundação da capital paraense, ambos em 2016.

Em comunhão com a dimensão missionária continental apresentada na V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, em 2007, o projeto busca "confirmar, renovar e revitalizar a novidade do Evangelho arraigada em nossa história, a partir de um encontro pessoal e comunitário com Jesus Cristo, que desperte discípulos e missionários" (Documento de Aparecida).

Para Monsenhor Raimundo Possidônio, até 2015, a meta é "evangelizar a cidade de Belém e prepará-la para os 400 anos de evangelização de Belém". "Nós vamos fazer isso dando vários passos. Um trabalho capilar de evangelização, que nós chamamos também de porta-a-porta, rua-a-rua, pra levar e transmitir a Boa Nova do evangelho às pessoas e formar comunidades nas regiões onde não existe a presença da Igreja Católica, onde ela é rarefeita", explica.

O religioso afirma que o principal desafio a ser superado é chegar aos lugares onde a Igreja ainda não está presente, que estão distantes do trabalho evangelizador. "Missão e pastoral são diferentes. Para nós, a missão é sair desse lugar comum. Lidamos com o desafio da conscientização das pessoas sobre a missão, o trabalho evangelizador. Não é fazer sempre as mesmas coisas, com as mesmas pessoas, no mesmo lugar, é ir alem destas fronteiras. É ir para áreas de fronteiras, onde realmente há necessidade. É fazer com que as pessoas realmente conheçam Jesus Cristo, quem Ele é, e mude de vida. Nós temos que demover estes obstáculos", disse.

Dois encontros de formação já foram realizados na Arquidiocese de Belém, com cerca de 600 missionários, em agosto e novembro. O próximo será um retiro espiritual nos dias 19 e 20 de março e o objetivo é duplicar o número de enviados à missão. Segundo o sacerdote "cada grupo missionário tem que escolher uma área de atuação para o projeto, na paróquia ou na cidade de Belém. Este local, este âmbito, pode ser uma realidade comunitária, social, cultural. Neste momento eles estão nessas áreas para conhecer melhor, conhecer as pessoas. E, ao mesmo tempo, eles estão com outra tarefa que é envolver toda a paróquia, o pároco, conselho pastoral e as pastorais neste trabalho".

Aldo Barroso, da Paróquia de São José de Queluz, afirma que é gratificante o trabalho da missão. "Poder anunciar o Deus que habita em nós é a motivação. Devemos assumir nosso papel de cristão, mostrando às pessoas que esse é o papel da Igreja. Precisamos dar esse caráter de evangelizador missionário. Somos cristãos, somos evangelizadores", fala o missionário.

Monsenhor Possidônio esclarece que o projeto Igreja Belém em Missão é realizável graças ao empenho e dedicação do laicato: "Sem o leigo não há trabalho pastoral, não há trabalho missionário, não há trabalho de Igreja. A função do pároco é ser o incentivador, o animador, que integra que articula, mas quem faz o trabalho missionário é o leigo. O leigo é de fundamental importância para que se faça, deste Belém em Missão, um projeto que realmente prepare a Arquidiocese para as celebrações jubilares de 2016". 

fonte: Jornal Voz de Nazaré

Afinal, para que serve a religião?

Afinal, para que serve a religião?

11:53 Add Comment

Não sei se por convicção ou preconceito, há pessoas que afirmam, alto e bom som, que a religião para nada serve. E provam suas palavras lembrando que não só é grande o número de presos e de corruptos que se declaram cristãos e de casais “praticantes” que partem para o divórcio, mas até mesmo de países que não evoluem... porque dominados pela religião.

Para saber o que há de verdade nisso tudo, alguns órgãos de informação, sobretudo nos Estados Unidos, promovem pesquisas de opinião pública, acreditando imprimir aos dados coletados um caráter científico.

Foi o que fez a revista “Proceedings of the National Acedemy of Sciences”. Após entrevistar 450.000 pessoas, chegou à conclusão que, para alcançar a felicidade, o primeiro passo a fazer é ter uma religião. O dinheiro só aparece em segundo lugar, e se traduz num salário mensal de, pelo menos, R$ 6.800,00.

A revista detectou outros cinco focos de felicidade. Ei-los, em ordem decrescente: não ser jovem (com o passar dos anos, aprende-se a lidar com as dificuldades); ser casado (a solidão mata); ter plano de saúde (a saúde pública é um caos); ter filhos (eles mantêm os pais unidos e jovens); ter curso superior (no ganha-pão, a competição é grande).

Se, para um considerável número de norte-americanos, a realização humana depende, em primeiro lugar, da religião, outra pesquisa, efetuada pela Gallup em 114 nações, vai numa direção contrária. Para ela, a religiosidade da população parece atravancar o seu desenvolvimento econômico.

Os motivos sugeridos, ou entrevistos, são inúmeros e diversificados. Alguns deles são positivos: a religião faz com que seus adeptos não coloquem o dinheiro acima de valores essenciais, como é a saúde, a educação, a solidariedade, a acolhida e a partilha. Quem tem fé se mantém alegre e esperançoso porque confia em Deus e sua riqueza é a vida eterna. Para ele, o fim não justifica os meios. Por isso, a ética deve sempre prevalecer, para que as transações comerciais e os acordos internacionais não se transformem em conchavos de quem pode mais chora menos. Evidentemente, tudo isso, conduz a um desenvolvimento mais qualitativo do que quantitativo.

Mas há também razões negativas, que fazem com que a religião dificulte a promoção humana, social e econômica dos povos. Uma delas é o fatalismo. Se tudo o que acontece é vontade de Deus, inclusive as injustiças, então o melhor é conformar-se: «Fazer o quê? Deus quer assim!»... Outra é a superficialidade com que se vive a fé: recorre-se a Deus somente nos momentos de conflito, em busca da solução de problemas. Assim, à medida que o progresso avança, descobrindo perspectivas jamais imaginadas, a religião vai perdendo o seu lugar e a sua função. Pior ainda é o que verifica em países onde, por motivos religiosos, se discriminam as mulheres e se promovem “guerras santas”...
Para ser fator de realização pessoal e social, a religião precisa ser bem entendida e melhor ainda assumida. O cristão não é alguém que proclama: «Salva a tua alma e o resto que vá para os quintos do inferno!» Não! Exatamente porque ama a Deus, ele se coloca a serviço do projeto que o levou a criar o mundo.

Por isso, se uma religião esconde em seu seio malandros e corruptos ou se mantém os povos no subdesenvolvimento social e econômico, ela precisa ser substituída por outra, digna de Deus e da pessoa humana. É o que lembrava o Concílio Vaticano II, em 1965: «A esperança de novos céus e nova terra, longe de atenuar, deve impulsionar a solicitude pelo aperfeiçoamento dessa terra. Por isso, ainda que o progresso terreno deva ser cuidadosamente distinguido do crescimento do Reino de Cristo, contudo é de grande interesse para o Reino de Deus, na medida em que pode contribuir para organizar a sociedade humana».

Na mesma linha se pronunciaram os bispos latino-americanos em sua Assembleia de Aparecida, em 2007: «O fato de ser discípulos e missionários de Jesus Cristo nos leva a assumir evangelicamente, e a partir da perspectiva do Reino, as tarefas prioritárias que contribuem para a dignificação do ser humano e a trabalhar junto com os demais cidadãos e instituições para o bem da humanidade».

Dom Redovino Rizzardo
Bispo de Dourados (MS)

fonte: CNBB